Tentando aproximar a Ásia da América do Sul e vice-versa

Japão Acomoda Lentamente os Transexuais

15 de Fevereiro de 2015
Por: Paulo Yokota | Seção: Cultura, Editoriais, Notícias | Tags: , , | 2 Comentários »

clip_image002O Japão, com uma população vivendo num arquipélago com baixa miscigenação étnica e cultural, apresenta dificuldades para aceitar minorias de qualquer tipo, com seu forte comportamento coletivo bastante uniforme.

Foto que ilustra artigo do The Japan Times, com Kazuki Osawa, um homem transgênico ainda considerado legalmente do sexo feminino, e seu parceiro, Shoi Osawa

Um artigo escrito por Tomohiro Osaki, publicado no The Japan Times, informa sobre a lenta mudança que vem ocorrendo naquele país. Pessoas que se sentiam desajustadas desde criança por serem diferentes logo pensavam em suicídio, como é muito comum naquele país para sair de um impasse, ainda que não seja nem um caso sexual, dada a dificuldade de ajustamento ao padrão dominante.

Cita o caso de Kazuki Osawa, hoje com 26 anos, que já conseguiu uma situação de funcionário público, mas que do ponto de vista legal ainda continua considerado do sexo feminino. Convive estavelmente com seu amigo de infância, Shoi Osawa, que também é do sexo feminino do ponto de vista legal. Quando adolescente, ele tinha que viver de forma artificial, dentro dos padrões aceitáveis pelos japoneses, ainda que não se sentisse confortável com esta situação.

No Japão, o casamento de pessoas do mesmo sexo ainda não é autorizado, mas está aumentando o movimento do LGBT – Lésbicas, Gays, Bissexuais e Transgêneros. Há resistências dos mais velhos e das empresas, e as pesquisas já indicam 5,2% de assumidos, informando-se que muitos sofrem violências.

Já existem movimentos que estimulam a aceitação deles. Algumas empresas já expressam condenações às discriminações de qualquer natureza, entre elas muitas grandes e conhecidas internacionalmente. Seus funcionários estão reivindicando tratamentos iguais com os casados.

Uma discriminação acentuada ocorre nas habitações, pois estão preparadas a acolherem casais formados por homens e mulheres. Também em muitos programas de televisão do Japão existem os que demonstram restrições, o que pode continuar a educar as crianças com sentimentos restritivos.

Os que estão optando por constituir casais do mesmo sexo ainda sofrem toda a ordem de constrangimento. Mas eles lutam para que tenham o mesmo tratamento dos casais sem filhos, que aumentam no Japão. Estão aumentando organizações voluntárias que procuram ajudar os que sofrem tais discriminações.

Mas há que se considerar que no Japão, infelizmente, existem discriminações de muitos tipos que afetam os que saem do padrão considerado normal, como alguma deficiência física. Muitas crianças obesas sofrem constrangimentos, por exemplo.

Deve-se constatar que isto tende a ser mais acentuado no Japão do que em outros países, mas elas estão diminuindo, ainda que as normas legais não sejam ajustadas com a velocidade desejada.


2 Comentários para “Japão Acomoda Lentamente os Transexuais”

  1. Tiklos Greek
    1  escreveu às 02:03 em 17 de Fevereiro de 2015:

    O Japão é um país preconceituoso que visa a igualdade em qualquer aspecto. Ser diferente é motivo para chacotas e o famoso “ijime”. Razão de tantos suicídios e “ibernações” de jovens que não se sentem ajustados a sociedade. O pior é que esse preconceito começa na escola, passa pela casa e depois atinge a criança. Um circulo vicioso difícil de ser quebrado.

  2. Paulo Yokota
    2  escreveu às 23:07 em 18 de Fevereiro de 2015:

    Tiklos Greek,

    Suponho que este seja não seja o seu nome. Reconheço o preconceito existente no Japão, mas acho que existem algumas tendências para a suas modificações, ainda que lentas.

    Paulo Yokota


Deixe aqui seu comentário

  • Seu nome (obrigatório):
  • Seu email (não será publicado) (obrigatório):
  • Seu site (se tiver):
  • Escreva seu comentário aqui: