Tentando aproximar a Ásia da América do Sul e vice-versa

O Sacrifício do Jornalista Cinematográfico Santiago Andrade

11 de Fevereiro de 2014
Por: Paulo Yokota | Seção: Editoriais, Imprensa, Notícias | Tags: , , , | 2 Comentários »

Se havia alguma dúvida sobre as intenções criminosas do chamado Black Bloc, que com o emprego da violência de toda ordem procurava perturbar até as manifestações públicas mais legítimas, ela acabou se expondo por completo de forma mais lamentável. Constituído por uma quadrilha de antidemocratas, mascarados para poder iludir parte da opinião pública, o Black Bloc caiu por terra diante de fatos objetivos, inclusive pelo comunicado que distribuiu. Seus membros procuravam um cadáver que poderia emocionar a opinião pública brasileira, ajudando a multiplicar manifestações emotivas de grandes massas, generalizando o caos. Mas, com os seus meios irracionais para atingir qualquer manifestante, provocando uma reação de força das autoridades, acabou por atingir um membro querido de todos da imprensa, o jornalista cinematográfico Santiago Andrade, da TV Band, cujo sacrifício deve ajudar o retorno à racionalidade.

A sociedade brasileira por todos os meios que dispõe está se manifestação pela necessidade de punição exemplar dos criminosos, não somente os malucos que decidiram executar o que provocou o incidente, mas principalmente os que estão na sua retaguarda, articulando um movimento destruidor, aproveitando as oportunidades de reivindicações que podem ser legítimas. Mentes criminosas, em número limitado, que pensam poder manipular as massas para atingir seus objetivos criminosos, nada menos que o caos. A opinião pública está expressando o total repúdio à violência.

f_230762

Momento em que Santiago Andrade é atingido pela explosão do rojão

Ninguém pode ficar indiferente diante destes fatos. É preciso condenar claramente movimentos como o Black Bloc, pois atingir manifestantes inocentes, destruir patrimônio público ou privado, agredir as forças policiais em nada ajudam a melhorar as condições de vida da população. Santiago Andrade, deixando explícito o desejo de doar todos os seus órgãos, engrandeceu, mesmo no momento de seu desaparecimento, os caminhos que podem provocar algumas melhorias para todos, da forma possível, uma solidariedade que supera o egoísmo dos seres humanos.

Os jovens poderiam aprender um pouco com seu gesto. Por mais justos que sejam, não basta reivindicar, mas mostrar os caminhos pelos quais as melhorias poderiam ser atingidas para beneficiar os outros. Não existe milagre, lamentavelmente, e os recursos disponíveis sempre serão limitados e as aspirações infinitas.

Todos os avanços, em qualquer sociedade, serão sempre difíceis, e não será destruindo patrimônios públicos ou privados, ignorando as legislações que regem a nossa convivência em sociedade, até com aqueles com os quais não concordamos, que teremos condições para conseguir, pela vontade coletiva, um pouco mais para todos. Tudo com muito trabalho.

Mesmo reconhecendo que os benefícios do desenvolvimento nem sempre sejam distribuídos de forma satisfatória para todos, certamente não será com as destruições que vamos conseguir melhorias.

Também a convivência democrática exige um constante aperfeiçoamento que vamos aprendendo com a sua prática. Já avançamos um pouco, ainda temos que melhorar muito, mas não será pela violência.

Que as duras lições deste episódio nos ajudem para que muitos vejam que a democracia continua sendo o duro mecanismo pelo qual podemos conseguir melhorias para todos, onde a liberdade da imprensa será sempre um fundamento importante.


2 Comentários para “O Sacrifício do Jornalista Cinematográfico Santiago Andrade”

  1. Juliana Gomes (Rio de Janeiro)
    1  escreveu às 13:04 em 11 de Fevereiro de 2014:

    Muito bom artigo!

  2. Paulo Yokota
    2  escreveu às 13:45 em 11 de Fevereiro de 2014:

    Cara Juliana Gomes,

    Muito obrigado pelo comentário.

    Paulo Yokota


Deixe aqui seu comentário

  • Seu nome (obrigatório):
  • Seu email (não será publicado) (obrigatório):
  • Seu site (se tiver):
  • Escreva seu comentário aqui: