Tentando aproximar a Ásia da América do Sul e vice-versa

Aprendendo com a Ásia Sobre Enchentes

21 de Janeiro de 2010
Por: Paulo Yokota | Seção: Notícias | Tags: , , , | 1 Comentário »

A contínua repetição das enchentes, a cada dia de chuva, acaba saturando a paciência da população, exigindo soluções mais radicais, pois é um fenômeno que já é conhecido há milênios na Ásia, e soluções adequadas já foram implementadas.

Todos sabem que as regiões afetadas pelos tufões (e a palavra deriva do Tai Fu que é chinesa) sofrem chuvas violentas, como o que ocorreu há alguns anos em New Orleans, nos Estados Unidos.

A cada chuva, os paulistanos são obrigados a ficar em alerta, pois suas casas podem ficar inundadas, principalmente nas margens dos rios que SEMPRE atravessaram a cidade, antes mesmo de sua fundação. Por que não se ouve muito sobre estes desastres na Ásia?

Desde as pequenas aldeias até as grandes metrópoles como Tóquio vieram tomando medidas para enfrentar estas fortes precipitações de chuvas que continuarão a ocorrer. Primeiro, com a colaboração de todos os aldeões e hoje por um adequado planejamento e execução de obras importantes. O El Niño e a La Niña, com o aquecimento global que está ocorrendo, tenderão a aumentar estas calamidades afetando o Brasil e outros países sul-americanos.

O rio Sumida é grande e passa pela chamada Cidade Baixa de Tóquio, onde se originou a cidade. Hoje, suas margens são cercadas por barreiras que são elevadas em cerca de 10 metros, depois de se reservar ao longo do leito do rio um espaço amplo, destinado as atividades recreativas e esportivas. Isto acontece em todos os rios japoneses e também na maioria dos asiáticos.

O fluxo das águas pode ser, certamente, cem vezes superior ao normal, pois o rio escoa todo ele para o mar, sem nenhuma dificuldade. O máximo que se noticia são eventuais deslizamentos de terras, pois grande parte do território do arquipélago japonês é extremamente montanhosa. E vejam que os arrozais (chamados “tá”, e todos os nomes como Yokota, Ishida, o som pode mudar ligeiramente, fazem referência a estes “polders”) ocupam áreas que são inundadas, de forma controlada, e que são as mais importantes na agricultura japonesa.

Vamos aprender, ainda que um pouco, destas e outras experiências mundiais, pois não é possível continuar assim…


Um comentário para “Aprendendo com a Ásia Sobre Enchentes”

  1. Naomi Doy
    1  escreveu às 16:09 em 21 de Janeiro de 2010:

    E o "aaaaaaamplo" espacinho que AINDA existia entre a ( e ao longo da) Marginal e o Rio Tietê: vai virar área verde? – Não, tomou doril: virou asfalto, vai complementar a Marginal… C'est magnifiiiiique!


Deixe aqui seu comentário

  • Seu nome (obrigatório):
  • Seu email (não será publicado) (obrigatório):
  • Seu site (se tiver):
  • Escreva seu comentário aqui: