Tentando aproximar a Ásia da América do Sul e vice-versa

Educação Superior Online nos Estados Unidos

11 de Fevereiro de 2014
Por: Paulo Yokota | Seção: Cultura, Editoriais, Notícias | Tags: , , | 2 Comentários »

Um artigo publicado no site da revista The Economist informa sobre a possibilidade de que o ensino online, que está se multiplicando nos Estados Unidos, venha a prejudicar a custosa economia da educação superior naquele país. O tradicional sistema de ensino superior não teria se modificado sensivelmente desde o século XI, mas com a intensificação do uso dos sistemas eletrônicos está se processando uma rápida alteração no quadro. Os professores estão publicando suas aulas e palestras na web, e os alunos se interagem uns com os outros, e apresentam seus trabalhos por e-mail. Mesmo os que frequentam os campus universitários estão complementando seu aprendizado pela internet, deixando somente as salas de aula para os exames finais.

As universidades estão juntando os seus esforços no chamado MOOCs – Massive Open Online Courses, de forma independente, e apesar de estarem na fase experimental, podem dar uma luz sobre a economia do ensino superior e suas mudanças. Duas forças estariam sustentando as universidades: a proximidade física dos estudantes com os demais, professores e instalações, cujo custo marginal seria elevado; a produtividade na universidade seria difícil de ser elevada, pois cada professor poderia ensinar somente algumas centenas de alunos cada semestre, e docentes adicionais acabam reduzindo os salários para níveis mais modestos.

harvardmitView of Princeton University

Universidades de Harvard, MIT e Princetown

O MOOCs trabalharia de forma complementar e seus custos marginais seriam praticamente nulos, podendo adicionar novos estudantes sem aumento das despesas. Os custos fixos para a criação dos custos seriam elevados, com a preparação dos currículos, produção do material escrito e gravações para explicá-los, bem como criação de um site interativo para facilitar a discussão e permitir um feedback. O resto seria vendê-los para o máximo de alunos possíveis, o que levaria a maximizar as inscrições e elevar os lucros.

Estes cursos poderiam competir em qualidade e os superstars que seriam seus professores tendem a ganhar a competição, ficando com quase tudo. Os livros didáticos já se adaptam a estes cursos, com design adequado, mas a sua reprodução é barata, e já respondem por cerca da metade do mercado norte-americano. Os melhores professores conseguem centenas de milhares de alunos.

As pesquisas efetuadas pelas autoridades educacionais dos Estados Unidos descobriram que os alunos que completam estes cursos conseguem melhores resultados do que os alunos face to face.

Estudos informam que os MOOCs ameaçam diferentes universidades de diversas maneiras. As instituições menos seletivas tendem a serem substituídas pelo MOOCs. O conteúdo do curso é muitas vezes padronizado e a interação com os professores é limitada, para manter os custos baixos. As taxas dos cursos são baixos e pagos nos seus inícios, mas existem custos elevados para o seu abandono, havendo algumas que tendem a se tornar portais de cursos dados em outros lugares.

Instituições de elite enfrentam circunstâncias diferentes. Elas funcionam como empresas de capital de risco, oferecendo educação trabalhosa subsidiada por doações, para estudantes altamente qualificados. Visam também retornos futuros dos alunos com doações. Mas também pode haver um resultado adverso, na medida em que cursos são oferecidos para estudantes online, criando uma impressão que os alunos regulares estão fazendo o papel de idiotas. Parece que para elas é melhor preservar a sua exclusividade.

Para os estudantes do exterior, desde que tenham condições econômicas para tanto, parece que estes MOOCs podem ser um instrumento interessante para o bacharelado, mas os pós-graduados devem exigir as frequências nas grandes universidades, com a formação de relacionamentos com professores e colegas.


2 Comentários para “Educação Superior Online nos Estados Unidos”

  1. Mayara Souto
    1  escreveu às 21:10 em 11 de Fevereiro de 2014:

    Curso on line? Nada substitui professor e alunos em sala de aula!

  2. Paulo Yokota
    2  escreveu às 09:10 em 12 de Fevereiro de 2014:

    Cara Mayara Souto,

    Obrigado pelo comentário. Infelizmente, também existem professores que pouco conhecem de didática, e muitos destes cursos online estão bem avaliados pelas autoridades norte-americanas, ainda que também tenham suas limitações.

    Paulo Yokota


Deixe aqui seu comentário

  • Seu nome (obrigatório):
  • Seu email (não será publicado) (obrigatório):
  • Seu site (se tiver):
  • Escreva seu comentário aqui: