Tentando aproximar a Ásia da América do Sul e vice-versa

Crianças Mudam os Hábitos dos Pais Segundo Pesquisas

19 de Abril de 2016
Por: Paulo Yokota | Seção: Editoriais e Notícias, Saúde | Tags: , ,

clip_image002Um artigo elaborado por Ann Lukits e publicado no The Wall Street Journal mostra que algumas pesquisas científicas indicam que as crianças podem mudar para melhor os hábitos dos pais, beneficiando alguns casos de saúde.

Ilustração inserida no artigo publicado no The Wall Street Journal

Os agentes de mudanças costumam ser as mães, mas alguns estudos estão mostrando que as crianças podem ajudar os pais nas alterações de hábitos, contribuindo na melhoria de alguns casos de saúde. Um artigo do International Journal of Behavioral Nutrition and Physical Activity mostra que crianças especialmente treinadas podem ajudar os pais a obterem significantes perdas de peso, invertendo o papel de agentes de mudanças. Também os programas de várias escolas ajudaram os pais a localizarem problemas de câncer e no gerenciamento das asmas.

Cita-se um projeto no Sri Lanka, onde foram recrutadas 261 mães entre os anos de 2012 a 2014. Por meio dele, estudantes de metade das escolas foram ensinados a identificar fatores de risco para doenças crônicas dos pais, como tabagismo e sedentarismo, estimulando a mudança destes hábitos. A outra metade das escolas serviu como dados de controle, sem nenhuma orientação, como a redução de tempo em frente à TV. As diferenças foram significativas, ainda que não se saiba os efeitos no longo prazo.

Um pesquisa efetuada no Canadá, publicada na revista científica PLoS One, descobriu que muitas pessoas tendiam a ignorar a necessidade de visitas aos médicos, mesmo com as atividades cerebrais ou redução da dor. O estudo da University of Manitoba, em Winnipeg, analisou 238 pessoas com cerca de 80 anos de idade que foram entrevistadas em 1996. Foram divididas em quatro grupos, com preocupações diferenciadas sobre a saúde. Depois de cinco anos, registraram-se diferenças significativas nos seus resultados.

O autismo é visto tradicionalmente como um distúrbio da infância, mas está sendo detectada entre os idosos, mostrando que seus sintomas são confundidos com os de depressão, como publicado no American Journal of Geriatric Psychiatry. Por incrível que pareça, em Nova Iorque, os acidentes de trânsito são mais frequentes nas regiões onde existem menos estabelecimentos vendendo bebidas alcoólicas, mostrando que existem outros fatores que provocam acidentes, como indicado no Injury Epidemiology.

Também muitos casos de cãibras nas pernas podem ser sintomas de síndrome comportamental crônicas entre os idosos, como indicado no Scandinavian Journal of Pain, também apoiado pelo National Institute of Health.

O artigo de Ann Lukits indica que existem muitos assuntos médicos e de saúde que são considerados de forma tradicional, mas que acabam sendo contestados por pesquisas mais recentes. Seriam indícios de que outras pesquisas precisariam ser efetuadas com critérios científicos para ampliar os conhecimentos relacionados com a saúde.



Deixe aqui seu comentário

  • Seu nome (obrigatório):
  • Seu email (não será publicado) (obrigatório):
  • Seu site (se tiver):
  • Escreva seu comentário aqui: