Tentando aproximar a Ásia da América do Sul e vice-versa

Programação da OSESP

26 de Março de 2018
Por: Paulo Yokota | Seção: Cultura, Editoriais e Notícias | Tags: , ,

Marin Alsop, além de dominar completamente as obras de Ludwig van Beethoven, controla totalmente a orquestra da Osesp nos seus mínimos detalhes. Ela que veio dirigindo a Osesp por muito tempo, no próximo ano deve reger a Orquestra Filarmônica de Viena, considerada uma das melhores do mundo. Algo consagrador para qualquer maestro.

clip_image002

Marin Alsop vai reger a consagrada Orquestra Filarmônica de Viena, mas continuará como maestrina honorária da Osesp

Nos últimos 22, 23 e 24 de março, a maestrina Marin Alsop regeu com o brilho de sempre a Osesp para executar a Abertura Leonora nº 3, Op.72b (1805-6) de Ludwig van Beethoven. No mesmo programa, prosseguiu regendo o Concerto nº 4 Para Piano em Sol Maior, Op. 58 (1805-6) com três movimentos, também de Beethoven, tendo ao piano o russo Nikolai Lugansky. Terminou o programa regendo de Beethoven a Sinfonia nº 3 em Mi Bemol Maior, Op.55 – Eroica (1803-4), em quatro movimentos. Os que tiveram oportunidade de assistir ao concerto ao vivo devem ser considerados uns privilegiados, pois raramente contarão com novas oportunidades como esta.

Quando ela chegou a São Paulo, já consagrada por ter regido a Orquestra Sinfônica de Baltimore, nos Estados Unidos, ainda era uma esperança de que poderia executar um bom trabalho e tivemos o privilégio de trocar algumas palavras de boas-vindas. Agora, com a designação para dirigir a Orquestra Filarmônica de Viena, que tive o privilégio de assistir executando por quatro horas a Valquíria, de Richard Wagner, naquela capital da Áustria, compreendo a importância daquela cidade para a música erudita mundial. Na mesma cidade, tive a oportunidade de usufruir a brilhante execução da consagradora Sinfônica nº 9 de Beethoven, acompanhado de um excepcional coral de cerca de 100 vozes. É uma euforia saber que a maestrina Marin Alsop seguirá de São Paulo para Viena, onde se sente todo o clima do que há de melhor em música no mundo, inclusive no cenário de palácios que foram ocupados por gerações dos Habsburgos e que tiveram ligações com a família imperial do Brasil.

Apesar das dificuldades atuais de patrocínios de concertos de música erudita no Brasil e no mundo, acredita-se que, mesmo com as limitações naturais, as boas orquestras continuarão com seus trabalhos, mesmo com ajustes em suas escalas, para oferecer refrigérios para todos os sofridores atuais, dos mais modestos até os privilegiados. A Osesp, certamente, procurará manter a sua qualidade encontrando formas criativas para contar com recursos para a sua sobrevivência, ampliando seus programas para atender novos interessados, inclusive as crianças.



Deixe aqui seu comentário

  • Seu nome (obrigatório):
  • Seu email (não será publicado) (obrigatório):
  • Seu site (se tiver):
  • Escreva seu comentário aqui: