Tentando aproximar a Ásia da América do Sul e vice-versa

O Suicídio Elevado no Japão e sua Correção

27 de Abril de 2017
Por: Paulo Yokota | Seção: Cultura, Editoriais e Notícias | Tags: , , | 6 Comentários »

clip_image002Um artigo escrito por Megumi Lim foi publicado no Japan Today informando que o bullying nas escolas mantém o nível de suicídio entre os adolescentes extremamente elevado. Medidas estão sendo tomadas para a sua redução.

Foto do pai de uma adolescente que se suicidou depois de sofrer bullying publicada no artigo do Japan Today

Este fenômeno desagradável, acentuado no Japão, necessita a compreensão de outros que existem na cultura japonesa para a sua adequada avaliação. Inicialmente, entre as religiões que possuem alguma importância no Japão não se destacam as cristãs que condenam fortemente o suicídio. Este ato de retirar a própria vida também era uma saída honrosa na era dos samurais para resolver problemas decorrentes do código honra deles. De outro lado, o bullying, notadamente nas escolas, é acentuado dada à cultura que enfatiza a homogeneidade, quando os que apresentam alguma particularidade acabam, lamentavelmente, sendo judiados. A soma destes e outros fatores acaba provocando problemas como o dos suicídios, que no Japão estão entre os mais elevados no mundo. Entre os países pertencentes da OECD – Organization for Cooperation and Development, o Japão só é superado pela Lituânia, Coreia do Sul e a Hungria.

Apesar do noticiário que vem destacando este problema, o pico de suicídio no Japão ocorreu em 2003 e vem já acusando decréscimo. O bullying permanece sério, apesar da legislação para o seu combate estabelecido em 2013. Mesmo as autoridades japonesas entendem que a redução do chamado “ijime” (judiar de alguém) não está ocorrendo, havendo que se adotar medidas adicionais.

Alguns professores nas escolas japonesas entendem ainda que este fenômeno se assemelha com o que os veteranos no Brasil adotam com os calouros, notadamente para os que são aprovados nos vestibulares. Já surgem movimentos entre os estudantes que se organizam para evitar este bullying, pois a legislação o condena.

O fenômeno parece um pouco diferente do que ocorre em outros países, onde os grupos enfrentam outros. No caso do Japão, parece que é um grupo somente com uma vítima. Parecem que há necessidade de disseminação entre os responsáveis nas escolas, professores e seus dirigentes, pois o Japão também faz parte da comunidade mundial que está condenando estas práticas, principalmente quando leva até consequências dramáticas como o suicídio.


6 Comentários para “O Suicídio Elevado no Japão e sua Correção”

  1. Simone Aprecida
    1  escreveu às 12:44 em 27 de Abril de 2017:

    O Japão, de fato, tem muito o que aprender com o Brasil, que é um país caracterizado pela alegria.

  2. Paulo Yokota
    2  escreveu às 18:57 em 27 de Abril de 2017:

    Cara Simone Aparecida,

    Acredito que a alegria como dos brasileiros é rara, mais presente nos países tropicais. Para mim, por exemplo, as experiências em países de invernos rigorosos, com dias curtos e noites longas, ainda que sejam diferentes nos verões relativamente curtos, tendo a ficar deprimido.

    Paulo Yokota

  3. Mauricio Santos
    3  escreveu às 16:08 em 27 de Abril de 2017:

    Embora o Japão seja um país com forte tradição budista, pareçe que tal filosofia está se perdendo entre a população
    Os japonese seguem o rituias ligados ao budismo mas será que seguem também a filosofia de Buda
    Tantos suicidios… parece ir diretamente ao contrario do que budismo prega
    Buda fala sobre o sofrimento e de como compreende-lo
    Ter tal compreensão pode ajudar muito quando se está passando por um momento de adversidade

  4. Paulo Yokota
    4  escreveu às 18:53 em 27 de Abril de 2017:

    Caro Mauricio Santos,

    Obrigado pelo comentário. O que parece importante é que se compreenda que no Japão não predomina o monoteísmo, ou seja, uma pessoa pode adotar alguns comportamentos budistas, com destaque para o zen budismo. Mas, ao mesmo tempo pode ser shintoista, que a religião oficial do país. E isto não implica na filosofia que se adota. Como tentei explicar parece que no valor dado ao suicídio no código de honra dos samurais, a vida não é encarada como nas culturas que receberam influência do cristianismo. Acho que isto é difícil de ser compreendido pelos ocidentais.

    Paulo Yokota

  5. Hugo Leonardo
    5  escreveu às 12:22 em 28 de Abril de 2017:

    Os japoneses negaram a bíblia, por isso, tantos suicídios.

  6. Paulo Yokota
    6  escreveu às 16:36 em 28 de Abril de 2017:

    Caro Hugo Leonardo,

    No mundo o número dos cristãos não é o maior. Os muçulmanos são em maior numero que os cristãos, por exemplo.

    Paulo Yokota


Deixe aqui seu comentário

  • Seu nome (obrigatório):
  • Seu email (não será publicado) (obrigatório):
  • Seu site (se tiver):
  • Escreva seu comentário aqui: