Tentando aproximar a Ásia da América do Sul e vice-versa

Mudanças no Comportamento Empresarial dos Japoneses

17 de Março de 2014
Por: Paulo Yokota | Seção: Economia, Editoriais, Notícias | Tags: , , ,

A nova política econômica do governo japonês está conseguindo com que as empresas do Japão se tornem mais agressivas na ampliação de suas atividades. No chamado Abeconomics, com uma política de expansão dos créditos, conseguiu-se uma desvalorização cambial que está voltando a tornar as empresas japonesas competitivas nos mercados externos. Muitas estão captando recursos no mercado e contraindo empréstimos para ampliar suas atividades, ao mesmo tempo em que promovem aumentos dos salários pagos, bem como dividendos aos seus acionistas. Depois de décadas de deflação e pouco entusiasmo nas suas expansões, estão com planos mais agressivos, notadamente na ampliação de suas capacidades de produção no exterior. Estas notícias estão sendo divulgadas pelo Nikkei Asian Review, ajudando na formação de uma opinião pública favorável para estas expansões.

Reporta-se que ampliaram suas dívidas em 2013 em US$ 185 bilhões, algo como 10% com relação ao ano anterior, sendo que os recursos estão sendo canalizados para novas fábricas e equipamentos. Pelos dados compilados pelo The Nikkei entre 1.700 empresas listadas na bolsa, excluindo as de instituições financeiras e de energia elétrica, 40% das empresas aumentaram suas dívidas no ano passado. Há uma evidente mudança do clima, e os empresários demonstram a mudança de sua confiança, esperando aumento das vendas e dos seus lucros.

nikkei

Publicado no Nikkei Asian Review

Alguns exemplos são citados, como a Fujitsu que aumentou sua tomada de empréstimos em 30% no final de 2013, para efetuar investimentos. A Honda também aumentou suas dívidas para ampliar suas unidades em Saitama, no Japão, como no México, Indonésia e Índia. A KDDI está construindo estações base para a comunicação sem fio de alta velocidade para conseguir vantagens sobre seus concorrentes.

A Mitsubishi Logística está ampliando suas instalações comerciais em Kobe e novos edifícios em Tóquio. A Yamato Holding, empresa líder em entrega domiciliar, construiu um dos maiores centros de distribuição para entrega no mesmo dia. A Nippon Meat Packers está lançando obrigações conversíveis no mercado.

Muitas empresas japonesas estão ampliando os seus projetos para obter água potável no exterior, a maioria decorrente da dessalinização da água do mar. Um grande projeto é da Hitachi no Iraque, inclusive em parceria com empresas francesas e locais, como a que está sendo implantada no Egito. Também estão sendo feitos em conjunto com os ingleses, trocando informações tecnológicas. Também estão sendo aproveitadas as águas residuais, como em Riad na Arábia Saudita, havendo empreendimentos com outras empresas japonesas de bombas hidráulicas e de engenharia.

Diferentes tecnologias de processamento de água também estão sendo tentados, como a da Maezawa Industries na Tailândia, envolvendo também a construção civil. Outra é a Amata que elimina impurezas com resinas de flúor.

Uma que operava no Brasil, a Kurita, está unificando operações feitas em quadro unidades no Sudeste Asiático, tendo como base Cingapura e envolvendo mercados como o da Indonésia e a Tailândia.

Está se reconhecendo que a água se torna um produto estratégico e as experiências destas empresas poderiam ajudar a minorar os problemas de abastecimento de água em grandes metrópoles como São Paulo, ainda que o Brasil conte com disponibilidades em outras regiões como a Amazônica.



Deixe aqui seu comentário

  • Seu nome (obrigatório):
  • Seu email (não será publicado) (obrigatório):
  • Seu site (se tiver):
  • Escreva seu comentário aqui: