Tentando aproximar a Ásia da América do Sul e vice-versa

Bloomberg Promovendo Principalmente a Índia

18 de Fevereiro de 2015
Por: Paulo Yokota | Seção: Economia, Editoriais, Notícias, Política | Tags: , ,

clip_image001Todos sabem que a imprensa econômica tem o poder de estimular uma nova onda econômica quando conta com alguns indícios favoráveis para um ciclo desta natureza.

Narendra Modi, primeiro-ministro da Índia, possui uma orientação que agrada a muitos no mundo

Verificando o site da Bloomberg, nota-se que muitos artigos aparentam estar articulados para provocar uma nova onda de investimentos na Índia, pois o seu primeiro-ministro Narendra Modi adota um posicionamento econômico a favor do setor privado intensificando o uso dos mecanismos de mercado, inclusive para atrair investimentos estrangeiros.

Num dos artigos, informa-se que George Soros, um dos investidores internacionais que muitos admiram, está redirecionando seus investimentos nos Estados Unidos, que já se recupera economicamente, para a Europa, que começa a dar indícios de possibilidade de recuperação, e para a Ásia, onde o desenvolvimento começa a se acelerar, notadamente na Índia. Ele seria uma personalidade capaz de antecipar-se à elevação das cotações de ativos, que ainda estariam baratos.

Noutro, faz se referência aos investimentos em infraestrutura na Índia, que começa a se acelerar no governo Narendra Modi, utilizando recursos provenientes de diversas fontes, oficiais e privadas, de diversos países, reconhecendo que a Índia carece de estradas, portos e comunicações para melhor se conectar com o mundo.

Também um artigo é destinado ao Dacheng Law Offices, do advogado chinês Peng Xuefeng, que deste 1992 vem ampliando a organização, contando hoje com 4 mil profissionais, ainda que concentrados na área chinesa, mas que pretende ser a mais ampla em todo o mundo, atuando onde os investimentos estrangeiros estejam crescendo, o que indiretamente acaba beneficiando a Índia.

Um artigo refere-se ao aumento do fornecimento de petróleo russo para a Ásia, quando o resto do mundo enfrenta problemas de redução dos seus preços, o que afeta também o Oriente Médio.

Todos sabem que na Ásia continua se destacando a China, que enfrenta problemas com a manutenção de suas elevadas taxas de crescimento. O mundo ocidental tem preferência por países como a Índia que apresentam no momento uma clara prioridade para as atividades do setor privado e utilização dos mecanismos de mercado, ainda que outros países asiáticos também estejam apresentando perspectivas melhores que os ocidentais.

A intensidade de artigos internacionais em diversos veículos sobre a Índia, mesmo ressalvando alguns dos seus problemas, parece indicar que este país seja a “bola da vez”, esperando-se que não seja uma simples moda, mas a tentativa de sua ascensão aos pontos mais elevados da economia mundial globalizada.



Deixe aqui seu comentário

  • Seu nome (obrigatório):
  • Seu email (não será publicado) (obrigatório):
  • Seu site (se tiver):
  • Escreva seu comentário aqui: