Tentando aproximar a Ásia da América do Sul e vice-versa

Os Perturbadores Encargos Com os Idosos

4 de Fevereiro de 2014
Por: Paulo Yokota | Seção: Cultura, Editoriais, Notícias | Tags: , , ,

Um artigo publicado em português no suplemento do The New York Times encartado na Folha de S.Paulo descreve a situação dos idosos americano-asiáticos mostrando não só os dramas deles, mas de todos os idosos que continuam aumentando em todo o mundo proporcionalmente. Mas, fortemente influenciados pelos ensinamentos de Confúcio, muitos asiáticos sentem a necessidade de assistirem seus idosos, mesmo sacrificando a necessidade de cuidarem de suas próprias vidas. Na medida em que estes idosos não possuem a capacidade de se comunicar adequadamente em inglês, havendo também uma cultura diferente, não se ajustam às clínicas locais que se multiplicam para atender os idosos norte-americanos.

O artigo começa a referir-se aos idosos de origem vietnamita com doenças como Alzheimer que imaginam estar retornando à sua terra natal e precisam ser cuidados pelos seus descendentes que deixam os seus empregos. Como estes casos são muitos, existem organizações que procuram orientar os cuidadores nos seus pesados encargos que acabam estressando a todos, ainda reforçado pelo senso de responsabilidade de uma cultura que lhes foram incutidas ao longo do tempo nos seus países de origem.

idosoidosos_asiaticos

Foto: Burger/Phanie/Rex Features                           Foto: Jessica Kourkounis/The New York Times

A tendência demográfica é que estas populações tendem a aumentar fazendo com que estes casos se multipliquem, nem sempre havendo descendentes que possam cuidar destes idosos. Instituições se multiplicam para conseguirem atendimento para eles, havendo muitos com mais de 90 anos.

O artigo informa que o número de suicídios de mulheres com mais de 75 anos de origem asiática nos Estados Unidos é quase o dobro de todos os norte-americanos. Para muitos, a internação destes idosos não é uma opção, pelos seus condicionamentos culturais.

Existe um programa chamado Passi – Penn Asian Senior Service que procura ensinar estes cuidadores, mas percebe-se que o seu estresse não pode ser evitado. Muitos idosos precisam ser atendidos em coreano, mandarim e vietnamita.

A AARP – Associação Americana de Aposentados procura se preocupar com estes americano-asiáticos que se foca no prestar serviços, que acaba tendo um sentido diferente dos norte-americanos.

Todos sabem que estes problemas existem em todos os países, mas tudo indica que a tendência dos asiáticos é no sentido de uma vida mais longa do que as populações de outras origens, mostrando que as populações idosas são de maior percentual, o que agrava as dificuldades, com a existência de uma cultura com influência confuciana que reforça o senso de responsabilidade dos seus descendentes nestes serviços, que sempre são desgastantes ainda que paliativos, pois muitos são doentes terminais como de câncer.



Deixe aqui seu comentário

  • Seu nome (obrigatório):
  • Seu email (não será publicado) (obrigatório):
  • Seu site (se tiver):
  • Escreva seu comentário aqui: