Tentando aproximar a Ásia da América do Sul e vice-versa

Riscos de Lideranças Carismáticas

28 de Maio de 2011
Por: Paulo Yokota | Seção: Editoriais | Tags: , , | 2 Comentários »

Muitos reconhecem que o Japão passa por um período de falta de lideranças de estadistas que deem os rumos que devem ser seguidos num arrojado programa de reconstrução que o atual governo não está conseguindo galvanizar, o que parece estar acontecendo também no mundo empresarial. Há um sentimento que tudo ficou muito burocratizado, tanto na política, na administração pública, na cúpula do empresariado privado como até nas empresas. As decisões dependem exageradamente do consenso coletivo. O que se ouve falar é somente de iniciativas limitadas que podem minimizar as dificuldades de algumas empresas, ao mesmo tempo em que a população está disponível para trabalhos voluntários e construtivos.

Sente-se a ansiedade por fortes lideranças, como vem sendo expresso por alguns meios de comunicação social de grande importância, como os jornais Yomiuri, Asahi e até o Nikkei, entre muitos outros, que alcança muitos milhões de leitores. O Japão profundo parece esperar pelo surgimento de uma nova liderança ao mesmo tempo em que os jovens se mostram impacientes diante da lenta movimentação daqueles têm poderes para decidir.

Ao mesmo tempo, nota-se que algumas figuras difíceis de serem totalmente compreendidas, por não se enquadrarem totalmente nos padrões e na cultura japonesa, que parece capaz de liderar significativa parcela da opinião pública, lançam-se com gestos espetaculares e uma ampla utilização dos meios de comunicação, procurando capitalizar o atual clima que paira sobre o Japão. Transmitem ousadas posições relacionadas com as novas tecnologias, de amplo espectro, mostrando-se sensível aos movimentos de solidariedade social, que se confundem com promoções de caráter comercial. Podem empolgar, perigosamente, alguns grupos ansiosos por novas mensagens, mas tudo recomenda que muitas cautelas precisam ser adotadas, pelas impressões coletadas nos contatos pessoais com estas personalidades que são exuberantes, mas aparentam a falta de uma profundidade mais sólida.

Eles se referem a uma fase do Japão posterior ao do uso da energia nuclear, que certamente empolga a muitos, que já tinham resistências diante dos sofrimentos infringidos pelos bombardeios atômicos, e que se multiplicam diante da incapacidade de controle das radiações. Eles dizem que “viram uma luz”, algo que dá o calafrio de muito misticismo. Estaria baseado no intenso uso da energia solar e do sistema de transmissão pelo uso de cabos óticos.

Entre as muitas propostas concretas estão as necessidades de usinas nucleares que já venceram seus prazos de funcionamento razoável, que necessitam ser substituídas, por utilizarem tecnologias já obsoletas, que não deixa de ser uma verdade. Arrolam os exemplos que já acontecem na França e na Alemanha.

Com uma intensa movimentação junto a políticos, autoridades e empresários, ainda que sofram resistências, parece que já conseguem agrupar um núcleo significativo de pessoas, que ficam empolgados pelo empenho de suas fortunas pessoais bem como os seus discursos que envolvem muitos aspectos sensatos.

A Ásia, e principalmente o Japão, sempre foi campo fértil para personalidades deste tipo, que conseguem aproveitar boas ideias provenientes de diversas fontes, efetuando uma costura com aparência de um conjunto bem pensado e elaborado. No deserto de ideias acabam fazendo sucesso, criando um clima quase religioso.

Parece urgente que grupos acadêmicos e políticos sensatos gerem planos e estratégias sensatas, como já houve diversos lampejos, pois se não o fizerem com a máxima rapidez, as lideranças serão assumidas por aventureiros, como a história da humanidade é rica em exemplos. O Japão não necessita mais disso.


2 Comentários para “Riscos de Lideranças Carismáticas”

  1. Carlos Silva
    1  escreveu às 13:45 em 30 de Maio de 2011:

    Alguns brasileiros que laboram no Japão disseram para mim que o político Edano Yukio tem um perfil distinto. Eles acreditam que o Sr. Edano seria muito “mais eficiente” que o Dr. Kan Naoto.

    O senhor concorda?

  2. Paulo Yokota
    2  escreveu às 16:02 em 30 de Maio de 2011:

    Caro Carlos Silva,

    O Ministro Yukio Edano é um político mais jovem que ganhou notoriedade por estar encarregado da função de porta-voz nos recentes problemas de terremotos, tsunami e problemas das usinas nucleares. Tem se saido bem, mas faz parte do mesmo grupo e partido do Naoto Kan. Pouco se conhece de suas idéias próprias, bem como capacidade de liderança política que deve ir além de se comunicar bem com o público. De qualquer jeito é uma esperança nos novos quadros políticos japoneses, mas ainda não lidera um grupo. Como ele existem muitos políticos mais jovens que são grandes esperanças, mas para se consolidar como um estadista é preciso consolidar mais trabalhos. Ele se mostrou muito empenhado no período crítico da crise. dando uma ótima impressão.

    Paulo Yokkota


Deixe aqui seu comentário

  • Seu nome (obrigatório):
  • Seu email (não será publicado) (obrigatório):
  • Seu site (se tiver):
  • Escreva seu comentário aqui: