Tentando aproximar a Ásia da América do Sul e vice-versa

Dentro da Programação do SOS Japão

8 de Abril de 2011
Por: Paulo Yokota | Seção: Notícias | Tags: , | 2 Comentários »

Dentro da programação beneficente do SOS Japão, os seus organizadores utilizam diversos meios para arrecadar recursos para serem doados às vitimas dos terremotos e tsunami de 11 de março último no Japão, ao mesmo tempo em que demonstram a sua solidariedade.

Já noticiamos um concerto beneficente da Osesp e reconhecidos artistas nipo-brasileiros na Sala São Paulo no próximo dia 11 de abril, segunda-feira. Um jantar beneficente no Palácio Bandeirantes já está com a adesão esgotada.

No próximo dia 17 de abril, os mais importantes chefs de São Paulo e do Brasil apresentarão os seus trabalhos no Hotel Unique, projetado pelo consagrado arquiteto Ruy Ohtake, conforme consta do convite abaixo. Solicita-se a adesão dos que puderem colaborar.

ADRIANO KANASHIRO  ALEX ATALA  BEL COELHO

BELLA MASANO  CLAUDE TROIGROS E THOMAS TROIGROS

EMMANUEL BASSOLEIL  ERICK JACQUIN  FELIPE BRONZE

HELENA RIZZO E DANIEL REDONDO  JANAÍNA E JEFFERSON RUEDA

JUN SAKAMOTO  LAURENT SUADEAU  MAZZÔ FRANÇA PINTO

MORENA LEITE  TSUYOSHI MURAKAMI  ROBERTA SUDBRACK

RODRIGO OLIVEIRA  RODRIGO QUEIROZ  SALVATORE LOI  SHIN KOIKE

convidam para

UM JANTAR SOLIDÁRIO NO HOTEL UNIQUE

17 de abril de 2011

às 19:30 horas

Avenida Brigadeiro Luís Antônio, 4700 Jardim Paulista

Uma obra da renomada artista plástica

Tomie Ohtake será leiloada no evento.

Organização e apoio:

Aliança Cultural Brasil-JapãoBunkyo

Câmara de Comércio e Indústria Japonesa do Brasil

EnkyoHospital Santa Cruz Kenren

Kodomo-no-SonoKibô-no-Iê

Ikoi-no-SonoYassuragui Home

Apoio:

Consulado Geral do Japão

Hotel Unique

SOS Japão


OSESP E SECRETARIA DE ESTADO DA CULTURA SE UNEM AO PROJETO ‘SOS JAPÃO’ PARA PROMOVER CONCERTO BENEFICENTE NA SALA SÃO PAULO

1 de Abril de 2011
Por: Paulo Yokota | Seção: Destaque | Tags: , , | 14 Comentários »

A apresentação contará com a participação de músicos japoneses e nipodescendentes e com obras de Heitor Villa-Lobos, Toru Takemitsu e Yoshinao Nakada

Em uma iniciativa inédita, a Orquestra Sinfônica do Estado de São Paulo e a Secretaria de Estado da Cultura se juntam a um grupo de entidades japonesas para uma ação que visa arrecadar fundos em prol das vítimas dos recentes desastres naturais que devastaram a região Nordeste do Japão.

osesp-800x300

O concerto realizado pela Osesp, na Sala São Paulo, acontecerá no dia 11 de abril, exatamente um mês após a tragédia, e abrirá as atividades da campanha SOS Japão, que conta ainda com dois jantares –um no Hotel Unique e outro no Palácio dos Bandeirantes- e demais atividades ainda a serem divulgadas. Todas as receitas geradas pelos eventos serão revertidas à causa.

A apresentação contará com artistas japoneses que fixaram residência no Brasil, como a maestrina Naomi Munakata e a soprano Eiko Senda; bem como de artistas nipodescendentes, caso do pianista Fernando Tomimura. A eles se juntam o maestro brasileiro Wagner Polistchuk.

O repertório terá início com o Réquiem, de Toru Takemitsu, obra inédita no Brasil, que será tocada pela Orquestra de Cordas da Osesp, sob regência de Wagner Polistchuk. Na sequência, a maestrina Naomi Munakata comanda o Coro da Osesp em três obras de Villa-Lobos, Pater Noster, Ave Maria, e Bachianas Brasileiras nº5, esta última com a participação do naipe de violoncelos da Osesp e da solista Eiko Senda. Ainda sob regência de Naomi Munakata, as Vozes Femininas do Coro da Osesp cantam a Suíte Borboleta, do japonês Yoshinao Nakada, com solos do pianista Fernando Tomimura. O espetáculo se encerra com as Bachianas Brasileiras nº9, regidas novamente por Wagner Polistchuk

O concerto contará com o patrocínio da CBMM e Camargo Corrêa e apoio do Instituto Tomie Ohtake e da Ingresso Rápido.

Doações para a SOS Japão também serão recebidas na noite do espetáculo.

SOS JAPÃO

Sensibilizados com a catástrofe que recentemente abalou o Japão e deixou cerca de 10 mil mortos e 17 mil desaparecidos, sete entidades japonesas sediadas no Brasil – Bunkyo, Kenren, Kodomo no Sono, Kibo No Iê, Ikoi No Sono, Hospital Santa Cruz e Consulado Geral do Japão – estão promovendo uma campanha para ajudar as vítimas da tragédia que atingiu o país no último dia 11 de março. A iniciativa, batizada de SOS Japão, já tem três eventos confirmados e outros dois em planejamento, todos com a renda revertida para as vítimas.

Sala São Paulo

Segunda, 11/4 (21h);

Preço único: R$50

Aposentados, pessoas acima de 60 anos, estudantes e professores da rede pública têm 50% de desconto, mediante comprovação
Recomendação etária: 7 anos
Cartões de crédito: Visa, Mastercard, American Express e Diners.
Ingressos também pela Ingresso Rápido 4003-1212 – www.ingressorapido.com.br

Estacionamento: 611 vgs (20 para Portadores de Necessidades Especiais e 33 para Idosos) – R$ 12.
Sala São Paulo (1484 lugares) – Pça. Júlio Prestes 16

Bilheteria: (11) 3223-3966.

Regentes

WAGNER POLISTCHUK

Diretor artístico e regente titular da Sinfônica da Universidade Estadual de Londrina em 2003 e 2004, Wagner Polistchuk tem se apresentado à frente de importantes orquestras como a Osesp, as Sinfônicas da USP, do Theatro Municipal de São Paulo, de Santo André, do Teatro Nacional de Brasília, de Mendoza, na Argentina e a Hermitage Orchester, na Suíça. Destacou-se em concursos internacionais no Brasil, Itália e Suíça e foi solista convidado da Landesjugendorchester Bremen da Alemanha na turnê por São Paulo. Em 2009 tornou-se diretor artístico da Camerata Antiqua de Curitiba.

NAOMI MUNAKATA

Nascida no Japão, Naomi estudou piano, violino, harpa e canto. A vocação para a regência começou a ser trabalhada em 1973, com os maestros Eleazar de Carvalho, Hugh Ross, Sérgio Magnani e John Neschling. Anos depois, ganhou o prêmio de Melhor Regente Coral, pela APCA. Em 1986, recebeu do governo japonês uma bolsa de estudos para o curso de aperfeiçoamento em regência da Universidade de Tóquio. Participou de cursos internacionais na Inglaterra, Holanda e Suécia. Hoje, acumula as funções de professora da Faculdade de Artes Alcântara Machado e da Escola Municipal de Música de São Paulo (onde é também regente do coro), de coordenadora do Coral Jovem do Estado de São Paulo e, junto à Osesp, de coordenadora e regente dos Coros Sinfônico e de Câmara.

Solistas

EIKO SENDA – Soprano

Nascida no Japão, Eiko Senda conquistou os primeiros lugares no Wakayama Intl. Music Competition e no Takarasuka Intl. Chamber Music Competition, em 1988. Em 2001 venceu o Concurso Maria Callas. Desde 1995, quando mudou-se para o Brasil, Eiko já foi a personagem protagonista em diversas óperas e apresentou-se em diversos recitais nos mais importantes teatros do país. Entre outras atividades, Eiko Senda promove, como diretora musical, concertos de câmara educativos, abertos ao público, na Universidade de São Paulo (FAU em Concerto).

FERNANDO TOMIMURA – piano
Sua atuação inclui apresentações como concertista, recitalista e camerista ao lado dos principais nomes do cenário musical brasileiro, e repertório diversificado. Além do Brasil, já se apresentou na Alemanha, Finlândia, Rússia, Espanha, Portugal, França, Polônia, Hungria, Áustria, Suíça, Argentina e Chile. É pianista da Fundação Osesp e da Escola Municipal de Música de São Paulo. Em 1999 estreou como diretor musical na ópera A Solteirona e o Ladrão de Gian Carlo Menotti. Fez a estreia brasileira de obras de Béla Bartók e Silvio Ferraz e gravou trilhas sonoras para filmes. Em 2006 gravou, de Willy Corrêa de Oliveira, a série para piano “Velhos Hinos Cantados de Novo”.

OsespDesde 1954, a Osesp trilhou uma história de conquistas, que culminou em uma instituição reconhecida nacional e internacionalmente pela qualidade e excelência. Foi dirigida pelo maestro Souza Lima e pelo italiano Bruno Roccella, mais tarde sucedidos por Eleazar de Carvalho, que por 24 anos permaneceu à frente da Orquestra e deixa um projeto para sua reformulação. Com o apoio do Secretário de Cultura e o empenho do Governador Mario Covas, em 1997 o maestro John Neschling é escolhido para assumir a direção artística e conduzir essa nova fase na história da Osesp. A Sala São Paulo é inaugurada em 1999 e, nos anos seguintes, são criados os coros Sinfônico, de Câmara, Juvenil e Infantil; o Centro de Documentação Musical Maestro Eleazar de Carvalho; o Serviço de Assinaturas; o Serviço de Voluntários; os Programas Educacionais; a editora de partituras Criadores do Brasil; e a Academia da Osesp. Em maio de 2009, a Osesp ganha o XII Prêmio Carlos Gomes na categoria Orquestra Sinfônica, pelo conjunto de apresentações realizadas durante o ano de 2008. Indicada pela revista inglesa Gramophone como uma das três orquestras emergentes no mundo às quais se deve prestar atenção, a Osesp dá continuidade ao projeto de ampliação constante da cultura musical brasileira e para a Temporada 2010 conta com o maestro francês Yan Pascal Tortelier como regente titular e o músico e escritor Arthur Nestrovski como diretor artístico.

Instituída em junho de 2005, a Fundação Osesp administra a Orquestra, a Sala São Paulo e, consequentemente, as relações de trabalho de mais de 290 pessoas – entre músicos, administração e técnicos – permitindo maior agilidade administrativa, ampliação de parcerias e melhoria na qualidade dos serviços oferecidos.

Mais informações:

www.osesp.art.brhttp://twitter.com/osesp[email protected]