Tentando aproximar a Ásia da América do Sul e vice-versa

Discursos Não Provocam Efeito Sobre a Coreia do Norte

13 de Fevereiro de 2017
Por: Paulo Yokota | Seção: Editoriais e Notícias, Política | Tags: , , , | 2 Comentários »

Ainda que o lançamento de foguetes da Coreia do Norte em direção ao Japão já esteja condenado até pelas Nações Unidas, o regime da Coreia do Norte, comandada pelo seu ditador Kim Jong Um, não provoca nenhuma alteração na sua política.

clip_image002

Gráfico publicado pelo site e jornal O Globo

Mesmo com a condenação conjunta de Donald Trump e Shinzo Abe do lançamento feito pela Coreia do Norte, como muitas outras vezes no passado, o país não altera sua política. Isto, lamentavelmente, mostra que estes discursos não funcionam e tanto os Estados Unidos como o Japão temem ter que causar prejuízos à Coreia do Norte e sobre a sua já sofrida população, não provocando a mudança do seu ditador.

Isto é uma demonstração que parte das declarações da aliança militar dos Estados Unidos com o Japão não conta com forças para se efetivar. Parece urgente que os Estados Unidos precisam providenciar a instalação de um eficiente sistema antimíssil, como o utilizado no Oriente Médio, que abata logo que seja lançado.

Os japoneses são muito sensíveis a estes lançamentos dos foguetes pela Coreia do Norte, pois qualquer erro pode provocar uma queda sobre seu território. Parece, lamentavelmente, que há de se passar dos discursos para ações concretas, sem as quais mesmo o acordo militar entre os Estados Unidos e o Japão acaba caindo no vazio.

Tudo isto mostra que é muito mais complexo efetivar os acordos do que os grandes discursos eloquentes.


2 Comentários para “Discursos Não Provocam Efeito Sobre a Coreia do Norte”

  1. Henrique Dias
    1  escreveu às 06:31 em 15 de Fevereiro de 2017:

    A Coreia do Norte é um país que lembra muito as subcelebridades: precisam fazer alguma coisa para chamar a atenção do mundo. Do contrário, ninguém fala delas.

  2. Paulo Yokota
    2  escreveu às 08:03 em 15 de Fevereiro de 2017:

    Caro Henrique Dias,

    A Coreia do Norte, que ficou com a parte geográfica melhor quando da divisão com o Sul ficou com uma dinastia de ditadores, mas chega até a ser incompreensível que uma japonesas sequestrada que tem o meu sobrenome, Yokota, apesar dos esforços do governo do Japão e de seus familiares, prefere ficar naquele país. Para se entender a complexidade da situação na região é preciso aprofundar os estudos, não podendo se manter os preconceitos, na minha modesta opinião.

    Paulo Yokota


Deixe aqui seu comentário

  • Seu nome (obrigatório):
  • Seu email (não será publicado) (obrigatório):
  • Seu site (se tiver):
  • Escreva seu comentário aqui: