Tentando aproximar a Ásia da América do Sul e vice-versa

The Economist Aponta Mudanças nas Preferências Alimentares

15 de Março de 2017
Por: Paulo Yokota | Seção: Economia, Editoriais e Notícias | Tags: , , ,

As mudanças mais significativas entre alimentos ocorrem entre o arroz, que apresenta muitas variedades, e os trigos, que aumentam o seu consumo em alguns países da Ásia, conforme dados fornecidos pelo artigo publicado no The Economist.

clip_image002

Mapa com o aumento do consumo do trigo na Ásia, publicado no The Economist, cujo artigo vale a pena ser examinado na sua íntegra

Muitos fatores atuam sobre a moda de alimentos que são consumidos pela população e entre os norte-americanos, de 1970 a 1990, consumiu-se mais trigo na tentativa de evitar o colesterol. Mas também se tentou dietas com baixo teor de carboidratos, havendo algumas doenças que não recomendam a ingestão de glúten. Entre 1997 a 2015, o consumo médio de farinha caiu de 67 quilos para 60 quilos. Além das informações científicas ou pseudociências, também as modas atuaram nos consumos, fazendo com que os tradicionais fossem substituídos por novos.

Na África Ocidental, a produção de arroz saltou de 7,1 milhões de toneladas para 16,8 milhões por causa das tecnologias utilizadas, sendo que algumas variedades permitiram a sua produção durante as secas.

clip_image004

Gráfico publicado no artigo do The Economist

O arroz se tornou popular em países como Senegal, pela sua facilidade em ser cozido em comparação com o milho ou sorgo, a um ritmo de 3% por ano em média por habitante, o que também é favorável para os produtores da Ásia. Na Ásia, que generalizadamente se consome muito arroz, chega-se a usar a expressão: “você já comeu arroz hoje?”. Cerca de 90% é consumido na Ásia, sendo 60% na China, Índia e Indonésia.

Entre os anos 60 a 90, o consumo de arroz por pessoa aumentou de uma média de 85 quilos para 103 por ano, na medida em que se saiu da pobreza. Mas agora não se registra mais aumentos, segundo os dados do Departamento de Agricultura dos EUA, tendo caído em alguns países desde 2000, como na China, na Indonésia, na Coreia do Sul e em Cingapura. Os mais ricos estão consumindo mais legumes, frutas, carnes, peixe e produtos lácteos. O aumento do trigo tem sido significativo. Mesmo nos países mais pobres, como Tailândia e Vietnã, isto está ocorrendo.

Os países do Sudeste Asiático consumirão 23,4 milhões de toneladas de trigo em 2016-17, quando era de 16,5 milhões em 2012-13, quase todo ele importado. No Sul da Ásia, o consumo deverá crescer de 121 milhões de toneladas para 139 milhões no mesmo período.

Também estão aumentando entre os norte-americanos os grãos considerados virtuosos, como a quinoa, aveia e alguns tipos de trigo que são estimulados por empresas que atuam com estes produtos. O sorgo e o milho estão virando alimentos para o gado. Ainda não se pode afirmar qual será a tendência futura, havendo um interesse pela novidade. Também parece estar ocorrendo no Brasil.



Deixe aqui seu comentário

  • Seu nome (obrigatório):
  • Seu email (não será publicado) (obrigatório):
  • Seu site (se tiver):
  • Escreva seu comentário aqui: