Tentando aproximar a Ásia da América do Sul e vice-versa

Exemplos de Dedicação na Insanidade Atual dos EUA

22 de Janeiro de 2018
Por: Paulo Yokota | Seção: Cultura, Editoriais e Notícias | Tags: ,

clip_image002 É muito difícil compreender o que o governo Donald Trump está fazendo com os imigrantes num país que foi em quase sua totalidade decorrente dos esforços de massas de trabalhadores que foram de toda a parte do mundo para os Estados Unidos. Mas, para manter as esperanças da volta à racionalidade, o exemplo de Nora Sandigo que cuida de 1.250 crianças com a ajuda de outros é um exemplo a ser seguido.

Nora Sandigo recebe o “poder de advogado” nos Estados Unidos para cuidar dos interesses das 1.250 crianças, como foi publicado no artigo do site OUL, que deve ser lido na íntegra

Um artigo de Gisela Salomon da Associated Press foi publicado no site do UOL informando sobre o trabalho voluntário de Nora Sandigo, que recebeu dos genitores imigrantes deportados dos Estados Unidos o chamado “poder de advogado”, que não substitui o dos pais, mas permite que seus interesses sejam defendidos. Ela mesma, com 52 anos e mãe de duas filhas, com forte sentimento religioso, fugiu de Nicarágua nos anos 80 e se tornou cidadã norte-americana em 1996.

Esta medida precisa ser tomada antes do risco da deportação, para que crianças que acompanhavam seus pais não sejam também afetadas. Ela pode cuidar dos assuntos relacionados com as escolas, hospitais e na Justiça. Ajuda a procurar uma adoção completa por um casal norte-americano, cuidando também da possibilidade de viajarem para o exterior.

A cada duas semanas, ela visita as crianças, providenciando a distribuição de roupas e outros materiais doados por terceiros. Também providencia alimentos para as necessitadas que estejam sendo assistidas por voluntários. Sempre que possível, atende às necessidades de carência psicológica decorrentes das ausências dos pais.

clip_image004

Nora Sandigo com parte das crianças que ajuda por intermédio da Fundação que leva o seu nome. Foto publicada no artigo do site do UOL

Muitos das crianças protegidas já frequentam cursos nos Estados Unidos, como dois casos concretos de indianos que cursam a Universidade de Georgetown, inclusive nos esportes, que dentro de suas possibilidades é prestigiada nos jogos por ela. Os pais das crianças estão confiantes na sua assistência que não os têm decepcionado, das mais variadas origens, com destaque atual do países latino americanos.

Nora Sandigo é uma guerreira e, além da ajuda das empresas que tem com o seu marido, também recebe assistência de outros voluntários. Recebe muitos e-mails e outras mensagens pelos meios de comunicação social disponíveis. As medidas restritivas do governo ainda estão se agravando, mesmo para países que foram afetados por acidentes climáticos, como o Haiti e El Salvador.

Os imigrantes ameaçados de deportação se preocupam com o futuro dos seus filhos e encontram em Nora Sandigo um apoio para a sua permanência nos Estados Unidos. Ela tem consciência da limitação de sua ação, que só poderá mudar com a revisão da atual orientação do governo norte-americano que certamente terá de se curvar diante da realidade que enfrentam.

Já existem setores econômicos dos Estados Unidos que dependem dos trabalhos dos imigrantes que estão sujeitos agora à deportação. Existem pressões crescentes diante deste absurdo de populismo nacionalista de visão muito curta. Mas, por se tratar de uma assunto que também atendem às necessidades de alguns setores da sociedade norte-americana, não parece ser algo que possa se resolver na atual administração do governo dos Estados Unidos, que, apesar dos muitos problemas, dá mostras de recuperação de sua economia, mesmo com a decrescente participação daquele país nos assuntos internacionais.

Ainda que não seja dos casos mais gritantes, alguns brasileiros que se encontram nos Estados Unidos também estão sendo afetados, havendo necessidade de uma política mais firme do governo brasileiro sobre este assunto.



Deixe aqui seu comentário

  • Seu nome (obrigatório):
  • Seu email (não será publicado) (obrigatório):
  • Seu site (se tiver):
  • Escreva seu comentário aqui: