Tentando aproximar a Ásia da América do Sul e vice-versa

Ainda os Salários Reais na Abeconomics

5 de Fevereiro de 2014
Por: Paulo Yokota | Seção: Economia, Editoriais, Notícias | Tags: , , , | 6 Comentários »

Dos muitos artigos publicados nos meios de comunicação do mundo preocupados com os salários reais dos japoneses, vamos comentar o assunto utilizando os divulgados por Andy Sharp e Masaaki Iwamoto publicados no site da Bloomberg e de Jonathan Soble do Financial Times. O primeiro registra que o de 2013 ficou como o mais baixo dos últimos 16 anos, registrado em 2009, quando o mundo foi tomado pela recessão. Seria um risco elevado para os gastos dos consumidores que deverão arcar com um imposto sobre vendas mais elevado previsto para este ano. Excluídos os bônus usuais e as horas extras no Japão, o pagamento em 2013 caiu para 98,9 pontos no índice mantido pelo Ministério do Trabalho, que tem o índice 100 em 2010, voltando para o patamar de 1990.

O primeiro-ministro Shinzo Abe está convidando as empresas a aumentarem os salários diante do yen que caiu 18% com relação ao dólar no ano passado. Este assunto, que deveria ser cuidado somente entre as empresas e os sindicatos, não está proporcionando aumentos para os assalariados, pois os seus representantes sindicais não estão mais estruturados para tanto, com o nível de renda dos países desenvolvidos. A Bolsa japonesa recuperou-se e os lucros das empresas estão em alta, como no caso da Toyota que quintuplicou no último trimestre, levando a previsão de US$ 18,8 bilhões no ano fiscal que termina no próximo mês de março.

shinzomapa_japao

Primeiro-ministro Shinzo Abe

A Confederação Sindical japonesa está programando aumentos salariais base de 1% na primavera japonesa e 2% para as empresas de pequeno e médio porte, mas todos sabem que isto depende do aumento da produtividade da economia japonesa, o que ainda é incerto.

Com a política monetária do Bank of Japan, o Banco Central japonês, persegue-se uma inflação de 2%, saindo do longo período de deflação, e com o aumento tributário, os gastos das famílias tendem a erodir. Puxar os preços e salários pode ser relativamente fácil, mas aumentar a produtividade depende de investimentos e pesquisas que estejam sendo feitas.

O artigo do Financial Times reforça que os aumentos salariais são fundamentais para o sucesso do Abeconomics. Na realidade, as empresas estão obtendo lucros, mas ainda existem dúvidas sobre as tendências de longo prazo do aumento da produtividade.

Numa economia onde a demissão dos empregados é custosa, as empresas procuram utilizar as horas extras quando necessário, evitando contratar novos assalariados.

Ainda assim, observadores como o advogado brasileiro Masato Ninomiya, que despende parte substancial do seu tempo trabalhando no Japão, observa que continua havendo um otimismo com o Abeconomics. A economia japonesa veio de um longo período de imobilismo e as tentativas do atual governo, ainda que necessitem ser completadas com reformas, já provocaram a desvalorização cambial e houve uma recuperação na bolsa, ainda que acomodações já estejam ocorrendo.

As tendências nacionalistas que estão se manifestando no Japão provocam um aumento de tensões na Ásia, não se contando com o respaldo claro dos Estados Unidos, e sem uma inserção adequada dos japoneses com seus vizinhos asiáticos, mesmo projetos como o TPP – TransPacific Partnership, considerado com uma das reformas importantes, pode sofrer restrições dos demais membros que estão discutindo esta ampla criação de uma zona de livre comércio.

Longas marchas ainda serão necessárias para a completa recuperação da economia japonesa, exigindo uma capacidade de acomodação diplomática para reduzir as tensões que, infelizmente, ainda estão se elevando.


6 Comentários para “Ainda os Salários Reais na Abeconomics”

  1. Larissa Mendes
    1  escreveu às 21:48 em 5 de Fevereiro de 2014:

    O senhor acredita no sucesso do Abeconomics?

  2. Paulo Yokota
    2  escreveu às 18:34 em 6 de Fevereiro de 2014:

    Cara Larissa Mendes,

    Ainda existem reformas difíceis que o Abeconomics precisa introduzir, além de conseguir uma política internacional sem alimentar atritos com seus vizinhos. Nenhum país vive isolado no atual mundo globalizado.

    Paulo Yokota

  3. Jorge Batista de Oliveira
    3  escreveu às 11:54 em 6 de Fevereiro de 2014:

    Ao menos, o Shinzo Abe é um político OUSADO, pois, no Brasil, os nossos governadores, senadores, deputados, vereadores etc. são, na maioria, de PÉSSIMA qualidade. E o nosso país vai cada vez ficando para trás…

    FANTÁSTICO blog! Abração!

  4. Paulo Yokota
    4  escreveu às 18:33 em 6 de Fevereiro de 2014:

    Caro Jorge Batista de Oliveira,

    Obrigado pelo comentário. Ele já foi Primeiro Ministro por um período curto e não obteve sucesso. Realmente está mais ousado, pois o Japão passou por um longo período de imobilismo. Se vai obter sucesso, ainda vai depender das reformas e da capacidade de encontrar um meio de se inserir melhor nos interesses da região asiática, inclusive consolidando suas alianças com os Estados Unidos.

    Paulo Yokota

  5. J. Akira
    5  escreveu às 03:31 em 7 de Fevereiro de 2014:

    Sou dekassegui no Japao. Meu salario em termos nominais eh quase metade de ha 20 anos atras. Hoje ganho 230 mil ienes, naquela epoca ganhava ate 430 mil ienes por mes. Cade o Abenomics para os dekasseguis?

  6. Paulo Yokota
    6  escreveu às 08:51 em 7 de Fevereiro de 2014:

    Caro J. Akira,

    Obrigado pelo comentário. Realmente, o Abeconomics atua contra os menos privilegiados no Japão, inclusive idosos, agricultores como trabalhadores estrangeiros.

    Paulo Yokota


Deixe aqui seu comentário

  • Seu nome (obrigatório):
  • Seu email (não será publicado) (obrigatório):
  • Seu site (se tiver):
  • Escreva seu comentário aqui: