Tentando aproximar a Ásia da América do Sul e vice-versa

Economia Chinesa Pode Ultrapassar a do EUA Neste Ano

1 de Maio de 2014
Por: Paulo Yokota | Seção: Economia, Editoriais, Notícias | Tags: , ,

Já há algum tempo que os economistas estão usando o chamado PPP – Poder de Paridade de Compra para medir os tamanhos das economias do mundo, como a unidade mais adequada, pois os câmbios variam demasiadamente, e o custo dos produtos e serviços muda exageradamente de um país para o outro. Por exemplo, um dólar norte-americano pode comprar muito mais no Brasil do que na Suíça, que é considerado o país mais caro do mundo. Mesmo com todas as precariedades das estimativas do chamado Produto Nacional em muitos países, todos procuram utilizar uma metodologia básica sugerida pelas Nações Unidas. Com base nestas informações, Chris Giles, editor do Financial Times, utilizou os dados compilados pelo International Comparison Program do Banco Mundial, publicando o seu artigo que também foi parcialmente traduzido para o português na Folha de S.Paulo.

As indicações atualizadas com o uso de novas metodologias informam que a China pode ultrapassar os Estados Unidos ainda neste ano, quando todos esperavam que isto pudesse ocorrer possivelmente em 2019, pois o crescimento da economia norte-americana é bem menor do que a chinesa, ainda que em termos per capita ela ainda esteja bem mais elevada, pelas diferenças das dimensões populacionais nos dois países. Os países pobres e emergentes continuam crescendo mais que os ricos, fazendo com que a distância entre os países tendam a diminuir com o tempo. As indicações permitem observar que a Índia tenha atingido uma posição elevada, talvez dos primeiros lugares. Os Estados Unidos mantinham a liderança desde 1872, quando ultrapassaram o Reino Unido na época.

007-skyfall-filmagens-em-shangai-em-17-01-12-01shanghai-china2

Cidade de Xangai, um exemplo de pujança da China

O autor do artigo deve ter obtido esta informação de forma privilegiada, pois no site do International Comparison Program do Banco Mundial os dados disponíveis referem-se somente até 2011, não permitindo uma análise mais completa por ora. Mas o artigo menciona que países emergentes como a Rússia, o Brasil, a Indonésia e o México estariam sendo beneficiados por estes critérios, figurando entre os doze maiores no quadro geral. Estas estimativas estão sendo utilizadas por entidades internacionais, como o Banco Mundial e o FMI – Fundo Monetário Internacional.

O artigo prevê que deverá se acirrar a disputa de poder, onde os países emergentes procuram ampliar o seu poder nestas instituições internacionais, como dirigentes, pois suas economias estão crescendo em importância. Países como o Japão e o Reino Unido estariam sendo prejudicados, pois em termos de PPP os custos nestes países seriam elevados, quando nos emergentes são relativamente mais baixos.

Estas informações são alvissareiras, pois indicariam que o fosso existente entre os países ricos e pobres estariam diminuindo, quando ainda são escandalosos. Os ricos ainda são responsáveis por 50 por cento do PIB mundial, ainda que suas populações representem somente 17% do total.

Espera-se que brevemente estejam disponíveis para todos os dados detalhados destas estimativas, de forma que haja possibilidade de uma análise mais cuidadosa, principalmente o que estaria acontecendo nos países que estão aumentando a sua importância econômica no mundo atual.



Deixe aqui seu comentário

  • Seu nome (obrigatório):
  • Seu email (não será publicado) (obrigatório):
  • Seu site (se tiver):
  • Escreva seu comentário aqui: