Tentando aproximar a Ásia da América do Sul e vice-versa

Desperdício de Alimentos nos Restaurantes

26 de Janeiro de 2013
Por: Paulo Yokota | Seção: Cultura, Economia, Editoriais, Notícias, webtown | Tags: , ,

Um interessante artigo foi publicado por Cheng Yingqi no China Daily, um jornal oficial do governo chinês, sobre o movimento que está ocorrendo na China para evitar o desperdício de alimentos. Os funcionários dos restaurantes estão convidando os fregueses a levarem as sobras em recipientes ecológicos, para reduzir o desperdício. Cerca de 750 restaurantes de Beijing participam do movimento, recomendando que os fregueses só façam o pedido necessário para atender as necessidades de uma mesa. O tamanho das porções também está sendo reduzido à metade.

A estimativa feita pela Universidade Agrícola da China é que em 2007 e 2008 foram desperdiçadas 8 milhões de toneladas de proteínas e 3 milhões de toneladas de gorduras, o suficiente para alimentar cada ano 200 milhões de habitantes. Os chineses costumam tomar as refeições em grupos, não fazendo o pedido de um prato para cada pessoa, como costuma ocorrer em muitos países ocidentais.

clip_image001

Funcionários de um restaurante chinês incentivam os fregueses a cooperarem com a campanha. Foto: Xinhua

Em todo o mundo está se desperdiçando alimentos, e, mais grave ainda, consumindo em excesso, aumentando os problemas de obesidade e todas as suas consequências para a saúde. O artigo cita a questão dos jantares que são oferecidos pelas organizações publicas ou privadas chinesas para seus visitantes e clientes. Costuma-se, numa mesa redonda, intercalar representantes dos anfitriões e dos convidados, sendo que uma sequência de pratos é servida dos pratos no centro pelos que convidam para os pratos individuais dos visitantes, e não é de bom tom recusar estes alimentos. Os mesmos são intercalados por saudações com bebidas, e nem todos os convidados são capazes de consumir metade do que lhes é servido.

Este tipo de costume ocorria também no Brasil, por exemplo, numa churrascaria. Depois que todos estavam satisfeitos, o anfitrião solicitava mais uma rodada de carnes para que a mesa ficasse enfeitada, mostrando que quem estava convidando não era mesquinho.

Mudanças vêm ocorrendo em todo o mundo, e as sobras aproveitáveis estão sendo levadas para casa, sem nenhum constrangimento, como se fosse para o cachorro, havendo recipientes adequados para tanto. Mas não haveria necessidade de pedidos superiores ao que vão ser consumidos.

As porções servidas no Brasil também estão ficando menores, pois os consumidores estão ainda exagerando nas refeições, alimentando-se mais do que o necessário, para depois tentar eliminar os excessos nas academias de ginástica.

No Oriente, todas as partes de um peixe, uma ave ou de outros animais costumam ser aproveitadas, até os ossos que podem produzir bons caldos. As folhas de muitos tubérculos como a cenoura e o rabanete também costumam ser aproveitados para a produção de outros alimentos, como as conservas domésticas. Do peixe, da cabeça até a pele costumam ser aproveitadas, sabendo-se que as carnes mais próximas aos ossos costumam ser mais saborosas. Existem aperitivos feitos dos ossos de alguns peixes, devidamente fritos, que são extremamente convenientes para acompanharem algumas bebidas.

As atuais crises econômicas estão estimulando hábitos saudáveis que eram usuais nos períodos dos grandes conflitos bélicos, ou quando o mundo ainda não era capaz de produzir alimentos para todos. Também a consciência ecológica contribui para o menor consumo de energia exigido pela produção dos alimentos.



Deixe aqui seu comentário

  • Seu nome (obrigatório):
  • Seu email (não será publicado) (obrigatório):
  • Seu site (se tiver):
  • Escreva seu comentário aqui: