Tentando aproximar a Ásia da América do Sul e vice-versa

Hanami (Cerejeiras em Flôr) ou Butoh

8 de janeiro de 2010
Por: Paulo Yokota | Seção: Livros e Filmes | Tags: , , , , , | 3 Comentários »

Um dos filmes mais impressionantes que vi recentemente, envolvendo a interpretação do espírito oriental pela perspectiva ocidental, foi esta magnífica obra da diretora alemã Doris Dörrie. Imperdível. Vendo as críticas favoráveis na imprensa, ainda acho que existem muito mais coisas que não chegaram a ser compreendidas pelos seus autores. Os seus três principais atores, Elmar Wepper, Hannelore Elsner e Aya Irizuki superam as mais altas expectativas e o roteiro surpreende a todos, mantendo a platéia presa nos dramas que se desenvolvem.

Entre os ocidentais, os que mais se aproximam dos orientais na forma de pensar, são os alemães. É por isso que o código civil japonês, que começou sob inspiração francesa, acabou sendo influenciado fortemente pelo alemão, assim como a medicina daquele país. Muitas coisas são universais, como a dificuldade de comunicação entre as pessoas.
Leia o restante desse texto »


“O Homem que Amava a China”

8 de janeiro de 2010
Por: Paulo Yokota | Seção: Cultura | Tags: , , , , , , | 1 Comentário »

de Simon Winchester, São Paulo, Companhia das Letras, 2009.

A tradução de Donaldson M. Garschagen do livro “The man who loved China”, com o subtítulo “A fantástica história do excêntrico cientista que desvendou os mistérios do Império do Centro”, é uma biografia do bioquímico inglês Joseph Needham. Ele era da Cambridge University, conquistou prestígio acadêmico muito jovem, faleceu aos 94 anos, em 1995, e era considerado o maior conhecedor da China no Ocidente.

Needham era socialista, ativista, nudista, mulherengo, amante de locomotivas e carros esportivos, e dominava muitos idiomas. Na década de 30 do século passado, passou a interessar-se pela China, chegando a dominar o chinês, inclusive o arcaico. Simon Winchester, o autor do livro, é geólogo de formação e escreveu para consagradas publicações.

Este livro é das biografias mais fascinantes, envolvendo pesquisas profundas e enriquece o fenomenal trabalho de Needham, que organizou o monumental “Science and Civilisation in China”, em seis volumes, a mais completa enciclopédia sobre o assunto. Escreveu dezenas de outros livros e artigos sobre a China, a maioria publicada pela prestigiosa Cambridge University Press. Estava convencido de que o mundo necessitava conhecer mais a Ásia, principalmente a China.

Leia o restante desse texto »


Festas de Fim e Começo de Ano

3 de janeiro de 2010
Por: Paulo Yokota | Seção: Cultura | Tags: , , , , ,

Algumas das coisas mais estranhas para os sul-americanos no Extremo Oriente são as festas de fim de ano. Na América do Sul, como na maioria dos países ocidentais, o Natal é uma das datas mais festivas, por influência do cristianismo, sendo um feriado, inclusive parte de sua véspera. É costume haver uma ceia na véspera, e um almoço no dia 25 de dezembro.

Evidentemente, no mundo não cristão, que compreende mais da metade do universo, a data não faz muito sentido, mas os interesses comerciais estão influenciando diversos países, criando um Natal para se presentear as pessoas a quem se quer agradecer.

No Japão, 25 de dezembro é um dia útil como qualquer outro, com jornada completa nos empregos, mas as lojas estimulam a venda de presentes. Os ocidentais que vivem por lá só comemoram o Natal à noite, com um jantar e troca de presentes, cultivando a chegada do Papai Noel ou do São Nicolau (Santa Claus, em inglês). Muitos esquecem que se trata de um feriado religioso, comemorando o nascimento de Jesus Cristo.
Leia o restante desse texto »


A Crise Acelera Mudanças

3 de janeiro de 2010
Por: Paulo Yokota | Seção: Cultura | Tags: , , , ,

Muitas são as notícias que nos informam sobre as transformações que estão ocorrendo no mundo para superar as dificuldades criadas pela profunda crise econômica que afetou a todos. Além de centenas de medidas para se ajustar aos novos tipos de demandas internas e externas, que passaram por significativas alterações, todas as economias do mundo estão sendo obrigadas a promover mudanças estruturais mais importantes. Isto ocorre na América do Sul como na Ásia.

Certamente haverá aperfeiçoamentos de envergadura não só nas atividades financeiras, principalmente internacionais, para que os problemas que ocorreram não se repitam. Como ao nível das produções de bens, porque esta crise está coincidindo também com uma maior consciência dos altos e iminentes riscos provocados pelo intenso uso dos combustíveis poluentes, que estão elevando o nível do aquecimento global, trazendo sérias consequências como as que já estão afetando o clima nas mais diferentes regiões do planeta.

Leia o restante desse texto »