Tentando aproximar a Ásia da América do Sul e vice-versa

Brasil Deveria Se Acautelar Com os Investimentos Chineses

3 de Março de 2017
Por: Paulo Yokota | Seção: Economia, Editoriais e Notícias | Tags: , ,

O governo brasileiro está exageradamente entusiasmado com os grupos chineses que se interessam pelos projetos de infraestrutura, como de geração e transmissão de energia, esquecendo-se que estes investimentos devem ser remunerados ao longo do tempo com divisas. A China já enfrenta a falta de investimentos como nos túneis e pontes locais para suas ferrovias rápidas, o que deve acelerar as remessas do exterior para atender a estas necessidades.

clip_image002

Os projetos de geração e transmissão de energia elétrica do Brasil estão sendo alienados para grupos chineses, o que vai exigir que estes investimentos sejam remunerados ao longo do tempo, quando a China já enfrenta problemas para custear seus investimentos como na infraestrutura de trens rápidos

É preciso atentar que as gerações e transmissão de energia elétrica do Brasil se destinam basicamente para o atendimento das demandas internas e somente uma pequena parte contribui para a geração de divisas via aumento das exportações. Mas estes investimentos chineses geram necessidades permanentes de divisas para honrar os compromissos assumidos, como os lucros obtidos nestas operações.

clip_image004

O problema do financiamento de túneis e pontes para as ferrovias de trem rápido que foram disseminados em toda a China

É preciso compreender que a China vem efetuando pesados investimentos em sua própria infraestrutura para manter o elevado ritmo de seu crescimento e artigos, como os publicados pela Bloomberg, de autoria de Bruce Einhorn, alertam que já há carência de recursos para túneis e pontes das ferrovias de trens rápidos que estão se disseminando por todo aquele país. A tendência natural é que remessas de lucros sejam aceleradas, principalmente pelas estatais chinesas para atender a estas necessidades, como as que estão fazendo investimentos no Brasil.

A China já gastou entre 2006 a 2015 US$ 10,8 trilhões na sua infraestrutura, de acordo com os cálculos da Bloomberg com investimentos em estradas, aeroportos, portos, ferrovias e outros projetos similares, tendo subido em 17,4% no ano passado, quando a expansão de sua economia foi de 6,7% no PIB. A Agência oficial Xinhua anunciou que até 2020 o governo investirá 3,4 trilhões de yuans em projetos de água, estrada, eletricidade e comunicação no meio rural. O natural é que parte destes recursos seja transferida do exterior para a China, como admitem analistas independentes.

A China adota também o sistema de projetos PPP – Público Privado, o que vai fazer com que as empresas privadas que atuam no exterior também colaborem neste processo. O fato concreto é que não existem regras para a regulamentação destas operações, mas é difícil de imaginar que suas estatais e empresas privadas não considerem suas prioridades locais na própria China.



Deixe aqui seu comentário

  • Seu nome (obrigatório):
  • Seu email (não será publicado) (obrigatório):
  • Seu site (se tiver):
  • Escreva seu comentário aqui: