Tentando aproximar a Ásia da América do Sul e vice-versa

Still Life with Rice, de Helie Lee

3 de setembro de 2010
Por: Naomi Doy | Seção: Livros e Filmes | Tags: , , , , ,

A autora, Helie Lee, nascida na Coreia do Sul, emigrou para o Canadá ainda criança com os pais e a irmã, em 1968. Dali, a família passou para a Costa Oeste americana, onde hoje reside, em LaCrescenta, Califórnia. Seus pais desejavam para suas filhas um futuro com liberdade e sem ameaça de guerras, onde pudessem manter a identidade cultural. Helie Lee cresceu odiando sua origem asiática, renegando a herança coreana, e tudo fazia para parecer uma garota ocidental. Mas na sua casa se falava coreano, e ela indiscutivelmente não conseguia passar sem a sua tigela de arroz com kimuchi (conserva típica de legumes com molho picante de pimenta vermelha). Uma atração irrefreável a leva a uma viagem em busca de suas raízes, já adulta, à Coreia do Sul e a Xangai, na China.

Neste livro, Helie Lee relata a provação vivida pelo povo coreano desde a ocupação japonesa até os recentes anos da Coreia dividida em Norte e Sul, e em permanente estado de guerra fria depois de ter suportado uma devastadora guerra civil. Narrada pela voz da sua avó materna, Hongyong Baek, nascida em Pyongyang em 1912, é, ao mesmo tempo, uma dura e incisiva revelação do sofrimento das mulheres e crianças coreanas – pois guerras e invasões, embora seja um jogo de homens, fazem de mulheres e crianças as maiores vítimas.

Capa Still Life With Rice - Helie Lee

Leia o restante desse texto »


Objetivos Agressivos no Turismo Asiático

22 de agosto de 2010
Por: Paulo Yokota | Seção: Intercâmbios | Tags: , , , ,

O jornal Japan Times informa que houve uma reunião dos principais responsáveis pelo turismo dos três países do Extremo Oriente, China, Coreia e Japão, em Hangzhou, tendo estabelecido uma meta de 26 milhões de turistas anuais, o dobro da cifra do ano passado, 2009. Quem tem visitado estes países verificam que esta meta é perfeitamente atingível, tanto pelos locais a serem visitados como pelo atual ritmo de crescimento deste turismo, com uma adequada infraestrutura para atender a demanda decorrente.

Os aeroportos do Extremo Oriente, suas companhias de aviação, os transportes complementares ferroviários e rodoviários, as instalações hoteleiras, os serviços para atender a massa de turistas com qualidade, tudo cresce a uma velocidade impressionante. E o nível de renda das populações ansiosas para conhecer as formas de bem viver dos países vizinhos já são suficientes.

asia-political

Leia o restante desse texto »


Trens Asiáticos ou Mundiais

14 de julho de 2010
Por: Paulo Yokota | Seção: Trem Rápido | Tags: , , , , , ,

Quem observar os noticiários asiáticos sobre negócios de trens acaba ficando confuso. Tem para todos os gostos, desde a visita da presidente argentina à China e os acordos firmados, como entendimentos de empresas japonesas, coreanas, com tecnologias europeias, para atender mercados até norte-americanos. No meio de tudo isto, o anúncio da concorrência no Brasil para ser julgado ainda este ano.

O que se pode sentir é que o setor ferroviário se globalizou com empresas, tecnologias, financiamentos, mão de obra, componentes e tudo que envolve grandes obras de logística. Devem ser consórcios que montam verdadeiros quebra-cabeças, com contribuições das mais variadas, nem permitindo saber quem é concorrente de quem.

Se os custos mais baixos, as tradições de operação por prazos mais longos, tudo é incluído no currículo dos componentes de um grande consórcio, vai acabar ficando difícil discriminar o que é de quem. Como está se tratando de projetos que devem operar por muitas décadas, envolvendo riscos econômicos e humanos, parece ser mais conveniente julgar tudo com muito cuidado.

Não se trata somente do Brasil ou de um determinado país, mas acaba se tornando um grande negócio internacional onde a segurança deve ter o devido peso. As lições das dificuldades do Golfo do México devem servir para os mais variados projetos, onde as responsabilidades pelos riscos devem ser desafios para os melhores contratos, com foros claros que não podem ser definidos somente do ponto de vista político.

Que todos nós sejamos sensatos para antecipar, no que forem possíveis, os problemas que vamos enfrentar no futuro, que pode ser distante. Não deve ser um problema simples para qualquer autoridade, pois necessita de um equilíbrio entre a autonomia nacional e os interesses supranacionais.


Produtividade na Ásia

12 de Março de 2010
Por: Paulo Yokota | Seção: Notícias | Tags: , , ,

Um dos indicadores mais importantes da eficiência de uma economia costuma ser expressa pela produtividade da mão de obra. Mesmo tendo limitações para a sua comparação internacional diante dos câmbios utilizados, a sua tendência ao longo do tempo é relevante.

O Japan Produtivity Center, conforme publicado pelo jornal Nikkey, mostra que a eficiência foi de US$ 68.219,00 por trabalhador japonês em 2008, que é 90% da Alemanha e 69% dos Estados Unidos

Nni20100312D11HH981052147

Leia o restante desse texto »


Nada Alarmante, mas há Inflação na Ásia

3 de Fevereiro de 2010
Por: Paulo Yokota | Seção: Notícias | Tags: , , , , ,

Nada alarmante por ora, mas acompanhando a recuperação econômica, alguns países asiáticos começam a se preocupar com os problemas inflacionários. Neste início do ano, eles giram em torno de 3% a 4% por mês, como na Coreia, Indonésia e Tailândia, possivelmente em decorrência de uma política expansionista que foi adotada no ano passado.

Este fenômeno que parecia banido do mundo, e que se manteve baixo e até deflacionário em decorrência do baixo nível de atividade e do consumo, volta a se tornar um problema que deve preocupar as autoridades. Algumas matérias-primas voltaram a registrar crescimentos de preços, pois as ofertas não se ajustam tão rapidamente como as demandas, principalmente quando todos os empresários passaram a adotar políticas conservadoras.

Leia o restante desse texto »


Notícias da Ásia Nesta Segunda Feira

1 de Fevereiro de 2010
Por: Paulo Yokota | Seção: Notícias | Tags: , , ,

A ampla diversidade de fontes disponíveis para colher notícias atualizadas da Ásia nos obriga a selecionar as de interesse mais geral e que tenham repercussões de prazo mais longo. Na imprensa japonesa, destaca-se o início da administração da nova JAL tendo o carismático Kazuo Inamori (da Kyocera) como chairman e Masaru Onishi como presidente. Como já noticiado neste site, são empresários reconhecidos e voltados ao desenvolvimento tecnológico, esperando-se que possam desempenhar um bom trabalho.

Notícia auspiciosa é a divulgação do primeiro relatório de 549 páginas do grupo conjunto sino-japonês sobre os polêmicos incidentes de Nanjing em 1937. A parte japonesa é chefiada pelo professor da Universidade de Tóquio, Shinichi Kitaoka, e a chinesa pelo diretor da Modern History of the Chinese Academy of Social Sciences, Bu Ping. O trabalho começou em 2006 e deve prosseguir nos próximos anos, e a esperança é que isto ajude a facilitar o aumento do intercâmbio bilateral, que já é a mais importante do mundo.

Anuncia-se que Barack Obama apoia o prosseguimento do FTA entre os Estados Unidos e a Coreia do Sul. O Brasil precisa se tornar mais agressivo nestes tipos de acordos bilaterais para não perder o “bonde da história”.

A venda de armas dos Estados Unidos para Taiwan continua gerando fortes reações do governo de Beijing, que considera aquele arquipélago parte da China, devendo evoluir para um status similar como de Hong Kong.

Aqueles que desejarem conhecer mais amplamente a rica culinária chinesa, em inglês, pode acessar o site english.eastday.com , que fornece informações sobre as culinárias regionais de Hunan, Zhejing, Anhui, Fujian, Szechan, Cantonese, Heajyang e Shandong, entre outros.

O filme Confusius, uma superprodução, está merecendo muita atenção na China e deve ser divulgado no resto do mundo.


Importantes Notícias da Ásia

30 de Janeiro de 2010
Por: Paulo Yokota | Seção: Notícias | Tags: , ,

As mais recentes e surpreendentes notícias da Ásia mostram as transformações que estão ocorrendo e merecem atenções. No Japão, o primeiro-ministro Hatoyama, notando o desgaste a que está sendo submetido na opinião pública com as pressões sobre Ichiro Ozaka, secretário geral do DPJ, o principal partido do governo, tenta sair em perigoso contra-ataque. Intensificou seu combate ao sistema administrativo público, promessa eleitoral, e propõe que a escolha da cúpula dos ministérios seja política, inclusive o vice-ministro administrativo, que é o top da carreira dos funcionários. Sem um firme apoio da opinião pública e da Dieta, ainda que a medida possa ser uma tentativa séria, pode levar até a queda do seu gabinete, tornando-se uma questão de confiança,

Na China, cujo sistema bancário dá um suporte decisivo ao setor privado, pela primeira vez o lançamento de um IPO resultou na queda da cotação de uma ação de uma companhia. Pode significar que está havendo uma mudança nesta política, com o início de uma restrição maior da expansão do crédito e selecionando melhor os projetos que merecem o apoio governamental.

Na Coreia anuncia-se que a Samsung atingiu a primeira posição no mundo em seu setor de eletrônica e tecnologia da comunicação, superando em 2009 a Siemens e a HP, chegando a vendas de US$ 117,6 bilhões. Anuncia-se ainda que esta empresa produzirá massivamente o chamado 35 nano DRAM no segundo semestre do ano, possibilitando a TV em 3D, entre outros avanços.


Utilização da Maré na Ásia

21 de Janeiro de 2010
Por: Paulo Yokota | Seção: Tecnologia | Tags: , , , , | 2 Comentários »

Informa-se que a força da maré vem sendo utilizada pela humanidade desde a mais remota Antiguidade, no mínimo para a pesca. Agora, a Coreia do Sul anuncia a implantação da maior usina mundial que utiliza a maré para a geração de energia elétrica.

Esta é uma boa nova, pois o Brasil tem as melhores condições para o seu aproveitamento, tecnologia já intensamente pesquisada em todo o mundo.

Leia o restante desse texto »


Esforço Econômico Coreano com Preservação da Qualidade

16 de Janeiro de 2010
Por: Paulo Yokota | Seção: Notícias | Tags: , , , , | 2 Comentários »

Como qualifica o embaixador brasileiro na Coreia do Sul, Edmundo Fujita, este país está consciente que deve desenvolver uma cultura de sanduíche, por estar entre dois gigantes econômicos: o Japão e a China. Com grande pragmatismo, sabendo que conta com um mercado interno ainda limitado, desenvolve esforços para se manter competitivo no mercado internacional.

Os 30 maiores conglomerados coreanos indicam que, neste ano de 2010, seus investimentos devem crescer em cerca de 16,3%, ao mesmo tempo em que o emprego cresce 8,7%. E é preciso notar que este esforço se efetua paralelamente a um dos maiores empenhos em melhorar as condições do meio ambiente.

Leia o restante desse texto »


Eixo Tecnológico-Empresarial Coreano

13 de Janeiro de 2010
Por: Paulo Yokota | Seção: Tecnologia | Tags: , , , ,

O primeiro-ministro coreano está submetendo ao Parlamento daquele país a criação de um complexo eixo de pesquisas e desenvolvimento, envolvendo o setor privado, na região de Seijang-Daeduk-Osong-Ochang. Parece que absorvem as experiências norte-americanas em torno de Stanford, dos japoneses com Tsukuba e o que se efetua em Cingapura.

É evidente que procuram aproveitar as vantagens da aglomeração, com os olhos voltados para o desenvolvimento tecnológico, mas estão envolvendo empresas de variados ramos de atividade, desde eletrônicos, como a Samsung, até de alimentos, como a Lotte. Ainda que estes grupos estejam envolvidos em muitas atividades. Por ser um país de dimensão relativamente pequena, volta-se mais ao que se efetua na minúscula Cingapura.

Leia o restante desse texto »