Tentando aproximar a Ásia da América do Sul e vice-versa

Mudanças Que se Processam no Japão

9 de Janeiro de 2013
Por: Paulo Yokota | Seção: Economia, Editoriais, Notícias, webtown | Tags: , , , | 2 Comentários »

A longa crise pela qual passa a economia japonesa, que já dura décadas, vai obrigando a introdução de mudanças que não se observaram no passado. O conceito de um emprego para toda a vida parece não mais prevalecer, aumentando a mudança de muitos profissionais para outras empresas. As grandes organizações que eram o forte do Japão já partilham sua importância com pequenas e médias, que antes eram as que terceirizavam alguns serviços. A força criativa da economia japonesa parece residir agora nestas que possuem maior agilidade e criatividade, inclusive na geração de novas tecnologias.

Um artigo publicado originalmente no Financial Times, elaborado por Michiyo Nakamoto, está hoje publicado no Valor Econômico em português, informando que jovens japoneses criam starups, como tem acontecido em muitos lugares, principalmente nos Estados Unidos. Com suas iniciativas, criam novos produtos que recebem suporte de financiadores especializados, e algumas delas conseguem resultados expressivos, ainda que muitas não noticiadas não tenham obtido sucessos.

f9a67b0a-090a-4acb-a58b-14da6881d864

Takuma Iwasa

O artigo centra-se no caso do jovem Takama Iwasa, que foi funcionário da Panasonic, mas hoje possui a sua própria empresa. Alguns outros casos são citados, informando que existem fundos como o Inova, Kronos, Inspire e Nostella que são investidores nestes startups.

Antes destes jovens criativos que trabalham principalmente no setor eletrônico, já haviam surgido pequenas e médias empresas que contavam com a criatividade dos seus proprietários desenvolvendo novos produtos. As pequenas e médias empresas sempre foram importantes no Japão, com em outras economias europeias, mas atuavam como fornecedoras ou prestavam serviços terceirizados para as grandes organizações. Dotadas de tecnologias específicas, algumas envolvendo gerações, contavam com habilidades para a produção de máquinas e componentes que não poderiam ser produzidas em série.

Também existiram sempre muitas destas empresas no setor de serviços, pois a criatividade não dependia da força da organização e da dimensão. Muitas delas prestavam os seus serviços para grandes organizações que contavam com suas marcas e capacidade financeira.

Com a crise atual, e depois dos desastres naturais no nordeste do Japão, parece que este processo está se acelerando, inclusive diante das dificuldades enfrentadas pelas grandes organizações. Mas os estudantes formados nas muitas universidades japonesas ainda preferem prestar os concursos anuais que selecionam funcionários para as grandes empresas.

Com o tempo, muitos destes funcionários insatisfeitos com os lentos processos decisórios, as hierarquias exageradas, os respeitos que necessitam manter com os seus veteranos, acabam caminhando para outras carreiras solos, notadamente quando possuem alguns talentos. As grandes organizações aparentam ficar somente com os que não têm a ousadia de aventuras.

Este é um processo que parece estar ocorrendo em muitas partes do mundo, inclusive no Brasil, onde a Sebrae, organização suportada pelo governo e apoiada pelas organizações empresariais, estimulam iniciativas de pequenas e médias empresas.


2 Comentários para “Mudanças Que se Processam no Japão”

  1. Nikos
    1  escreveu às 01:33 em 14 de Janeiro de 2013:

    Afinal, o que criou Takuma Iwasa? O texto diz que trabalhou na Panasonic, mas não diz o que ele fez.

  2. Paulo Yokota
    2  escreveu às 21:20 em 14 de Janeiro de 2013:

    Caro Nikos,

    Não estou me lembrando dos detalhes, mas ele tinha submetido ao seu chefe alguns novos produtos eletrônicos, que está sendo utilizado na área da informática, cujas minuscias não me interessaram. Só desejei comentar mudanças que estão ocorrendo.

    Paulo Yokota


Deixe aqui seu comentário

  • Seu nome (obrigatório):
  • Seu email (não será publicado) (obrigatório):
  • Seu site (se tiver):
  • Escreva seu comentário aqui: