Tentando aproximar a Ásia da América do Sul e vice-versa

Belisquetes Com Variados Produtos

9 de Fevereiro de 2012
Por: Paulo Yokota | Seção: Editoriais, Gastronomia, Notícias, webtown | Tags: , ,

No suplemento Paladar do jornal O Estado de S.Paulo, a matéria principal de capa refere-se às alternativas para a produção de chips variados, todos crocantes e muito apreciados pelos clientes dos restaurantes mais sofisticados. Com origem na batata frita, o artigo elaborado por Lucinela Nunes e Olivia Fraga, com as colaborações de muitos conhecedores da gastronomia, principalmente a chef Helena Rizzo, apresenta variadas possibilidades com frutas e até flores.

Tudo muito interessante e atrativo, mas pode-se perguntar se não existem alternativas saudáveis, pois na sua maioria são fritas e carregadas de sal ou açúcar, que estão sendo restringidos em seus usos para a preservação da saúde humana. Os muitos que foram apresentados como novidades são de frutas, legumes, tubérculos, carnes e até flores, que apresentam aspectos atrativos, alguns podendo ser preparados nos fornos, sendo desidratados.

imagesCAA852R1imagesCANR7ROEimagesCAU80E5O

A recente onda de tapas de origem espanhola parece ter estimulados criações desta natureza, onde a criatividade dos chefs não tem limite. Mas as reportagens parecem concluir que os seus apreciadores são atraídos por serem crocantes, produzindo um som característico quando consumidos.

Na cozinha asiática também existem produtos similares que acompanham os “aperitivos” como os dins suns chineses ou equivalentes japoneses. Mas eles acabam sendo mais saudáveis por serem, normalmente, preparados no vapor que os tornam mais leves, com possibilidade de controle do seu sal.

Muitos devem ter experimentado a simples soja cozida em água com pouco sal, ainda em suas favas. São produtos saudáveis com a proteína preservada, como também os que são derivados dos queijos de soja (tofu). Ou ainda os “crocantes” salgadinhos de arroz ligeiramente temperados com tipos de “shoyu”, um molho também de soja.

O que informam alguns médicos orientais é que, mesmo que os produtos contenham colesteróis, como os frutos de mar, quando combinados com as sojas e os molhos preparados com elas, ocorrem um processo de neutralização dos elementos, reduzindo a sua capacidade de danos à saúde.

Assim, entre os brasileiros, muitos apreciam os camarões fritos, considerados danosos para a circulação sanguínea, mas quando os mesmos são preparados cozidos ou simplesmente no vapor informam os nutricionistas asiáticos que seus danos acabam sendo sensivelmente reduzidos.

Como o artigo sugere, existem formas de desidratação que acabam provocando os efeitos desejados nestes produtos. Com o uso do vapor em vez de fritos, estes produtos acabam se tornando um pouco mais saudáveis. A desidratação, se desejada, pode ser provocada no forno, com temperaturas amenas e por num processo que demanda mais tempo.

E por que não consumir legumes frescos, crocantes que preservam o sabor e as qualidades nutritivas destes produtos, como as cenouras, os aipos, os pepinos entre outros, como se utilizou há muito tempo, e que ainda continuam o sendo em alguns estabelecimentos?

Do meu ponto de vista, a gastronomia visa o atendimento do nosso paladar, da visão agradável dos alimentos, sem nenhuma necessidade que tenha que ser prejudicial à saúde humana. Por que não voltar a apreciar os produtos naturais, orgânicos que não estão carregados de ingredientes químicos?



Deixe aqui seu comentário

  • Seu nome (obrigatório):
  • Seu email (não será publicado) (obrigatório):
  • Seu site (se tiver):
  • Escreva seu comentário aqui: