Tentando aproximar a Ásia da América do Sul e vice-versa

Ainda a Discussão do Crescimento da Economia Chinesa

2 de Fevereiro de 2018
Por: Paulo Yokota | Seção: Economia, Editoriais e Notícias | Tags: , ,

Jim O’Neill é um dos criadores da expressão BRIC em 2000, que hoje se transformou em BRICS com a inclusão da África do Sul e que até poderia ser RICS com a baixa performance do Brasil. Ele escreveu um artigo sobre a China, que teria em 2017 voltado a crescer 6,9%, que deve um pouco às variações do câmbio, publicado no China Daily. Deve se entender que este dado é ainda provisório.

clip_image002

Charge publicada no China Daily

Este site já apontou que a China teve uma espécie de bolha imobiliária, havendo muitos imóveis que não proporcionam retornos como, por exemplo, com o seu aluguel para honrar os financiamentos. Os terrenos foram tomados dos agricultores para suportar a forte urbanização que está ocorrendo naquele país. Também muitas empresas obsoletas e poluentes foram desativadas, mas ainda constam da contabilidade. Há problemas ainda a serem resolvidos com o seu sistema bancário, que, além de contar com setor informal, vem servindo para subsidiar atividades que estão se ampliando no exterior.

O que parece é que seria conveniente aguardar os dados oficiais definitivos que, mesmo colocado em dúvida por alguns pesquisadores chineses, acabam sendo mais seguros. O autor menciona o substancial crescimento da demanda das famílias no mercado interno que teria ajudado a economia que passa por uma reestruturação para não depender demasiadamente das exportações.

Ele refere-se aos discutíveis dados de algumas províncias que não seriam relevantes para alterar muito o quadro geral. Também se refere à posição de alguns analistas que já comparam a China com o Japão, diante do envelhecimento de sua população, com a possibilidade de uma deflação, o que parece estar muito longe da realidade.

O artigo menciona diversos dados de substancial crescimento recente da economia chinesa, muito acima do esperado em 2000, quando se começou a utilizar a expressão BRIC, que não tem um significado intrínseco, a não ser uma grande expressão geográfica, com potencial para o crescimento econômico. Hoje, tanto o Brasil como a Rússia enfrentam muitas dificuldades.

Não parece haver possibilidades de aproveitamento das lições deste conjunto de países, dadas as grandes diferenças que vieram apresentando nos últimos anos, permitindo somente comparações mais emocionais do que racionais.



Deixe aqui seu comentário

  • Seu nome (obrigatório):
  • Seu email (não será publicado) (obrigatório):
  • Seu site (se tiver):
  • Escreva seu comentário aqui: