Tentando aproximar a Ásia da América do Sul e vice-versa

Aos Trancos e Barrancos Para a Copa do Mundo

5 de Maio de 2014
Por: Paulo Yokota | Seção: Editoriais, Notícias | Tags: , , ,

Ainda que todos os brasileiros estejam preocupados com os atrasos nos preparativos da Copa do Mundo bem como todas as dificuldades previsíveis, parece que não existe alternativa do que acreditar na capacidade de improvisações deste povo do Brasil. Todos hão de concordar que as limitações aumentaram em todo o mundo, ao mesmo tempo em que a positiva disseminação das informações exacerba as aspirações populares, ainda que as limitações sejam crescentes e conhecidas. Que sempre as tensões poderiam ser menores, ninguém duvida, mas o Brasil veio ao longo de sua história realizando muitas coisas que muitos duvidavam. Já somos penta, o que seleção de nenhum país conseguiu.

Todos acreditam que os brasileiros estão entre os que mais apreciam o futebol, ainda que sempre estejam insatisfeitos com o que se pratica atualmente no país. Muitos dos melhores jogadores e a grande maioria dos que devem participar da seleção que disputará a Copa do Mundo estão atuando no exterior onde as condições de suas remunerações são gritantemente superiores. Mas, todos aspiram vestir a camisa da seleção, dando o melhor de si para conseguir resultados que possam dar alegria a um povo tão sofrido. Todas as providências desejáveis deveriam já estar concluídas, mas o grosso já está efetuado, faltando detalhes que se espera não prejudiquem o conjunto.

taçaselecao-brasileira

Nunca há uma unanimidade em futebol, principalmente no Brasil, mas a grande parte da população brasileira sempre vibra com a seleção, ainda que cada brasileiro seja um técnico, tendo as suas próprias opiniões. Quando se trata de criticar os seus dirigentes, também quase existe uma unanimidade. O futebol é o esporte mais popular do mundo, o que movimenta metade da publicidade voltada para todas as demais modalidades esportivas.

Todos imaginavam que seria extremamente difícil o Brasil vencer a Copa das Confederações e que sua organização poderia ser complicada, mas mais uma vez se comprovou o velho ditado que “Deus é brasileiro”, e a seleção a conquistou com a incorporação de novos talentos. Nem todos ficaram totalmente satisfeitos, como não é de se esperar que ocorra na Copa do Mundo, mas se a maioria considerar-se compensada, já terá valido a pena.

Talvez não tenhamos a oportunidade de tirar todo o proveito para o país, principalmente dos benefícios futuros que poderiam ser proporcionados para o Brasil. Mas deve-se reconhecer que sempre foi assim, e se no balanço final acabarmos com saldo positivo, devemos nos considerar compensados.

Seria possível reclamar dos critérios da FIFA – Federação Internacional de Futebol, mas deve-se reconhecer sempre que houve suas limitações, tanto nos países desenvolvidos, como principalmente no mundo emergente. Certamente, não é uma das entidades que seria o sonho da maioria do mundo, mas lamentavelmente é o que existe e continua detendo o poder para tanto, ainda pelas próximas décadas.

Para ser um pouco cínico, seria preciso reconhecer que em nenhum esporte profissional os seus dirigentes não são formados por anjos, mas por seres humanos com todas as suas limitações. Como também entre as autoridades brasileiras relacionadas com estas atividades.

Ainda assim, o futebol está entre as atividades capazes de galvanizar as aspirações nacionais, principalmente quando conquista resultados que são os mais expressivos no cenário internacional ao longo do tempo. Mas, sem os resultados não forem os aspirados por todos os brasileiros, deve servir como desafio como pelos quais já passamos, para novas conquistas futuras.

Sou dos que acreditam que os que se manifestam hoje contra a Copa do Mundo deixam de participar da grande corrente majoritária que possui a paixão de um dos fenômenos que mais tem proporcionado alegrias para o povo brasileiro, ainda que não me considere nenhum fanático. Acredito que vamos fazer o melhor que podemos, talvez nem tudo que todos aspiram.



Deixe aqui seu comentário

  • Seu nome (obrigatório):
  • Seu email (não será publicado) (obrigatório):
  • Seu site (se tiver):
  • Escreva seu comentário aqui: