Tentando aproximar a Ásia da América do Sul e vice-versa

Mudanças no Varejo dos Países Emergentes

10 de Maio de 2010
Por: Paulo Yokota | Seção: Notícias | Tags: , , , | 4 Comentários »

É natural que os empresários de todo o mundo estejam atentos às mudanças das demandas que estão ocorrendo, notadamente nos países emergentes. Novos segmentos da população estão passando a figurar como consumidores, e as empresas procuram formas e produtos para atender esta demanda em todo o mundo globalizado.

Da China, vêm informações que grandes produtores mundiais de produtos alimentícios, principalmente, estão procurando colocar os seus produtos com embalagens e conteúdos adaptados às preferências locais no varejo. Da Índia, onde a participação de cadeias estrangeiras era insignificante, organizações multinacionais procuram formas de participar deste mercado. No Brasil, além do que já existiam nas grandes cadeias, muitas delas controladas por estrangeiros, aparecem pequenos mercados locais que procuram, com maior agilidade, atender as novas demandas que crescem.

Na China, além do impressionante crescimento econômico que se observou nos últimos anos, verifica-se que a política governamental procura estimular o mercado interno, para depender menos dos humores do comércio internacional. O imenso mercado chinês era pouco aberto para os produtos estrangeiros. Nada mais natural que empresas estrangeiras procurem produzir localmente os seus produtos pelos quais são conhecidos, ajustando-os às preferências dos novos consumidores chineses.

Mesmo que cada um destes mercados apresente características próprias, as cadeias estrangeiras procuram conquistar parte deste espaço, como na Índia, superando as resistências locais e seus hábitos. A globalização afeta mesmo os consumidores mais conservadores.

No Brasil, o varejo conta com a presença de grandes cadeias, algumas estrangeiras, que usam intensas publicidades, mas seus preços são considerados exagerados por parte dos consumidores. Os novos consumidores procuram pequenos varejistas, e com alguns possuem relacionamentos pessoais, ou novas organizações que podem oferecer produtos mais populares, com preços mais convenientes.

Ainda que todas estas mudanças ainda não cheguem a modificar a estruturas dos varejos, há indicações importantes que elas estão se processando, e os empresários que possuem maior sensibilidade para elas estão se movimentando. Os mais ágeis acabarão aproveitando melhor estas novas oportunidades.


4 Comentários para “Mudanças no Varejo dos Países Emergentes”

  1. Amanda
    1  escreveu às 16:18 em 16 de Março de 2011:

    Legal

  2. Paulo Yokota
    2  escreveu às 08:45 em 17 de Março de 2011:

    Cara Amanda,

    Obrigado pelo comentário. O mundo está mudando rapidamente.

    Paulo Yokota

  3. João Baptista G L de Almeida
    3  escreveu às 20:12 em 20 de agosto de 2011:

    Gostaria de parabenizar,os comentarios bastante pertinentes,em um momento de crise mundial,onde simples boatos afetam o mercado e as espectativas dos investidores.
    Obrigado João Baptista.

  4. Paulo Yokota
    4  escreveu às 22:55 em 20 de agosto de 2011:

    Caro João Baptista,

    Obrigado pelos comentários. Acredito que o momento exige cautelas.

    Paulo Yokota


Deixe aqui seu comentário

  • Seu nome (obrigatório):
  • Seu email (não será publicado) (obrigatório):
  • Seu site (se tiver):
  • Escreva seu comentário aqui: