Tentando aproximar a Ásia da América do Sul e vice-versa

Riscos Climáticos e Acidentes Naturais

25 de Maio de 2014
Por: Paulo Yokota | Seção: Economia, Editoriais, Notícias | Tags: , , ,

Os aumentos dos pontos de observação de fenômenos climáticos estão permitindo a redução dos riscos que eles podem provocar. O fenômeno El Niño já é conhecido há muito tempo, e hoje se sabe que causam problemas climáticos na Ásia como até na América do Sul, prejudicando as safras agrícolas com excessos ou carências de chuva. Também agravam ocorrências de tufões no Pacífico, e hoje existem satélites que podem antecipá-los de forma que a defesa civil de muitos países possam tomar medidas preventivas. Duas notícias publicadas no Japão antecipam o conhecimento destes problemas, que também podem ajudar na América do Sul como no Brasil.

Um artigo publicado por Masayuki Yuba no Nikkei Asian Review informa que está se formando o El Niño que dão indícios mais fortes no Sudeste Asiático e até no Pacifico e a seca deste ano pode ser mais rigorosa. Ainda que a Segunda Revolução Verde esteja preparando sementes como do arroz resistentes às reduções das chuvas, ainda a produção de cereais no Sudeste Asiático pode provocar a diminuição de sua oferta no mercado, que antecipando as dificuldades já estão pressionando seus preços na Índia como nas Filipinas. O fenômeno que pode chegar até as Filipinas tende a chegar até a América do Sul. Verifica-se que o aquecimento das águas, principalmente nas correntes marítimas do Oceano Índico até o Pacífico, indicam fortes possibilidades, que não costumam ser erradas, infelizmente. Informa-se que seja a mais forte dos últimos cinco anos, com a redução das chuvas em 5% com relação ao habitual.

clip_image001

An H-IIA rocket carrying a new mapping satellite lifts off from Tanegashima Space Center in Kagoshima Prefecture on Saturday. | KYODO

Nas Filipinas, os problemas dos tufões acrescentam as dificuldades, provocando também acidentes que afetam a população, exigindo as providências antecipadas da defesa civil.

Ainda que os dados não permitam a sua previsão, é possível que o El Niño acabe provocando problemas na América do Sul e no Brasil nos próximos seis meses, que é a defasagem com relação à Ásia.

Outra noticia publicada no The Japan Times, proveniente das agências noticiosas AFP – JIJI, informa sobre o sucesso no lançamento de um satélite que tem a finalidade específica de acompanhar estas chuvas que podem provocar acidentes geográficos que afetam a população, como outros do tipo terremoto que afeta muitos países do mundo.

A Agência de Exploração Aeroespacial do Japão informa que o satélite será utilizado para o levantamento de danos de desastres naturais e as alterações que afetam as florestas tropicais. Evidentemente, sua atenção é maior com relação ao arquipélago japonês que fica no chamado Anel de Fogo do Pacífico, onde ocorrem 20% de todos os terremotos do mundo. O que atingiu a região de Fukushima exigiu atenções maiores com relação a este assunto.

O satélite denominado Daichi-2 permitirá com um radar especial observar mesmo durante o mau tempo e até através da vegetação das florestas e deverão permitir os estudos das tropicais. Também as condições nas regiões polares serão observadas, acompanhando o degelo que está se acentuando.

Espera-se que todos estes dados ajudem a humanidade a se conscientizar dos problemas que estão sendo enfrentados e medidas preventivas sejam tomadas por todos, governos e empresas, além da colaboração de toda a população.



Deixe aqui seu comentário

  • Seu nome (obrigatório):
  • Seu email (não será publicado) (obrigatório):
  • Seu site (se tiver):
  • Escreva seu comentário aqui: