Tentando aproximar a Ásia da América do Sul e vice-versa

Os Problemas da Abeconomics Para os Pobres Japoneses

19 de Maio de 2014
Por: Paulo Yokota | Seção: Economia, Editoriais, Notícias | Tags: , , , | 4 Comentários »

A tendência é da opinião pública internacional considerar que países desenvolvidos como o Japão não apresentam problemas para suas camadas mais pobres. No entanto, existem alguns segmentos que não são desprezíveis na população japonesa que estão sofrendo com os ajustes da economia provocados pelo Abeconomics, entre eles os agricultores, os idosos e os mais pobres que existem naquele país também. Os agricultores, normalmente idosos, estão sendo submetidos às reduções de tarifas dos produtos importados, como compensação da possibilidade de exportação de industrializados, dentro do chamado TPP – TransPacif Partnership, quando já não contavam com situações privilegiadas. O arroz está sendo crescentemente importado, como as carnes de diversos tipos, principalmente da Austrália e dos Estados Unidos, sem que existam muitas alternativas.

Os idosos estão sofrendo restrições das assistências sociais, até porque continuam aumentando e seus custos não conseguem ser arcados pelas populações em idade útil. As assistências médicas estão exigindo parcelas de pagamentos dos pacientes, inclusive dos idosos. Um artigo do The Japan Times elaborado por Chang-Ran Kim menciona o caso de uma mulher, mãe solteira de 49 anos, que luta para se manter com sua filha, apesar de contar com um emprego e trabalhar parte do tempo para assistir idosos nos hospitais. Na noite de Natal, teve que ir buscar água com alguns vasilhames plásticos nos jardins públicos, pois cortaram a sua água por falta de pagamento.

(Kazu, favor ilustrar este artigo com uma foto que estou enviando abaixo, retirado do artigo do The Japan Times, mesmo com a legenda em inglês, dando o devido crédito)

clip_image002

Ririko Saito and her 11-year-old daughter, Yumi, eat dinner together, one of only two meals they have each day to keep household costs low, at their apartment in Tokyo on Wednesday. She is one of a growing army of working poor in a society that continues to pride itself on being egalitarian, despite a decades-long rise in poverty. | REUTERS

Com o chamado Abeconomics, as assistências sociais estão sendo reduzidas, ao mesmo tempo em que os impostos das vendas foram elevados de 5 para 8%, como uma primeira fase. O impacto sobre os pobres é insustentável.

Ela não acreditava que, mesmo sem o pagamento da conta de água, ela seria punida na época do Natal e Ano Novo, mas isto ocorreu. Os japoneses que estão classificados como de pobreza relativa são 16%, o sexto mais elevado dos países do OCDE. O artigo informa que 19,7 milhões de japoneses hoje estão classificados como trabalhadores pobres, representando 38% da força de trabalho.

Os japoneses alegam que existem muitos sem teto no Japão, mas que eles são voluntários vivendo nos jardins e nas estações de metrô para dormirem. Na realidade, os idosos que são sacoleiros como nas grandes metrópoles mundiais, também existem no Japão, onde os laços familiares se enfraqueceram.

A política do governo está punindo estes menos favorecidos da sociedade japonesa, antes de proporcionarem a recuperação que dificilmente os beneficiará. Os mais jovens, que possuem habilidades para conseguirem novas atividades, conseguem escapar desta armadilha.

Tudo isto mostra que, mesmo nos países desenvolvidos, os ajustamentos às novas situações acabam sendo dolorosos, atingindo sempre os menos favorecidos.


4 Comentários para “Os Problemas da Abeconomics Para os Pobres Japoneses”

  1. Hugo Penteado
    1  escreveu às 14:11 em 20 de Maio de 2014:

    É uma vergonha que nos países ricos, Japão, Europa e Estados Unidos, tenham tantos pobres. Mostra que o sistema não funcionou para eliminar a pobreza. Nos EUA também há uma parcela não desprezível (30 milhões de pessoas) em pobreza severa. Outra faceta do sistema atual é o distanciamento entre os mais ricos e os mais pobres, algo que sistema algum resolveu. Não faz o menor sentido haverem bilionários, assim como não faz o menor sentido e é contra o futuro da humanidade ter apenas seis corporações mundias dominando quase todo sistema de produção e consumo. Temos que remodelar o sistema econômico inteiro, começando a incluir nele as pessoas que nunca forma incluídas e o meio ambiente.

    Abraço Hugo

  2. Paulo Yokota
    2  escreveu às 16:49 em 21 de Maio de 2014:

    Caro Hugo Penteado,

    Obrigado pelas observações. O problema é como fazer isto de forma democrática.

    Paulo Yokota

  3. Nikos Magnus
    3  escreveu às 06:15 em 26 de Maio de 2014:

    Qual a principal razão para que alguns japoneses não consigam subir na escala social?
    Falta de estudo? Conhecimentos gerais? Poucas oportunidades?

  4. Paulo Yokota
    4  escreveu às 08:40 em 26 de Maio de 2014:

    Caro Nikos Magnus,

    Em algumas sociedades desenvolvidas com longa tradição cultural a mobilidade social é mais lenta, apesar dos jovens estarem provocando uma nova onda de mudanças. Já há um nível educacional generalizado, com poucas diferenciações, não servindo como mecanismo de ascensão social como nos países emergentes. O nível de empreendedorismo no Japão é relativamente baixo, pois a sociedade japonesa é bastante hierarquizada pela influência do Confucionismo, como ocorre em muitos países asiáticos.

    Paulo Yokota


Deixe aqui seu comentário

  • Seu nome (obrigatório):
  • Seu email (não será publicado) (obrigatório):
  • Seu site (se tiver):
  • Escreva seu comentário aqui: