Tentando aproximar a Ásia da América do Sul e vice-versa

Obama Concilia Visita ao Brasil Com a Guerra na Líbia

20 de Março de 2011
Por: Paulo Yokota | Seção: Editoriais | Tags: ,

A difícil conciliação do programa da visita de Barack Obama ao Brasil com a guerra na Líbia e outras graves preocupações relacionadas com os problemas do Japão acaba destacando a importância que o presidente dos Estados Unidos está dando ao nosso país. Mesmo as autoridades brasileiras seriam capazes de admitir alguns cancelamentos nos eventos programados, mas ele está cumprindo o que lhe é possível, com o mínimo de adaptações.

Ele é o comandante máximo das Forças Armadas do mais poderoso país no mundo atual, que coordenado com outras potências desenvolvidas decidiram executar um ataque maciço à Líbia, com a alegação de que estão defendendo o povo daquele país contra as forças de Kadaffi, dando a autorização de Brasília. Ele, naturalmente, é a autoridade máxima de todas as forças militares que efetuam o ataque que visa controlar o espaço aéreo líbio para evitar o massacre das forças que se opõem a Kadaffi, já reconhecidas como os verdadeiros representantes da Líbia por alguns países. Tudo estaria dentro das decisões do Conselho de Segurança da ONU, com a abstenção do Brasil e outros importantes membros.

presidente

Dilma Rousseff, Barack Obama e sua mulher, Michelle: Foto: Agência O Globo / Michel Filho

A imprensa brasileira informa que os auxiliares de Obama lhe transmitiam as informações sobre a evolução dos acontecimentos cruciais, mesmo quando almoçava no Itamaraty com os demais convidados, e o mesmo acontecia com Dilma Rousseff, chegando a haver algumas trocas de informações entre as duas partes. .

Toda a estrutura de comando militar dos Estados Unidos deslocou-se com a comitiva de Barack Obama, permitindo que ele tenha reuniões com os seus comandados imediatos, inclusive com os meios eletrônicos reservados, no que for necessário. A imprensa se manifesta impressionada com a estrutura que o cerca, tanto para a sua segurança como de sua comitiva, mesmo nos deslocamentos para o Rio de Janeiro.

Informa-se que o máximo do programa que envolve aspectos turísticos e conhecimento a projetos brasileiros na Cidade Maravilhosa, bem como o possível contato com empresários e representantes do povo brasileiro está preservado, inclusive com a programação da sua esposa e filhas.

Os analistas de comportamentos diplomáticos devem dar a devida atenção ao que está acontecendo, além da importância do que foi negociado pelas autoridades de ambos os países, que não está relacionado com questões banais, mas de importância estratégica de longo prazo no intercâmbio entre os dois países e todo o mundo. As marcas pessoais de Barack Obama devem ser devidamente consideradas, bem como a química do seu relacionamento com Dilma Rousseff e todos os brasileiros.

O momento é extremamente adverso, mas está se superando as limitações, e o Brasil deve ficar extremamente grato por toda esta consideração. Fosse um país sem nenhuma importância, era natural o adiamento de toda a visita, por motivos compreensíveis.



Deixe aqui seu comentário

  • Seu nome (obrigatório):
  • Seu email (não será publicado) (obrigatório):
  • Seu site (se tiver):
  • Escreva seu comentário aqui: