Tentando aproximar a Ásia da América do Sul e vice-versa

Exportações Brasileiras de Industrializados com Cautelas

18 de Janeiro de 2016
Por: Paulo Yokota | Seção: Economia, Editoriais e Notícias | Tags: , , | 2 Comentários »

Segundo um artigo publicado por Marta Watanabe no Valor Econômico, em 2015 os empresários brasileiros tiveram a melhor margem da exportação de produtos industrializados dos últimos 11 anos, considerando os dados até novembro. Avançou 12,7% com relação ao mesmo período do ano anterior.

clip_image002

Segundo a Funcex, o câmbio foi o principal responsável por este resultado

O Brasil já contou com períodos favoráveis para suas exportações, mas de produtos minerais e agropecuários, quando os preços conquistados no mercado mundial ajudaram mais que medidas tomadas internamente. Agora, com as dificuldades no mundo, uma das medidas ainda insuficiente foi permitir a desvalorização do câmbio, mas outras estão sendo estudadas pelo governo, mostrando que parte das lições foi apreendida. É preciso implantar uma política global criando as condições para que as exportações de produtos industrializados possa se recuperar, não dependendo somente dos favorecimentos dos seus preços no mundo, mas de um apoio sistemático para este setor vital para a economia brasileira.

Também estão ocorrendo substituições das importações, tanto de produtos acabados como de componentes. Como o Ministério de Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior está estudando todas as medidas indispensáveis, parece existir a consciência que não se pode depender somente da melhoria do câmbio, mas da infraestrutura e de todo o conjunto conhecido como “Custo Brasil”. O custo da produção destes produtos aumentou em 8,62%, o preço no exterior teve uma redução de 12,5%, mas o câmbio que se desvalorizou em 41% compensou integralmente estes problemas.

Isto é só o começo de um demorado processo, pois o efeito do câmbio, sempre relevante, vai se consolidando ao longo do tempo, e, se complementado por outras medidas de incentivo à exportação dos produtos industrializados, vai ajudar na criação de empregos de boa qualidade, que é mais relevante na economia, mesmo não se esquecendo do setor primário. O câmbio ajuda também nas exportações dos produtos minerais e agropecuários, inclusive nos agroindustriais, mas estes estarão sujeitos a concorrências mais acirradas no mundo globalizado.

É preciso que o governo e a população tenham a clara consciência que o setor industrial é fundamental, e o Brasil já contou com melhores condições no passado, precisando recuperar a sua convicção de que é um setor fundamental para o seu desenvolvimento. Não se trata de produtos que sejam somente complementares, mas aqueles dos setores que também são competitivos no exterior, onde o Brasil pode ter uma presença também.

A dimensão do mercado brasileiro permite que parte seja para abastecimento interno, mas pode contar com uma parcela para a exportação, de forma a reduzir os custos como os das variações dos câmbios e dos financiamentos. Sempre que se estiver vinculado ao comércio exterior, eles costumam ser mais baixos do que os voltados somente para o mercado interno.

São setores onde as competições são mais acirradas, mas o Brasil já provou no passado contar com capacidade para tanto, desde que as autoridades estejam conscientes, como parece estar neste segmento relevante da economia.


2 Comentários para “Exportações Brasileiras de Industrializados com Cautelas”

  1. Mauricio santos
    1  escreveu às 18:33 em 21 de Janeiro de 2016:

    Talvez esse momento que vivenciamos sirva para algumas mudanças no modo de se pensar a economia do pais

    Vamos aguardar

  2. Paulo Yokota
    2  escreveu às 09:52 em 22 de Janeiro de 2016:

    Caro Mauricio Santos,

    Obrigado pelo comentário. Esta espera pode ser utilizada para imaginar-se algumas alternativas melhores elaboradas.

    Paulo Yokota


Deixe aqui seu comentário

  • Seu nome (obrigatório):
  • Seu email (não será publicado) (obrigatório):
  • Seu site (se tiver):
  • Escreva seu comentário aqui: