Tentando aproximar a Ásia da América do Sul e vice-versa

Além do Sushi e Sashimi em Paris

11 de Maio de 2013
Por: Paulo Yokota | Seção: Editoriais, Gastronomia, Notícias, webtown | Tags: , ,

Uma notícia divulgada pelo jornal econômico japonês Nikkei informa que restaurantes de japoneses estão aumentando muito em Paris, oferecendo a culinária local. Vão desde estabelecimentos de luxo, simples bistrôs, como restaurantes franceses que contam com chefs japoneses. Um dos que se destacam hoje, segundo o artigo, é o Kigawa, localizado no 14º arrondissement em Paris, área frequentada por muitos artistas e onde estão localizados os seus estúdios. Tudo indica que este fenômeno começou em 1997 com o Stella Maris, que conta com uma estrela do guia Michelan, que está localizado no 8º arrondissement. Desde aquela época, nos últimos 15 anos informam-se que os restaurantes de propriedade de chefs japoneses ou os que os empregam têm crescido constantemente, incluindo o Table d’Aki no 7º arrondissement, L’Office no 9º e Chez la Vielle no 1º. Le Sot L’y Laisse foi aberto no 11º, um bairro conhecido mais pelos restaurantes locais.

O que poderia se questionar é a causa deste fenômeno. O que se pode constatar é que a culinária francesa sempre impressionaou os japoneses, que foram absorvendo suas técnicas com um empenho impressionante, abrindo os primeiros estabelecimentos nos grandes centros como Tóquio. Muitos profissionais continuaram, dedicadamente, trabalhando com consagrados chefs franceses, mesmo não recebendo grandes remunerações, mas para absorverem os seus conhecimentos, e dentro da tradição japonesa, empenhando-se desde as tarefas mais simples, até chegarem a dominar as técnicas, depois de muitos anos de aprendizado.

IGP1532ISHINABE_full

Chef Norihiko Fujiki do restaurante Espoir e o famoso chef de culinária francesa Yutaka Ishinabe

Tudo indica que este fenômeno acontece porque muitos profissionais japoneses de culinária são dedicados, pacientes e se sujeitam a longos treinamentos, suportando o humor de muitos mestres que nem sempre são fáceis de serem tolerados. Seguindo a tradição japonesa, eles aceitam estes tipos de aprendizado.

Muitos conseguiram absorver os fundamentos básicos da cozinha francesa, o que não acontece somente com os japoneses. Muitos estrangeiros, entre eles orientais, receberam a forte influência de grandes chefs franceses e são dedicados aprendizes que suportam um longo treinamento. Os que têm talentos acabam sendo aceitos pelos clientes franceses que não discriminam os bons chefs pelas suas origens étnicas.

Paris, principalmente, sempre foi um centro universal que recebeu imigrantes de diversos países, e desde que se comportem como franceses, dominando o idioma e os costumes, acabam tendo possibilidade de ser reconhecidos.

Alguns perseguem os reconhecimentos como os do guia Michelin que já não tem o prestígio passado, pois mais que a qualidade da culinária se preocupa com a qualidade das instalações de que dispõem. Mas também críticos mais independentes da imprensa francesa acabam reconhecendo o talento de muitos chefs estrangeiros.

Como toda a Europa, também Paris não passa por um período brilhante do ponto de vista econômico, o que acaba refletindo também nos restaurantes. Naquela cidade, muitos bistrôs de preços mais acessíveis apresentam uma culinária de alta qualidade, com um menu mais restrito. Também neste segmento, alguns chefs japoneses estão sendo reconhecidos.

A imprensa japonesa destaca que estes restaurantes estão ajudando a estabelecer uma ponte cultural entre o Japão e a França, havendo também os que absorvem o que existe de melhor em ambos os países dentro do processo que denominam fusion, que vem ganhando maior importância com a globalização.



Deixe aqui seu comentário

  • Seu nome (obrigatório):
  • Seu email (não será publicado) (obrigatório):
  • Seu site (se tiver):
  • Escreva seu comentário aqui: