Tentando aproximar a Ásia da América do Sul e vice-versa

Músico Amaral Vieira Pouco Divulgado no Brasil

12 de Fevereiro de 2013
Por: Paulo Yokota | Seção: Cultura, Editoriais, Notícias, webtown | Tags: , , , , | 15 Comentários »

Ainda que música erudita não seja a minha especialidade, talvez o consagrado músico brasileiro José Carlos Amaral Vieira seja mais conhecido no Brasil pelos seus autorizados comentários feito regularmente na Rádio Cultura FM de São Paulo. Ele, certamente, parece mais reconhecido no exterior pelas suas palestras, composições, discos gravados bem como pelas muitas excursões com apresentações na Europa e na Ásia onde conta com um público exigente que lota todos os seus turnês há muitos anos. Existe o ditado que “santo de casa não faz milagres”, e poucas de suas mais de 500 composições são tocadas nas grandes salas de música erudita do país com a devida frequência, não recebendo a elevada admiração que ele merece do público brasileiro. Todos sabem que no mundo musical existem grupos, além de vaidades que acabam criando um indesejável círculo de relacionamento, boicotando até os que são consagrados nas plateias mais exigentes do mundo.

Os seus comentários sobre Havergal Brian, veiculado nestes dias de Carnaval na Rádio Cultura FM, e que os trabalhos deste compositor inglês figuravam entre os mais importantes do mundo, tanto no século XX como em toda a história universal da música, despertou a minha curiosidade, permitindo que o tempo disponível fosse dedicado a ouvi-lo. E parece que ele está sendo agora reconhecido mais amplamente, e ouvindo sua Sinfonia nº 1, a Gótica, não há como ficar indiferente. Ainda que suas muitas obras exijam condições que nem as mais dotadas orquestras e salas de espetáculos podem atender. A BBC de Londres, bem como as grandes orquestras do Leste europeu, como da Eslovênia, parecem empenhadas em corrigir partes da lacuna, proporcionando a oportunidade para que mais apreciadores passem a ter o seu conhecimento, que ainda não é possível se obter diretamente no Brasil. Algo semelhante parece acontecer com as ricas e numerosas composições e concertos do brasileiro Amaral Vieira.

pianista_amaral_vieira61rcZyZAjOL__SL500_AA300_

Vieira__Te_deum_requiem_ebayMI0002869508

Amaral Vieira e alguns de seus discos

O que existe de escrito sobre a carreira de Amaral Vieira, seus estudos na França, Alemanha, Inglaterra, os prêmios que ganhou como pianista, a sua extensa produção como compositor e as suas gravações justificam seu mais amplo reconhecimento do público brasileiro pela extensão e diversidade dos seus trabalhos, ainda insuficientemente conhecido de todos.

Ele tem feito excursões regulares pelo Japão por anos contando com mais de 250 apresentações, tendo gravado naquele país como em Taiwan, com vendas de suas obras que surpreendem em número, quando se refere à música erudita. Suas composições abrangem os mais variados instrumentos, começando pelo piano que toca com mais frequência. Suas sinfonias compreendem apresentações de solistas, coros e orquestras, sendo executados em escolas de prestígio na Europa.

No Japão, ele conta com o reconhecimento da organização Soka Gakkai que muitos questionam pela sua origem religiosa. Em 1993, já obteve o prêmio SGI da Cultura no Japão, pelo seu trabalho artístico em prol da Cultura e da Paz Mundial. Em 1997, ele recebeu o prêmio “Soka University Award of Highest Honor”.

Mas estudando os seus pronunciamentos, entrevista e ouvindo o possível de sua ampla produção, não se compreende a lacuna existente sobre o seu mais amplo conhecimento no Brasil. Muitos dos seus trabalhos podem ser acessados, gratuitamente, pelo Amaral Vieira youtube, tomando-se a cautela que existem muitas outras pessoas com este mesmo nome, mas sempre é possível distingui-lo pela natureza do seu trabalho como compositor, pianista e músico no seu mais amplo sentido.


15 Comentários para “Músico Amaral Vieira Pouco Divulgado no Brasil”

  1. Vera Sztejnhaus
    1  escreveu às 18:29 em 13 de Fevereiro de 2013:

    Conheço e admiro o compositor e pianista Amaral Vieira. O seu artigo retrata perfeitamente a indiferença que o Brasil, pais de origem do pianista, trata a sua obra. Fora do pais, ele é requisitado na America do Sul, Europa e principalmente Japão, onde o público é fiel e acompanha sua trajetória.
    Agradeço suas palavras sinceras.

  2. Paulo Yokota
    2  escreveu às 10:31 em 15 de Fevereiro de 2013:

    Cara Vera Sztejnhaus,

    Obrigado pelos comentários. Vamos procurar, sempre que possível, agir no sentido de que ele possa ser melhor conhecido também no Brasil.

    Paulo Yokota

  3. Laerte Malaguti
    3  escreveu às 10:07 em 14 de Fevereiro de 2013:

    Matéria muito interessante, oportuna e que reflete, a meu ver, com fidelidade, o descaso que campeia e grassa nesta nação, na qual somente os incompetentes e bajuladores são merecedores de todas as loas e espaço de divulgação. Amaral Vieira é inquestionavelmente um dos maiores músicos brasileiros de todos os tempos. Continuarei a acompanhar os textos de Paulo Yokota com grande interesse.

  4. Paulo Yokota
    4  escreveu às 10:29 em 15 de Fevereiro de 2013:

    Caro Laerte Malaguti,

    Obrigado pelo comentário. Vamos promover algumas medidas para que Amaral Vieira mereça maior atenção aquí no Brasil também.

    Paulo Yokota

  5. Maria Cristina Câmara
    5  escreveu às 11:52 em 15 de Fevereiro de 2013:

    Também para mim a Sinfonia Gótica de H. Brian foi uma espantosa descoberta. Que compositor fantástico e lamentavelmente ainda tão pouco conhecido, aqui e no exterior. Sou admiradora de Amaral Vieira, cujo programa escuto todos os domingos na Rádio Cultura. Como compositor e pianista, é um artista completo. Não consigo entender porque ele participa só esporadicamente das temporadas nacionais de concerto. Seus CDs somente podem ser encontrados no exterior! Que país é este, prezado Sr. Paulo Yokota? Obrigada pela matéria mais que oportuna e muito bem escrita. Cordiais saudações.

  6. Paulo Yokota
    6  escreveu às 17:13 em 15 de Fevereiro de 2013:

    Cara Maria Cristina Câmara,

    Muito obrigado pelos comentários. Estarei contactando alguns responsáveis por concertos em São Paulo para questinar sobre estas lacunas.

    Paulo Yokota

  7. edna alves cabral
    7  escreveu às 21:07 em 15 de Fevereiro de 2013:

    Tive a grata oportunidade de assistir uma audição com o prof.Amaral Vieira, que me surpreendeu profundamente.
    Agradeço o envio da materia acima que trouxe a mim essa preciosa recordação

  8. Paulo Yokota
    8  escreveu às 10:42 em 16 de Fevereiro de 2013:

    Cara Edna Alves Cabral,

    Obrigado pelo comentário. Acredito que devemos contar com mais oportunidades para apreciar os seus trabalhos.

    Paulo Yokota

  9. Marcos Oliveira Santos
    9  escreveu às 18:38 em 16 de Fevereiro de 2013:

    Concordo com tudo o que foi escrito no ótimo artigo de Paulo Yokota. Já enviei diversos emails à direção da OSESP, perguntando porque não incluem composições de Amaral Vieira na programação da orquestra ou porque o artista não participa das temporadas como solista. Jamais recebi uma resposta, PORÉM a Sala São Paulo, a OSESP (com aquela monte de funcionários!) são pagos quase que integralmentecom o dinheiro dos impostos escorchantes que nós pagamos ao governo, na esfera federal, estadual e municipal. Gosto muito de música clássica e frequento os concertos da cidade de São Paulo. De longa data me dei conta que as temporadas privilegiam sempre os mesmos músicos, que devem provavelmente fazer parte das igrejinhas locais. Artistas como Amaral Vieira brilham no exterior e obtêm reconhecimento nos principais centros musicais. No Japão, é o músico brasileiro mais conhecido e respeitado. Como bem escreveu Paulo Yokota, “santo de casa não faz milagres.” É uma trsite verdade. Finalizando, escutei o programa na Rádio Cultura com a Sinfonia Gótica. Foi uma revelação e para mim uma iniciação na obra de Havergal Brian, de quem quero agora conhecer o maior número possível de composições. Parabéns pelo site Ásia Comentada, um dos mais lúcidos e instigantes blogs brasileiros.

  10. Paulo Yokota
    10  escreveu às 21:53 em 16 de Fevereiro de 2013:

    Caro Marcos Oliveira Santos,

    Muito obrigado pelos seus amáveis comentários. Vamos continuar pressionando para que Amaral Vieira seja mais prestigiado no Brasil, inclusive na Osesp. Quanto a Havergal Brian, alem da Sinfonia nº 1, Gotica, que foi apresentada na Proms 2011 da BBC, que pode ser obtida mediante pagamento, já existem a Sinfonia nº 8, da BBC Symphony Orchestra (transmitida em 20 de dezembro de 1958 pela BBC), Sinfonia nº 10, da Philharmonia Orchestra (também transmitida em 3 de novembro de 1958) e Sinfonia nº 12, da London Symphony Orchestra (transmitida no dia 5 de novembro de 1959) disponíveis para download gratis. Bom proveito.

    Paulo Yokota

  11. Ricardo M. Steiner
    11  escreveu às 16:57 em 19 de Fevereiro de 2013:

    Eu estive no concerto do Amaral Vieira com a Orquestra Experimental de Repertório na Sala São Paulo, faz uns dois anos. Ele tocou uma Fantasia de Liszt, parecia que tinha 10 dedos em cada mão. Ele recebeu da platéia um ovação consagradora. No ano passado, celebrou os 60 anos com um recital memorável no Municipal. Mas faz anos que suas obras sinfônicas e sacras não são tocadas aqui. Encontrei no Youtube um vídeo do seu STABAT MATER gravado na Holanda. Sinceramente não sei por que um músico desse calibre ainda insiste em morar no Brasil, onde vive quase em exílio artístico. Mas é graças a pessoas abnegadas como ele que aprendemos a conhecer compositores como Havergal Brian e tantos outros em seus programas semanais na Cultura FM. Fiquei entusiasmado quando li que Paulo Yokota estará empenhado em pressionar os promotores de concerto para que Amaral Vieira esteja mais presente nas programações da cidade. Agradeço em nome de todos os admiradores desse grande músico. Obrigado e abraços.

  12. Paulo Yokota
    12  escreveu às 12:23 em 20 de Fevereiro de 2013:

    Caro Ricardo M. Steiner,

    Obrigado pelos comentários. Na realidade, Amaral Vieira trabalha mais no exterior que no Brasil, como muitos músicos consagrados do Brasil. Mas, merece maior destaque por aquí, e vamos juntar os esforços de todos os seus admiradores para que seus trabalhos tenham maior espaço no Brasil.

    Paulo Yokota

  13. Julio China
    13  escreveu às 11:53 em 25 de Fevereiro de 2013:

    Caro Dr. Paulo,

    Parabéns pela perspicaz observação sobre Amaral Vieira e suas obras!

    Ele é um artista “dissonante”, por escrever fantásticas sinfonias humanistas, e que faz questão de aproximar a música de concerto do povo.

    É dele o sempre lúcido discurso de que obras de grandes mestres jamais deveriam ficar restritas a salas de concerto por que são patrimônios da humanidade e não da elite que pode pagar por concertos caríssimos, restritivos por si só.

    Como amigo do pianista, agradeço a consideração deste comentário observador! Parabéns pelo Blog.

  14. Marcos Oliveira Santos
    14  escreveu às 09:52 em 6 de Março de 2013:

    Estou de acordo com o conteúdo do artigo de Paulo Yokota, escrito como sempre com lucidez e objetividade. Uma obra sinfônica de Amaral Vieira abriu recentemente a Temporada de Concertos 2013 da Filarmônica de Minas Gerais. Uma ótima crítica foi postada no site Movimento.com, assinada por Leonardo Steffano: http://www.movimento.com/2013/03/abertura-da-temporada-2013-em-bh/
    Obrigado pela atenção, abraços a todos.

  15. Paulo Yokota
    15  escreveu às 16:30 em 6 de Março de 2013:

    Caro Marcos Oliveira Santos,

    Muito obrigado pelo seu amável comentário. Acho que Amaral Vieira merece a consideração de todos.

    Paulo Yokota


Deixe aqui seu comentário

  • Seu nome (obrigatório):
  • Seu email (não será publicado) (obrigatório):
  • Seu site (se tiver):
  • Escreva seu comentário aqui: