Tentando aproximar a Ásia da América do Sul e vice-versa

Terras Raras Localizadas no Japão

10 de Abril de 2018
Por: Paulo Yokota | Seção: Economia, Editoriais e Notícias | Tags: , ,

clip_image002Como todos sabem que as terras raras, quase um monopólio chinês no mercado mundial, são estratégicas para novas tecnologias, notadamente para a produção de veículos híbridos e elétricos. Os pesquisadores japoneses localizaram grandes reservas deste produto no fundo do mar, a cerca de 1.900 quilômetros a sudeste de Tóquio, e já possuem tecnologias para a sua extração comercial.

Um pesquisador japonês examina uma amostra de terras raras localizadas no fundo do mar, ao sul da ilha de Minami-Torishima, a cerca de 1.900 quilômetros de Tóquio. Foto constante do artigo no Nikkei Asian Review

Um artigo publicado por Naoki Asanuma no Nikkei Asian Review informa que os pesquisadores japoneses realizam trabalho com terras raras, liderados por Yutaro Takaya, da Universidade de Waseda, e professor Yasuhiro Kato, da Universidade de Tóquio. Os detalhes técnicos foram publicados no Scientific Reports, uma revista científica inglesa online. Eles informam que conseguiram a tecnologia de extração eficiente destes minérios.

A China contava com 90% da oferta de terras raras no mundo, que são estratégicas para a produção de carros híbridos e elétricos, bem como imãs para turbinas eólicas e materiais fluorescentes para diodos emissores de luz.

A equipe de pesquisa japonesa coletou amostras de terras raras em 25 locais no fundo do mar, em uma área de 2.500 quilômetros quadrados ao sul da ilha de Minami-Torishima e analisou a sua intensidade. As estimativas permitem atender 730 anos de demanda global de disprósio, usado para imãs em carros híbridos, e 780 anos da demanda de ítrio, que é usado para lasers, segundo o artigo.

O método de recuperação das terras raras desenvolvido pelos pesquisadores utiliza o fosfato de cálcio, uma substância composta de dentes e ossos. O minério localizado contém alta densidade de elementos de terras raras e possui um grande diâmetro de partículas. Tudo indica que os produtos podem ser superiores aos da China continental.

A equipe de Yasuhiro Kato obtive indícios promissores em 2012 e formou um consórcio incluindo a Modec, uma construtora de plataformas flutuantes offshore e a Toyota Motor para extrair os produtos desejados.

Tudo indica que o desenvolvimento destas novas tecnologias devem se acelerar, diante da quebra do monopólio chinês, ampliando as perspectivas de veículos híbridos e elétricos, também fora da China.



Deixe aqui seu comentário

  • Seu nome (obrigatório):
  • Seu email (não será publicado) (obrigatório):
  • Seu site (se tiver):
  • Escreva seu comentário aqui: