Tentando aproximar a Ásia da América do Sul e vice-versa

Aumento da Disponibilidade de Alimentos Mais Saudáveis

28 de dezembro de 2012
Por: Paulo Yokota | Seção: Editoriais, Gastronomia, Notícias, Saúde, webtown | Tags: , , ,

O aumento constante de bons restaurantes em São Paulo como em todo o Brasil oferecendo alimentos mais saudáveis a custos mais convenientes é motivo de grande otimismo. No passado, eles eram limitados e a qualidade do que se encontrava não atendia o mínimo dos paladares médios. Hoje, se encontram muitas alternativas de elevada qualidade, utilizando o máximo de produtos naturais, livres de agrotóxicos e fertilizantes químicos, com temperos adequados em sal, gordura ou açúcar, que são locados à disposição dos consumidores que ainda não mudaram seus hábitos.

No passado, este tipo de cuidado era mais restrito, resumindo-se a alguns europeus com tendências naturalistas. Hoje, além dos de influência religiosa como os budistas, também se encontram outros de origem asiática, com sabores aceitáveis, atendendo faixas de clientes que impões variadas condições. Os mais frequentes são as eliminações de usos de carnes, mas também existem os que eliminam peixes, leites, queijos e ovos. Com o aumento dos consumidores que estão acima do peso, nota-se que muitos estão recorrendo a estes produtos considerados mais saudáveis.

imagesspazziano-culinaria-organica-no-rio-de-janeiro-2

Culinária vegetariana e/ou orgânica está em alta

Leia o restante desse texto »


Obesidade Tornou-se um Problema Universal

19 de dezembro de 2012
Por: Paulo Yokota | Seção: Editoriais, Notícias, Saúde, webtown | Tags: , , ,

O problema da obesidade em todo o mundo tornou-se tão grave a ponto da revista The Economist elaborar no número desta semana um relatório especial com diversos artigos. Tanto em países desenvolvidos como em desenvolvimento, nota-se um aumento assustador de obesos, atingindo principalmente a população mais pobre, tornando-se um problema de saúde pública. O problema decorre de uma alimentação exagerada que começa na tenra idade, criando hábitos pouco saudáveis, como o consumo exagerado de refrigerantes e os chamados “junk food”, ao mesmo tempo em que se fazem menos exercícios, criando variados problemas de saúde, começando com o diabetes, cardíacos, acidentes vasculares cerebrais e até câncer.

Os dados constantes do gráfico abaixo mostram que, mesmo com dados que vão somente até 2008, as elevações dos percentuais de obesos nos Estados Unidos, entre os britânicos e também os brasileiros com relação à população total. Os de outros países também mostram um crescimento assustador, ao mesmo tempo em que a longevidade vem aumentando, infelizmente, com mais enfermos crônicos, agravados pelas obesidades que influem diretamente no aumento dos doentes crônicos, segundo os estudos disponíveis.

clip_image001

A humanidade preocupou-se, segundo o artigo resumo do The Economist, com o problema da insuficiência da alimentação, e agora enfrenta os de excesso do seu consumo, com qualidade inferior, ou seja, mais gorduras, sais, açúcares e carboidratos.

Entre 1980 a 2008, as taxas dos obesos dobraram, medido pelo chamado IMC – Índice de Massa Corpórea (mais de 77 quilos para homens de 1,75 metros). Segundo a revista os Estados Unidos apresentam dois terços dos adultos estavam acima do peso ideal, na Grã-Bretanha com seis entre dez habitantes. Mesmo em países com renda per capita mais baixa, como na China, no Brasil, no México, Venezuela e África do Sul, acompanham a tendência de agravamento, com o desenvolvimento econômico permitindo excessos de alimentações. As ilhas do Pacífico e os países do Golfo Pérsico apresentam os melhores dados.

Os governos podem fazer pouco neste assunto, havendo algumas tentativas com a tributação mais pesada sobre alimentos mais gordurosos, mas nem todos eles são nocivos. Os obesos, além mais sujeitos às moléstias crônicas, acabam apresentando menos capacidade de trabalho e os seus salários são mais baixos, implicando em seguros saúde mais elevados. Na Dinamarca, tentou-se uma tributação sobre a gordura, mas a medida acabou sendo abandonada.

Na maioria dos países, no mínimo parte dos custos de saúde acabam sob responsabilidade governamental. A população mais pobre gasta um percentual maior de sua renda com a alimentação. Estão se promovendo cirurgias e medicações, mas os resultados são insignificantes diante do aumento geral da obesidade.

Tudo indica que não existe uma solução simples para o assunto, mas está se tentando modificar o conceito que bebês mais obesos são mais saudáveis. E nas escolas está se tentando uma alimentação mais saudável, ao mesmo tempo em que exercícios estão sendo facilitados, como o uso de bicicletas ou calçadas amigáveis aos pedestres.

Tributações mais pesadas sobre bebidas calóricas e dimensões menores também estão sendo tentados. Na Filadélfia e em Nova Iorque, estas medidas estão dando alguns pequenos resultados. A responsabilidade da melhora acaba sendo individual, e o que vem sendo feito é a divulgação das práticas alimentícias mais saudáveis.

Os estudos mostram que o corpo humano tende a acumular gordura desde os tempos das cavernas, e quando se perde o peso, ele trabalha para reaver as gorduras. Medidas médicas não parecem alcançar resultados expressivos. As tributações sobre gorduras ainda são desafios. Um estudo trata das influências da obesidade sobre o diabetes. Somente a alimentação não é suficiente para evitar a obesidade. As empresas continuam produzindo alimentos nocivos enquanto existir demanda. Alguns governos locais estão conseguindo influir numa alimentação mais sadia. A pressão social sobre o “junk food” parece ser a solução mais viável. São alguns assuntos que estão tratados no estudo especial do The Economist.

O Brasil também precisa tratar deste assunto que está se agravando.


Redução do Sal, da Gordura e do Açúcar na Alimentação

18 de dezembro de 2012
Por: Paulo Yokota | Seção: Editoriais, Gastronomia, Notícias, Saúde, webtown | Tags: , , ,

Mudanças notáveis estão se observando na alimentação dos brasileiros, acompanhando as alterações nos hábitos de vida. No passado, os brasileiros exerciam muitas atividades no meio rural, que demandavam esforços físicos que consumiam mais calorias, e o sal, as gorduras e o açúcar não chegavam a afetar a sua saúde. Hoje, com atividades mais sedentárias e a intensa utilização dos veículos, seus esforços físicos acabaram se reduzindo, ainda que alguns estejam compensando com mais exercícios. Observa-se que a obesidade passa a ser uma preocupação relevante, além de medidas para evitar doenças como o diabetes, com a elevação da expectativa de vida.

Além de uma minoria que se concentra nas alimentações mais saudáveis, orgânicas e naturais, vai se generalizando a divulgação sobre a necessidade de redução do consumo de produtos industriais. Principalmente aqueles que utilizam sal, gorduras e açúcar em exagero. A velocidade com que estas mudanças estão se disseminando no Brasil é animadora, com um grande número de variadas e novas publicações especializadas no assunto.

94089_t_2004100559guia-da-vida-saudavel-zero-hora_MLB-F-2933747442_072012R-VVSAU83_977180645700883c

Leia o restante desse texto »


Indicadores da Melhoria na Agricultura Brasileira

17 de dezembro de 2012
Por: Paulo Yokota | Seção: Economia, Editoriais, Notícias, Saúde, webtown | Tags: , , ,

Para se obter uma visão geral do desenvolvimento que continua ocorrendo na agricultura brasileira, basta fazer uma visita ao que é apresentado semanalmente na Ceagesp, principal centro de abastecimento da metrópole paulistana. O que está exposto para a venda direta aos consumidores, além do atacado que abastece os principais estabelecimentos que servem a população local, apresenta uma rica diversidade e mostra a melhoria da produção que vem ocorrendo no país, ao que se soma o que vem sendo importado de muitos países vizinhos. Não se trata somente de verduras e legumes, como frutas, pescados, todos os temperos e ingredientes que são utilizados na alimentação da população. Além das flores que ajudam a alegrar a vida dos paulistanos.

Uma visita à Ceagesp renova o otimismo daqueles que são bombardeados por notícias alarmantes dos meios de comunicação social, que parecem viesados para o negativismo e pessimismo. O incessante trabalho de milhares de agricultores que procuram diversificar a sua produção, além de eles estarem à disposição dos consumidores o ano todo, cada vez com melhor qualidade. Sempre se encontram novidades mostrando que os produtores estão atentos para o que está acontecendo no mundo, verificando o que pode ser produzido no Brasil, com adaptações e muitos aperfeiçoamentos.

CEAGESP-SPfeira_flores

245686545_0c05254b2a_mimages3020546889_88d4018ea8_z

Leia o restante desse texto »


Pensamento Positivo Tem Comprovação Científica de que faz bem

9 de dezembro de 2012
Por: Paulo Yokota | Seção: Editoriais, Notícias, Saúde, webtown | Tags: , ,

Apesar de ser admitido por muitos leigos e profissionais, os pesquisadores médicos não se arriscavam a pesquisar a ligação entre a mente e o corpo, com o receio de serem considerados ridículos. Os médicos já reconheciam o efeito do placebo, por exemplo, em que a ilusão do tratamento, com comprimidos sem ingredientes ativos, produziam benefícios à saúde dos pacientes. Um artigo da revista The Economist refere-se a um estudo recente publicado na revista científica Psychological Science por Barbara Fredrickensen e Bethany Kok, da University North Carolina at Chapel Hill. Demonstrou-se que as pessoas que experimentam emoções positivas vivem mais e saudáveis. Eles têm menos ataques cardíacos e até menos resfriados.

imagesCAHAWW95

Leia o restante desse texto »


Comprovações Que Dietas Saudáveis Beneficiam Cardíacos

6 de dezembro de 2012
Por: Paulo Yokota | Seção: Editoriais, Gastronomia, Notícias, Saúde, webtown | Tags: , ,

O que já era aceito com base em diversas pesquisas menores foram confirmados por uma nova e grande envolvendo 32 mil pacientes, em 40 países, que durou 5 anos, financiado pela empresa farmacêutica alemã, Boehringer Ingelheim. Os resultados foram publicados no jornal médico Circulation, da American Heart Association, e divulgado num artigo de Jennifer Corbett Dooren, do The Wall Street Journal, informando que muitos pacientes assumem frequentemente que a medicação é suficiente para a repetição de problemas cardíacos e derrames. O relatório divulgado nesta última segunda-feira mostra que, além das medicações, dietas saudáveis, aquelas que recomendam frutas, vegetais, grãos integrais, nozes, e consumos de peixes, reduzem em 35% a repetição dos problemas.

Embora se aceite que estas dietas são ferramentas poderosas para a prevenção deste males, pouco se sabia sobre o impacto sobre as pessoas que já tinham estas doenças. Eles também mostraram que 28% dos pacientes são menos propensos a desenvolver insuficiências cardíacas congestivas, 14% menos propensos a terem ataques cardíacos adicionais e 19% menos possibilidade de ter um acidente vascular cerebral.

clip_image001clip_image001[6]

clip_image001[8]clip_image001[10]

São sugeridos como dietas saudáveis os consumos de quatro porções semanais de nozes ou sementes; pelo menos duas porções de peixes; quatro xícaras de frutas e verduras diárias; três porções de grãos integrais por dia, além de limitar a ingestão de bebidas com sódio ou açucarados. Recomenda-se também a limitação do consumo de carne processada para um máximo de duas porções por semana, segundo o artigo.

Existem médicos que acreditam que as pessoas que utilizam dietas saudáveis são também as que exercitam mais e adotam também outros procedimentos considerados saudáveis, não os relacionando somente com a alimentação. Os medicamentos receitados pelos médicos não devem ser suspensos.

É confortante saber que estas dietas saudáveis são também preventivas, em alguma medida, para a repetição dos problemas, pois muitos pacientes procuram efetuar os exercícios recomendados e utilizar os medicamentos receitados pelos médicos, mas é natural que estão mais preocupados com novos acidentes.

A pesquisa envolveu uma amostra bastante grande e ampla, pois algumas etnias possuem maiores propensões para estes problemas circulatórios, notadamente quando chegam a determinadas idades. Outros cuidados são recomendados, como o controle do peso que parece esquecido, com o consumo exagerado de produtos alimentícios industrializados.

Muitos estudos estão recomendando alimentos que possuem cores marcantes que contêm substâncias saudáveis para a saúde humana. E muitos estudos científicos estão recuperando alimentos que eram consumidos por alguns povos como os maias, astecas e incas. Também a ampla biodiversidade brasileira está merecendo muitos estudos que comprovam elementos benéficos para a alimentação saudável, entre eles o chocolate amargo, o açaí, bem como outras sementes como a castanha do Pará.


Tradicional Medicina Chinesa no Brasil

12 de novembro de 2012
Por: Paulo Yokota | Seção: Editoriais, Notícias, Saúde, webtown | Tags: , , ,

A Folha de S.Paulo de sábado último publicou um artigo de Giuliana Miranda no setor relacionado à saúde e ciência, com o título “Pais vai regulamentar medicina chinesa”. Informa que a Anvisa – Agência Nacional de Vigilância Sanitária publicou no Diário Oficial um embrião de projeto para provocar a consulta pública sobre o assunto, o que parece necessitar de esclarecimentos adicionais. Pelo que se sabe, a acupuntura, por exemplo, já está autorizada a ser praticada no Brasil, se efetuada por um médico que tenha qualificação para tanto. Como o artigo acabou enfatizando aspectos que são considerados exóticos, como o uso de alguns componentes utilizados em alguns tratamentos, pode-se acabar provocando algumas distorções na sua adequada compreensão. Citam-se somente alguns esclarecimentos prestados por fisioterapeutas, como Reginaldo de Carvalho Silva Filho, que seria o diretor de uma entidade chamada Ebramec – Escola Brasileira de Medicina Chinesa.

Tudo indica que o enfoque sobre a saúde na tradicional medicina chinesa difere da utilizada no Ocidente, na medida em que envolve uma visão global do ser humano, trabalhando com o conceito que é preciso preservar o equilíbrio de todo o corpo, onde a energia passa por diversos medianos. Muitos dos “medicamentos” utilizados são fitoterápicos, diferindo os alopáticos, havendo diversas correntes nas técnicas utilizadas. O artigo da Folha de S.Paulo cita a acupuntura, tai chi chuan e o tuiná, um tipo de massagem, mas parece que isto é somente um conhecimento parcial.

Chinese_meridians

Leia o restante desse texto »


Novas Comprovações dos Benefícios do Tomate

9 de outubro de 2012
Por: Paulo Yokota | Seção: Editoriais, Gastronomia, Notícias, Saúde, webtown | Tags: , ,

Já havia comprovações sobre os benefícios do licopeno para a saúde humana, principalmente nos homens. Esta substância é encontrada principalmente no tomate, mas também em muitas frutas coloridas como o mamão, grapefruit, melancia e manga. O artigo publicado por Jennifer Corbett Dooran, no The Wall Street Journal, adiciona informações importantes obtidas pelas pesquisas efetuadas tendo no comando Jouni Karppi, afiliado da University of Eastern Finland’s Department of Medicine, publicado na revista científica Neurology. O estudo envolveu 1.031 finlandeses que foram acompanhados, em média, por 12 anos, entre as idades de 42 a 61 anos.

O estudo informa que, no geral, o risco de acidentes vasculares entre os que contam com elevado nível de licopeno é cerca de 55% menor que os outros. Segundo o Departamento de Agricultura dos Estados Unidos, as maiores concentrações são encontradas em tomate cozido como purê, molho e pasta, bem mais elevadas que no tomate fresco. Uma xícara de molho de tomate contém mais de 31.000 microgramas de licopeno, enquanto o tomate cru tem 3.165 microgramas.

molho_de_tomatetortadericotacomtomateXSmall3tomatoes

As diretrizes alimentares dos Estados Unidos, segundo artigo, recomendam que os americanos consumam pelo menos 5 a 9 porções de frutas e vegetais, associando a prática com a redução dos riscos de ataques cardíacos e derrames. Estudos comprovam que o licopeno pode reduzir o risco de câncer da próstata e de outros tipos.

Os estudos efetuados na Finlândia foram acurados, e amostras dos sangues foram colhidas no início dos estudos, depois de sete anos, para a maioria de homens, que acabaram sendo acompanhados por 12 anos.

Foram examinados outros componentes que tinham a possibilidade de afetar nos acidentes vasculares cerebrais. Outros efeitos não foram detectados, mas a associação com os níveis mais altos de licopeno e a redução de 55% dos acidentes ficou clara. Outras causas destes AVC foram todas identificadas, e todo o grupo foi dividido por níveis diferentes de licopeno.

Para aqueles que consomem tomates na forma de saladas, chega a ser surpreendente que o licopeno, um antioxidante, seja mais concentrado na forma de molhos preparados. Ainda que assim seja, o consumo de produtos que tenham este elemento sempre acaba sendo recomendado, nas suas mais variadas formas, pois outros benefícios também ficam claros, principalmente para os que atingem idades que estão avançando cada vez mais.


História de Superação desta Olimpíada de Londres

30 de julho de 2012
Por: Paulo Yokota | Seção: Editoriais, Notícias, Saúde, webtown | Tags: , , , | 4 Comentários »

Ainda que o caso nada tenha com a Ásia ou a América do Sul, estas superações humanas acabam sendo lições universais, úteis para todos nestes dias das Olimpíadas de Londres. A história do ginasta irlandês Kieran Behan, publicada também no site da UOL, pode ser encontrada pela Google utilizando-se os meios usuais da internet, mostrando uma rara superação pela determinação, que chega à beira do fantástico. Depois de diversas tentativas, ele acabou conquistando a sua participação nas Olimpíadas, com antecedentes calando médicos que diagnosticaram que ele passaria o resto de sua vida numa cadeira de rodas.

Nascido em 1989 em Londres, quando tinha 10 anos foiencontrado um tumor benigno na sua perna. Com complicações na cirurgia para a sua remoção, acabou ficando numa cadeira de rodas, tendo retornado aos exercícios 15 meses depois. Não muito depois do seu retorno, não conseguia o equilíbrio, tendo se diagnosticado um dano no seu cérebro que não permitia a sua coordenação. No hospital afirmavam que ele não voltaria a andar, com o que ele não se conformava, e com a sua insistência conseguiu que sua mãe o retirasse da instituição para ser cuidado por ela em sua casa.

Kieran%20Behan%20Test%20Event-thumb-2

Kieran Behan

Leia o restante desse texto »


Alta e Contemporânea Culinária Chinesa Com o Uso do Chá

24 de julho de 2012
Por: Paulo Yokota | Seção: Editoriais, Gastronomia, Notícias, Saúde, webtown | Tags: , ,

Não se trata de novidade, mas sempre existem novas leituras criativas, como a sofisticada e delicada combinação de diversos tipos de chás na alta e contemporânea culinária chinesa. Tanto na forma de infusão como pelo uso das folhas com alimentos, nas variadas formas que são utilizadas como bebidas. A finalidade acaba sendo a mesma, ao facilitar a digestão com a absorção das gorduras. O texto completo pode ser encontrado, em inglês, nas paginas do China Daily, elaborado por Ye Jun, com ilustrações: http://usa.chinadaily.com.cn/life/2012-07/21/content_15605592.htm.

A matéria ressalta que estes pratos podem ser encontrados no Jewel Chinese Restaurant no Westin Beijing Financial Street, que conta com um menu de 16 pratos com 10 tipos diferentes de chá. O chef Cai Guangmin efetuou intensas pesquisas, absorvendo o que já havia de tradicional em diversas regiões chinesas como Hanzhou, Sichuan, Beijing, Fujian, Taiwan, sendo até objeto de pesquisas como no Departamento de Chá da Universidade de Zhejiang.

f04da2db112211743b842c

Sea bass is steamed with Xinyang maojian tea. Photos by Ye Jun / China Daily

O artigo explica que o uso do chá apresenta algumas dificuldades, pois seus sabores costumam ser suaves e delicados, sendo difícil captar inclusive suas fragrâncias, notadamente em alimentos quentes. Evidentemente, trata-se de iguarias adequadas para paladares sofisticados, treinados para apreciar todas as suas nuances. E os seus preparos demandaram longas pesquisas.

b8ac6f27ad271174ac5227

Salted tieguanyin (oolong) leaves are served with deep-fried shrimps at the restaurant

Alguns pratos são de peixes e utilizam chás de diversas origens e diferentes preparos, desde o verde até o preto, inclusive nas formas de folhas e algumas flores, como o de crisântemo. Alguns são mais conhecidos como o oolong e o pu’er, que podem ser encontrados em alguns estabelecimentos especializados no Brasil, notadamente em São Paulo. Mas eles acabam se diferenciando dependendo a região de sua procedência.

Estes chás também são utilizados com pratos de sabor marcado, como os que utilizam os patos, inclusive nas formas defumadas. Mas também em sopas tradicionais de frangos, que fazem parte da rica culinária chinesa. Igualmente em paladares que não são usuais no Ocidente, com o amargo-doce.

f04da2db112211743bde30

Stewed chicken with three cups sauce and pu’er tea, served at Jewel Chinese Restaurant in Beijing. Provided to China Daily

Existem também carnes preparados no conhecido wok, que costumam ser de cozimentos rápidos, para manterem os sabores das matérias-primas utilizadas. Com o uso do chá, os pratos acabam ficando mais leves e menos gordurosos.

O chef Cai informa que os benefícios do chá nos pratos acabam sendo os mesmos das bebidas, utilizando-se também na forma de pó. Zou Jun, diretor de uma empresa especializada em chá, informa que já em 1980 havia um conjunto completo de pratos usando chá em Taiwan. Nos anos noventa foram criados novos em várias regiões chinesas.

A culinária chinesa ampliou sua influência pelos países asiáticos, por exemplo, no Japão onde são conhecidos os usos do chá combinados com o arroz, e algumas conservas ou condimentos, que acabam sendo utilizados de forma semelhante às canjas, sendo recomendados para os que estão cansados ou ligeiramente resfriados, por combinarem amidos com os efeitos benéficos do chá. São reconfortantes.

É sempre interessante relembrar que na Ásia a alimentação se confunde com os medicamentos, destinados à manutenção da saúde.