Tentando aproximar a Ásia da América do Sul e vice-versa

Adoniran Barbosa é o Povo Brasileiro

6 de Março de 2010
Por: Paulo Yokota | Seção: Cultura | Tags: , , , ,

adoniran Como se comemora neste ano o centenário do compositor Adoniran Barbosa, nome artístico de João Rubinato, descendente de italianos, muitos shows serão realizados em sua homenagem.

É o compositor que mais se identifica com o povo brasileiro, pelo seu linguajar peculiar que é uma mistura de muitas influências de imigrantes, italianos, espanhóis, portugueses e até orientais. Nos show, como apresentado hoje pelo seu parceiro Carlinhos Vergueiro, com o Quinteto Preto e Branco, toda a plateia canta suas músicas mais conhecidas.

Trem das Onze, Maloca Querida, Arnesto, Tiro ao Álvaro, entre tantas outras, são músicas onde muitas palavras estão distorcidas, como é comum na fala do povo brasileiro, especialmente em São Paulo. Adoniran Barbosa captou muito bem estas misturas, o que faz com que haja uma identidade grande com o verdadeiro sentimento popular.

Mesmo entre os japoneses, existe uma expressão que é idêntica, inclusive no sentido. É o “ne?”, uma contração entre do “não é?”, que tem o mesmo sentido da expressão interrogativa do japonês, e é de uso comum na linguagem popular.

Provocada por um artista como Carlinhos Vergueiro, num ritmo marcado do samba do Quinteto Preto e Branco, que tem este nome por ser constituído de afrobrasileiros e descendentes de europeus, toda a plateia canta entusiasmada estas músicas de Adoniran.

Carlinhos Vergueiro, companheiro de noitadas deste centenário e admirável compositor de rara sensibilidade, explica algumas menos conhecidas, como Noite de Natal, que no dizer de Adoniran poderia ter sido composta por Charlie Chaplin. Ela conta uma história verossímil e comovente de alguém do povo que chega à sua pobre casa, onde muitos filhos esperam sem ter nada para comer, nas vésperas do Natal. Sai para comprar algumas poucas coisas e disfarçado de Papai Noel tenta entrar pela chaminé, e lá fica entalado, exigindo a assistência dos bombeiros para sair da enrascada. Tragicômico, realmente poderia ser um samba do Carlitos.

A plateia se emociona com estas obras de Adoniran Barbosa e se identifica com as histórias contadas nas suas composições e o seu linguajar peculiar. É de arrepiar até um descendente de orientais…



Deixe aqui seu comentário

  • Seu nome (obrigatório):
  • Seu email (não será publicado) (obrigatório):
  • Seu site (se tiver):
  • Escreva seu comentário aqui: