Tentando aproximar a Ásia da América do Sul e vice-versa

Japão Está se Tornando um País de Serviços

15 de Fevereiro de 2017
Por: Paulo Yokota | Seção: Economia, Editoriais e Notícias | Tags: , , , | 6 Comentários »

imageEm janeiro deste ano comparado com o mesmo mês do ano anterior, o número de turistas estrangeiros, que já havia chegado a mais de 24 milhões no ano passado, apresentou outro crescimento de 24%.

As autoridades municipais de Tóquio vão identificar os ônibus e seus roteiros com letras e números como N289 para facilitar os turistas estrangeiros. Foto do artigo no The Japan Times

As autoridades japonesas estão se preparando para aumentar ainda mais o número de turistas estrangeiros, que no ano passado já superou 24 milhões quando o esperado era de 20 milhões. Os dados de janeiro deste ano já indicam novo crescimento de 24% sobre o mesmo período do ano anterior, sendo que os chineses aumentaram em 32,3%, com cerca de 630 mil, os sul-coreanos em 21,5%, chegando a 625.400, e os taiwaneses com 9,3%, chegando a 358.800. Como as Olimpíadas serão em 2020 em Tóquio, elas estão se preparando para novo e significativo aumento.

Como a população japonesa está decrescendo e envelhecendo, estes turistas estrangeiros são bem-vindos para aumentar a demanda local, ainda que eles não comprem tanto como no passado, selecionando os produtos que desejam, pois muitos estão ficando disponíveis nos seus países pelas importações do Japão.

Um ônibus que sai de Shinjiku Station, por exemplo, está identificado com SJ91, o que facilita aos turistas que não leem em japonês, sabendo a rota que fazem. O sistema de metrô em Tóquio já é extremamente eficiente, mas muitos turistas com suas sacolas de compra preferem os que os deixam na porta do seu hotel.

Há que se considerar também que outras áreas que recebiam turistas asiáticos, como Paris, Londres e mesmo cidades norte-americanas, acabam sendo temidas pelos atos terroristas, que no Japão ainda é praticamente inexistente. Também os hotéis como as lojas já contam com atendentes em mandarim e os restaurantes voltados para os turistas asiáticos aumentaram muito.

Acaba-se com a impressão que o Japão está se tornando um país cujos serviços são adequados para os turistas asiáticos que são em elevado número, inclusive pelo baixo custo dos transportes aéreos.


6 Comentários para “Japão Está se Tornando um País de Serviços”

  1. Simone Aparecida
    1  escreveu às 15:06 em 16 de Fevereiro de 2017:

    YOKOTA, o Japão não é um país adequado a receber turistas, pois sofre com terremotos, tufões, maremotos, chuvaradas, vulcões e nevascas. Não se pode olvidar, outrossim, das usinas atômicas e da violenta máfia Yakuza. A meu ver, foi uma irresponsabilidade permitir que os japoneses recebessem os Jogos Olímpicos de 2020. Os nipônicos não vão conseguir se organizar, eficazmente, para receber tantos gringos.

  2. Paulo Yokota
    2  escreveu às 15:50 em 16 de Fevereiro de 2017:

    Cara Simone Aparecida,

    Seria interessante que V. conhecesse pessoalmente estes países. Eu conheço razoavelmente muitos países no mundo, pessoalmente. Não podemos nos limitar pelos nossos preconceitos. Um grande número de turistas não compartilham do seu pensamento. O Japão, com todos os seus problemas, recebeu no ano passado mais de 24 milhões deles, enquanto o Brasil, que v. parece considerar uma maravilha, e nós temos toda a natureza a nosso favor, não chegamos a um décimo desta cifra. Atualmente, com os problemas de terrorismo e outras inseguranças, infelizmente, o Japão é considerado um dos países mais acolhedor dos turistas estrangeiros. Procure conhecer alguns brasileiros que visitaram o Japão recentemente.

    Paulo Yokota

  3. Simone Aparecida
    3  escreveu às 17:10 em 16 de Fevereiro de 2017:

    YOKOTA, o “grosso” dos turistas que visitam o Japão é constituído pelos chineses. Lembrando que a China tem 1,36 bilhão de habitantes e é, hoje, a segunda maior economia do mundo. Eles querem comprar produtos que não são falsificados: relógios, eletroeletrônicos, cosméticos etc.
    No Brasil, vem alemães, italianos, norte-americanos, franceses, canadenses, suíços, belgas, australianos, holandeses, suecos, espanhóis, britânicos, lusitanos etc.

    E outra: uma coisa é ir ao Japão para turismo e outra, completamente diferente, é morar lá e sentir o preconceito na pele contra o decasségui.

    O Brasil mostrou ao mundo a sua incrível criatividade e capacidade para organizar a Copa do Mundo de 2014 e os Jogos Olímpicos de 2016. Aliás, o gringos puderam sentir toda a nossa alegria e calor humano que, provalvmnete, em 2020,

  4. Paulo Yokota
    4  escreveu às 17:34 em 16 de Fevereiro de 2017:

    Cara Simone Aparecida,

    Somando todos os turistas que o Brasil recebe de todo o mundo, ainda é muito menor do que os turistas não asiáticos que visitam o Japão. Lamentavelmente, as Olimpíadas do Rio que custaram muito para todos deveriam deixar importantes obras para a população brasileira, mas o que existe de aproveitável é muito pouco. Tóquio já sediou Olimpíadas no passado, e as grandes modificações que ficaram no Japão são apreciáveis, começando pelo avanço no chamado Shinkansen. O que temos que fazer são mudanças que não duram poucas semanas, mas o que deixam marcas por um longo prazo, inclusive dos que visitaram o Japão sendo estrangeiros, quando os asiáticos eram muito pobres. Com relação ao preconceito que existe no mundo, e eu admito que no Japão é infelizmente elevado, posso lhe afirmar o que sofri com a minha família na Europa ou nos Estados Unidos, pensando que eu fosse japonês. De muitos decasséguis que conheci no Japão, alguns chegaram a completar cursos em grandes universidades do Japão. Eu suponho que V. tenha vivido no Japão, mas estas mudanças são rápidas, e os turistas chineses já reduziram suas compras no Japão, pois adquiriam muitos produtos que eram produzidos na própria China. Eu vivi no Japão como em dezenas de outros países no mundo, onde trabalhei. Meu conhecimento não é de turista, e espero que V. tenha a mesma longa e profunda experiência que tive como cidadão do mundo. Se neste site critico muito o Japão, também reconheço algumas de suas qualidades. Vamos parar por aqui, pois não tenho a pretensão de convence-la.

    Paulo Yokota

  5. Olavo Alves
    5  escreveu às 20:07 em 16 de Fevereiro de 2017:

    Paulo, desculpe-me pela intromissão, mas se o Brasil – aos trancos e barrancos – conseguiu sediar os Jogos de 2016, o Japão terá, decerto, muito êxito em 2020. Com bala perdida, dengue, zika, chikungunya, roubos, furtos, traficantes, milícias, superfaturamento etc., o Rio de Janeiro conseguiu razoavelmente fazer os Jogos Olímpicos e Paraolímpicos, no ano passado. Só por curiosidade: em 2016, o Brasil recebeu 6,6 milhões de turistas.

    Abraços.

  6. Paulo Yokota
    6  escreveu às 13:54 em 17 de Fevereiro de 2017:

    Caro Olavo Alves,

    Obrigado pelos seus comentários.

    Paulo Yokota


Deixe aqui seu comentário

  • Seu nome (obrigatório):
  • Seu email (não será publicado) (obrigatório):
  • Seu site (se tiver):
  • Escreva seu comentário aqui: