Tentando aproximar a Ásia da América do Sul e vice-versa

Bomba, Bomba! Revolução Mundial nos Combustíveis

18 de Fevereiro de 2010
Por: Paulo Yokota | Seção: Tecnologia | Tags: , , ,

Na recente 15th Annual National Ethanol Conference em Orlando, Flórida, duas empresas dinamarquesas, a Genencor e a Novozyme, anunciaram a descoberta de uma nova enzima capaz de reduzir o custo dos combustíveis para os consumidores. Ficaria abaixo dos combustíveis derivados de petróleo, a cerca de US$ 2,00 por galão.

O curioso é que as duas empresas anunciaram a descoberta quase simultaneamente, mostrando que as pesquisas neste segmento não poluente avançam rapidamente. Evidentemente, a descoberta está patenteada.

O anúncio está ligado ao etanol produzido a partir da madeira ou de qualquer celulose, mas certamente poderá ser adaptado para a cana de açúcar. Na medida em que o custo for inferior aos derivados de petróleo, prenuncia-se uma verdadeira revolução nas matrizes energéticas mundiais.

É tradicional que o metanol, combustível eficiente, mas altamente tóxico, venha sendo utilizado, por exemplo, na Fórmula Indy. Ainda apresenta o inconveniente de produzir uma chama invisível a olho nu. Normalmente extraído da madeira, houve até uma empresa piloto no Brasil para sua produção, com tecnologia russa, herdada dos alemães. Foi comandada por Sérgio Motta.

Estas descobertas são altamente promissoras, como as que vêm sendo feitas a partir de outras matérias-primas, como as algas marinhas. As pesquisas com a cana de açúcar também devem continuar, o que vem aumentando a sua eficiência numa média de 3% ao ano. E a alcoolquímica deve sofrer substanciais avanços com a produção de plásticos biodegradáveis.

Os desafios do aquecimento global e da poluição estão provocando avanços científicos e tecnológicos que permitem antever um mundo novo, superando as catastróficas previsões dos eternos pessimistas.



Deixe aqui seu comentário

  • Seu nome (obrigatório):
  • Seu email (não será publicado) (obrigatório):
  • Seu site (se tiver):
  • Escreva seu comentário aqui: