Tentando aproximar a Ásia da América do Sul e vice-versa

Embraer Com Aeronaves Para Mais Bagagens

20 de Maio de 2014
Por: Paulo Yokota | Seção: Economia, Editoriais, Notícias | Tags: , , ,

Como todos sabem, a Embraer é a quarta indústria de aeronaves comerciais no mundo, competindo acirradamente nas aeronaves para médias distâncias de baixos custos operacionais com a Bombardier canadense, a Mitsubishi japonesa e a Sukhoi russa para os próximos anos, as chamadas regionais, que possuem somente uma passagem entre as fileiras de poltronas. Quando todos estão reduzindo os espaços para os passageiros e suas bagagens, a Embraer está ampliando para as bagagens. Os que usam o transporte aéreo com frequência percebem que os passageiros preferem hoje levar à bordo sua bagagem como se fossem de mão para evitar perdas de tempo esperando a chegada das mesmas, notadamente nos deslocamentos de média distância. Muitas companhias aéreas perdem tempo acomodando as bagagens, principalmente dos últimos passageiros a embarcarem. A Embraer está se propondo a resolver estes problemas dos passageiros e das companhias aéreas, aumentando em 40% a capacidade das bagagens à bordo quando comparado com as atuais aeronaves.

Em média, as empresas aéreas estão cobrando US$ 25 por bagagem despachada, o que também é uma fonte de renda delas. Mas, muitos fabricantes de aviões estão preocupados com a satisfação dos passageiros que, mais exigentes, utilizam a internet para obterem informações sobre os limites e serviços das transportadoras. Os especialistas no assunto entendem que a Embraer vai se beneficiar com a orientação que está adotando, pois satisfará tanto os passageiros como os tripulantes que não precisam ficar “brigando” com eles por causa das bagagens, demorando em decolagens. As primeiras aeronaves com o novo desenho deverão ser entregues em 2018.

E195-E2-recorte-de-imagem-Embraer

As bagagens à bordo nas novas aeronaves da Embraer poderão ter 56 X 46 X 25 centímetros, maior do que a United Continental estabeleceu desde março para todos os seus voos, não somente regionais. Estas aeronaves devem ter, além da eficiência operacional, inclusive baixo consumo de combustíveis e custos de manutenção, uma maior satisfação dos passageiros.

A Bombardier, que tem uma posição de líder no mercado deste tipo de aeronaves, não está conseguindo atrair as empresas aéreas mais conhecidas. A Embraer deve conseguir as encomendas da American Airlines, e os Estados Unidos é o seu melhor mercado. A rentabilidade da Embraer está sendo superior ao da Bombardier nestas aeronaves.



Deixe aqui seu comentário

  • Seu nome (obrigatório):
  • Seu email (não será publicado) (obrigatório):
  • Seu site (se tiver):
  • Escreva seu comentário aqui: