Tentando aproximar a Ásia da América do Sul e vice-versa

Japão Voltará à Normalidade Mesmo no Seu Nordeste

26 de Março de 2011
Por: Paulo Yokota | Seção: Editoriais, Notícias | Tags: | 2 Comentários »

Diante do desafio imposto ao Japão, o jornal Nikkei publica um artigo com a mentalidade típica da cultura nipônica, com o título “Now’s The Time To Show What Japan Can Do” (pela tradução livre, Agora é Hora do Japão Mostrar O Que Pode Fazer). Como prova, informa que a Toshiba, responsável pela construção da usina Fukushima Daiichi (primeira), enviou 100 dos seus técnicos, que se unem com 120 da sua concorrente Hitachi, para a revisão das usinas de Fukushima Daini (segunda), nas suas partes cruciais. O Japão depende em 30% das 54 usinas atômicas no fornecimento da energia elétrica que consome. O presidente da Toshiba, Norio Sasaki expressou a sua confiança no “senso de responsabilidade e orgulho” dos seus técnicos de alto nível.

O artigo cita, também, os casos concretos de continuidade de suprimento do varejo. A loja da rede Ito-Yokado, de Ishinomaki, província de Miyagi, estava com 200 fregueses quando com do terremoto e ficou sem energia elétrica, gás e água corrente, e eles foram colocados para fora da loja pelos funcionários. Por ordem do presidente da rede, os funcionários receberam ordem de estudar como poderiam prosseguir com suas operações. Três horas após os funcionários fecharem as portas, eles voltaram a operar fora do estabelecimento com dúzias de produtos, como água em garrafa, macarrão instantâneo e baterias. No dia seguinte, estavam com uma fila de 800 pessoas desejando comprar o que se dispunha.

toshiba_logo biao1_clip_image008 imagesCARZ6KTT 200px-Seven__I_Holdings_logo_svg

O esgotamento do seu estoque no Nordeste foi suprido pelos centros de distribuição de Kanto (região de Tóquio), que também se esgotou e foram socorridos pelos mais ao sul, de Chubu e Kansai (região de Osaka). A notícia informa também que 10 supermercados da cadeia Seven & i Holding Co., da região Nordeste, a mais afetada pelo terremoto, não fechou sequer um dia depois da tragédia.

A Murata é uma das principais fornecedoras mundiais de componentes para telefones celulares, e suas instalações foram afetadas pelo terremoto. Seu presidente, Tsuneo Murata, chamou pela sua “responsabilidade de suprir”, utilizando seus estoques. A produção precisa voltar dentro de um mês, senão os produtores estrangeiros recorrerão a outros canais. Segundo Murata, eles precisam dar o sinal que “o Japão vai bem”.

Toda a tecnologia corporativa e o know-how devem ser utilizados, segundo o artigo, para mostrar a capacidade de recuperação ao desastre do Japão. É difícil acreditar olhando a montanha de entulhos, mas o jornal afirma que o mundo pode estar certo que ocorrerá um milagre.

E este site acredita nisso, como um grande número de relatórios publicados pelos departamentos de estudos dos grandes bancos internacionais.


2 Comentários para “Japão Voltará à Normalidade Mesmo no Seu Nordeste”

  1. Claudia Mera
    1  escreveu às 21:52 em 27 de Março de 2011:

    eu também acredito nisso.

    muito obrigado por iniciar minha segunda feira com uma mensagem de entusiasmo como essa.

    GANBARE NIPPON!!!

  2. Paulo Yokota
    2  escreveu às 14:30 em 28 de Março de 2011:

    Cara Claudia Mera,
    Em que pesem as dificuldades que não podem ser subestimadas, já são concretos os indícios dos esforços para a reconstrução. Brasileiros e outros estrangeiros estão assombrados com a capacidade do povo japonês, pois viram que algumas estradas já foram reconstruidas, muitas empresas voltam a operar, e todos estão decididos à prestar a sua colaboração.

    Paulo Yokota


Deixe aqui seu comentário

  • Seu nome (obrigatório):
  • Seu email (não será publicado) (obrigatório):
  • Seu site (se tiver):
  • Escreva seu comentário aqui: