Tentando aproximar a Ásia da América do Sul e vice-versa

Diversidade de Situações em Três Países Asiáticos

21 de maio de 2015
Por: Kazuhiro Kurita | Seção: Economia e Política, Editoriais e Notícias | Tags: , , ,

clip_image002Na Ásia, os países mais conhecidos acabam sendo a China, a Índia e o Japão. Mas existem outros países que merecem a atenção, como a Coreia do Sul, Filipinas e a Indonésia, segundo William Pesak, que é o responsável pela Bloomberg. Ele está sediado em Tóquio e acompanha o que acontece naquela parte do mundo, apesar das diferenças substanciais de situações econômicas e políticas.

Mapa da Ásia, onde podem ser observadas a Coreia do Sul, Filipinas e a Indonésia

A Coreia do Sul tem uma população aproximada de 48 milhões de habitantes e já conta com um PIB da ordem de US$ 1.449 bilhões e tem no seu comando Park Geun-hye, cujo pai já foi o grande líder que provocou o seu desenvolvimento depois da Segunda Guerra Mundial e da Guerra da Coreia, que acabou provocando a sua divisão com a Coreia do Norte. Ficou conhecida como um Tigre Asiático, com uma acentuada agressividade na exportação com base nos conglomerados familiares conhecidos como “chaebol”, dos tipos Samsung, Hyundai e LG.

clip_image003

Park Geun-hye, presidente da Coreia do Sul

Apesar de ter iniciado o seu governo pretendendo reduzir a importância relativa das “chaebol”, estimulando iniciativas de pequenas e médias empresas para acelerar a sua competitividade com uma economia criativa, não conseguiu o seu intento. Hoje, os grandes aglomerados aumentaram a sua importância e ela perdeu o seu ímpeto reformista. A Samsung sozinha representa cerca de 25% do PIB daquele país, que não tem mais o dinamismo do passado.

As Filipinas, ex-colônia espanhola, conta com uma população de 100 milhões de habitantes e tem somente um PIB de cerca de US$ 289 bilhões, sendo dos mais pobres da Ásia. Foi ocupada pelos japoneses na Segunda Guerra Mundial, e acabou recebendo uma forte influência norte-americana com o fim do conflito mundial. Comandado hoje por Benigno Aquino III, filho de Corazon Aquino, que também presidiu o pais, depois da morte do seu pai, que era o líder da oposição ao ditador Ferdinand Marcos. Sua família tem longa tradição política no país.

clip_image005

                                   Presidente das Filipinas Benigno Aquino III

Apesar de tentar combater a corrupção, seu provável sucessor, que é o atual vice-presidente, está sendo acusado de irregularidades. Procurou associar-se com a Igreja Católica que é poderosa no país, mas não conseguiu resultados expressivos. As Filipinas continua sendo uma grande exportadora de mão de obra barata.

A Indonésia está sendo comandada, ainda que por pouco tempo, por Joko “Jokowi” Widodo, que não tem família com características de uma dinastia nem origem militar. Começou a sua administração declarando-se independente, procurando atrair investimentos estrangeiros.

1428725281613

Joko “Jokowi” Widodo, presidente da Indonésia

Mas com a confusão em que se envolveu sua política, tornou-se um populista com características nacionalistas e protecionistas, não se sabendo como o país vai evoluir. Como tem um longo mandato de quatro anos, ainda poderá se recuperar. Por estas informações, pode-se constatar que na maioria dos países emergentes, em qualquer parte do mundo, existem problemas tanto econômicos como políticos, onde as tradições democráticas ainda não estão suficientemente consolidadas.



Deixe aqui seu comentário

  • Seu nome (obrigatório):
  • Seu email (não será publicado) (obrigatório):
  • Seu site (se tiver):
  • Escreva seu comentário aqui: