Tentando aproximar a Ásia da América do Sul e vice-versa

Lojas de Departamento Estão Perdendo Espaço no Japão

23 de Fevereiro de 2010
Por: Paulo Yokota | Seção: Empresas | Tags: , ,

lojas Com a atual crise que afeta o Japão, as lojas de departamento estão sendo as mais atingidas, por terem custos elevados com limites para serem comprimidos. Enquanto lojas independentes, mesmo de grandes redes, contam com maior liberdade para medidas criativas.

De outro lado, as vendas online que dispensam aluguéis pesados, instalações sofisticadas e pessoal com boa apresentação ganham espaços. Até os presentes estão sendo vendidos online, com as lojas servindo somente como show room.

Evidentemente, produtos mais baratos também passam pela preferência dos consumidores. O Japão, onde a grife era relevante, onde as empresas negociavam com as lojas de maior prestígio, comprando em quantidade, usando os papéis de embrulho, sacolas e outras embalagens para presentearem os que mereciam, está mudando, em parte.

É claro que os produtos de empresas tradicionais continuam prestigiados, mas muitos contam com alternativas de qualidade equivalente, por preços mais convenientes. Se o presenteado, como os clientes do exterior, não conseguem avaliar as diferenças, por que pagar mais caro?

O jornal econômico Nikkei faz um balanço destas alterações, utilizando os dados de 2009, comparando com os de três anos atrás. As mudanças são dramáticas. As lojas de departamento, que tinham um subsolo de produtos de alimentação de luxo, estão reduzindo estes espaços.

Algumas lojas de departamento chegaram a uma redução de cerca de 40%, forçando o fechamento de algumas unidades. Outras redes mais ágeis acusam crescimentos de dois dígitos, mudando a sua linha de produtos, como a Uniqlo.

Tudo indica que esta é uma tendência que se observa em muitos países desenvolvidos, mas que ainda não chegou ao mundo emergente.



Deixe aqui seu comentário

  • Seu nome (obrigatório):
  • Seu email (não será publicado) (obrigatório):
  • Seu site (se tiver):
  • Escreva seu comentário aqui: