Tentando aproximar a Ásia da América do Sul e vice-versa

Para Que Não Digam Que Não Falei Das Flores…

18 de Abril de 2016
Por: Paulo Yokota | Seção: Editoriais e Notícias, Política | Tags: , , , | 2 Comentários »

Os momentos de festa como da aprovação por ampla maioria na Câmara dos Deputados para o prosseguimento do processo de impeachment geram expectativas otimistas sobre as mudanças que possam ocorrer na atual difícil situação brasileira. Tanto a imprensa brasileira como a internacional registram estes fatos com visível entusiasmo.

clip_image002

Plenário da Câmara dos Deputados durante a votação do prosseguimento do processo do impeachment

Como eram previsíveis, as votações favoreceram os vitoriosos que eram a favor do prosseguimento do processo do impeachment da presidente Dilma Rousseff. Quando a maioria absoluta de 2/3, ou 342 votos era necessária, obteve-se 367 que representa 72% superando-se com ampla margem a votação indispensável. O governo só conseguiu 137 votos contra (27%), com duas ausências e sete abstenções.

O processo terá continuidade no Senado Federal, onde não se espera alterações na comissão criada para o rito, o que determina o afastamento da presidente por maioria simples, assumindo interinamente o vice Michel Temer, para no prazo máximo de 180 dias o Senado presidido pelo presidente do Supremo Tribunal Federal, Ricardo Lewandowski, efetuar o julgamento final que também não deve apresentar novidades.

Mesmo no Superior Tribunal Eleitoral onde Michel Temer deve ser julgado pela sua eleição na chapa da Dilma Rousseff não se espera alterações no quadro. Com a votação expressiva na Câmara, tudo indica que o novo governo de Michel Temer conta com as melhores condições para assumir e com sua longa experiência parlamentar deve obter o apoio necessário no Congresso, apesar da oposição do pequeno grupo que apoiou o governo até o fim.

Eventuais dificuldades decorrem do prazo indispensável para aprovação e execução das reformas econômicas indispensáveis, que atendam as aspirações da população. Mas o processo que está em andamento pode ser considerado favorável para se obter os resultados desejados, diante das antecipações provocadas pelas expectativas econômicas, mesmo que sejam difíceis.

clip_image004O experiente vice-presidente Michel Temer que deverá assumir para completar o restante do mandato atual da Presidência da República

Mesmo as pendências jurídicas que pesam sobre muitos políticos devem sofrer um arrefecimento, concedendo-lhes maior oportunidade para as montagens das condições que favoreçam a recuperação do país. Suas penalidades poderão ser reduzidas pelas delações premiadas. Mesmo as medidas que atinjam os grandes grupos privados poderão ser resolvidos com os acordos de leniência, visando criar condições para que venham a participar do esforço para o desenvolvimento.

Ainda que o Brasil já tenha reduzido a sua importância no cenário internacional, o mundo não pode se dar ao luxo de dispensar a sua colaboração na recuperação de parte do desenvolvimento. Mesmo que tudo não possa ser efetuado, somente o ponto de inflexão na tendência que vinha se observando já representa algo de importância.

Do ponto de vista da política interna acabou ficando evidente que muitos aperfeiçoamentos voltam se tornar necessários, com o aumento das considerações morais na condução das coisas públicas. É evidente que nem tudo se alterará com rapidez, mas a esperança é que os atuais acontecimentos acabem alterando o quadro brasileiro e que muitos se preparem para desempenho melhor, tanto na administração pública como na política.

Neste longo período onde o PT e os trabalhadores provocaram uma melhoria da distribuição de renda no país, bem como conquistaram programas sociais de importância que propiciaram a ampliação da classe média brasileira, não deve ser perdido, ainda que colocado dentro dos limites dos recursos disponíveis com o desenvolvimento.


2 Comentários para “Para Que Não Digam Que Não Falei Das Flores…”

  1. Mauricio
    1  escreveu às 19:31 em 18 de Abril de 2016:

    Paulo, depois de ver alguns discursos dos Deputados durante a votação só repito o que o ministro Barroso do STF disse:
    Meu Deus! Essa é a nossa alternativa de poder?

  2. Paulo Yokota
    2  escreveu às 17:09 em 19 de Abril de 2016:

    Caro Mauricio,

    Lamentavelmente, as nossas deficiência não estão somente no Congresso. O próprio Supremo Tribunal Federal atual não conta também com juristas de primeiro nível. O desenvolvimento é um processo complexo que exige melhoria em todos os setores, e parece que não estamos preparando elites para nos liderarem, mas em alguns setores existem pequenas melhoras.

    Paulo Yokota


Deixe aqui seu comentário

  • Seu nome (obrigatório):
  • Seu email (não será publicado) (obrigatório):
  • Seu site (se tiver):
  • Escreva seu comentário aqui: