Tentando aproximar a Ásia da América do Sul e vice-versa

Problemas Climáticos no Mundo

22 de Janeiro de 2016
Por: Paulo Yokota | Seção: Cultura, Editoriais e Notícias | Tags: , ,

O jornalista Gabriel Alves publica matéria na Folha de S.Paulo, como fizeram outros nos mais variados jornais do mundo, informando que a média de 2015 foi bem superior à do século 20. Mas o mais dramático é que houve muitas irregularidades climáticas em todo o mundo, com picos de calor e frio.

clip_image002

Gráfico publicado no artigo da Folha de S.Paulo

O mundo está alarmado com o aquecimento em 2015, pois tudo indica ser consequência da ação humana com lançamento de poluentes na atmosfera, principalmente com a utilização do carvão mineral e combustíveis fósseis. O mais dramático é que ocorrem picos de frio o calor, provocando graves desastres climáticos, sacrificando vidas e produções agropecuárias.

Os dados básicos foram divulgados pela NOAA, agência norte-americana responsável pelos oceanos e atmosfera, bem como a NASA, a agência espacial norte-americana. Ainda assim existem os que resistem às recomendações obtidas em Paris pela ONU, com muitas medidas de longo prazo, que não correspondem às exigências de urgência na solução dos problemas mais graves, estabelecendo-se uma adequada prioridade.

Muitos se comportam como se países como a China e os Estados Unidos fossem os únicos culpados e os menos desenvolvidos fossem meras vítimas. O Brasil ainda não se tornou consciente que o desmatamento irregular precisa acabar com a máxima urgência, veículos poluentes precisam ser inibidos, bem como gerações de energia elétrica usando poluentes extintos. Isto independe da assistência que deverá receber os países desenvolvidos nos seus projetos prioritários, como os relacionados com a Amazônia.

Parecemos suicidas, pois estamos vendo os estragos causados pelo El Niño neste ano, tanto no Brasil como em outros países do mundo. São diárias as informações sobre inundações, atingido as populações mais pobres de forma mais violenta.

No mundo globalizado que enfrenta graves problemas econômicos, políticos e sociais, muitos recursos escassos precisam ser deslocados para assistências emergenciais. Saúde e educação estão sendo sacrificadas, mas a população imagina que são culpas dos políticos corruptos, não contribuindo para a redução dos lixos que entopem os rios.

Parece urgente que todos tenhamos consciência das nossas responsabilidades, reduzindo o consumo de energia elétrica, dos combustíveis fósseis e todos os derivados das florestas, como os papéis. Precisamos selecionar os plásticos e outros materiais recicláveis, ainda que de forma tardia. Nossos esforços precisam ser multiplicados, pois estamos sofrendo na própria pele os efeitos de nossas mazelas.



Deixe aqui seu comentário

  • Seu nome (obrigatório):
  • Seu email (não será publicado) (obrigatório):
  • Seu site (se tiver):
  • Escreva seu comentário aqui: