Tentando aproximar a Ásia da América do Sul e vice-versa

Glicínia no Japão Atual

1 de Maio de 2013
Por: Paulo Yokota | Seção: Cultura, Editoriais, Notícias, webtown | Tags: , , , ,

Não sendo um especialista no assunto, o que posso registrar são somente as belezas das glicínias nesta época do ano no Japão. Como informa o seu nome científico que se imagina original (wistéria sinensis), tudo indica que seja originária da China, mas como recebem também nomes científicos variados em diversos países, tudo indica que houve adaptações e aperfeiçoamentos que lhes permitiram ganhar características locais, com cores que vão do branco até os lilás, em muitos tons e intensidades. Aparentam serem plantas que podem ser adaptadas, com preferência onde os climas apresentem fortes contrastes entre os dias frios e ensolarados.

O vídeo abaixo, que esperamos que todos possam apreciar consta do site divulgado no Japão, www.web-town.org/ com o qual mantemos um intenso intercâmbio. São cenas colhidas no chamado Parque Tennogawa (possivelmente Rio Imperial, dependendo do ideograma) e mostram que os japoneses preparam armações que favorecem o desenvolvimento ordenado destas trepadeiras, ficando com suas flores pendentes ainda que suspensas. Mas também são encontrados em outras formas, inclusive de bonsai, todas denotando que são cuidadosamente tratadas para poder apresentar-se com toda a sua beleza.

Estes tipos de glicínia também são encontrados no Brasil, notadamente nas regiões com alguma altitude, que proporciona um clima montanhoso, com frios intensos em algumas épocas, mas fortes insolações em outras. Quando devidamente tratadas, desenvolvem-se rapidamente, parecendo que se recomendam podas para que novos ramos tenham melhores condições de floradas intensas.

Parece que também são exigentes em nutrientes, pelo seu rápido desenvolvimento, recomendando-se suplementações adequadas. Como trepadeiras, se contarem com locais de apoio, acabam permitindo que suas flores acabem apresentando-se para baixo, onde contam com espaços adequados para a sua admiração.

Algumas tentativas mostram que as glicínias devem evitar sombras e precisam de tratos contínuos para poder se desenvolver adequadamente, proporcionando a cada estação uma beleza digna de ser apreciada, proporcionando satisfações a todos que sabem apreciar o belo, sabendo que por trás dele existem intensos trabalhos cuidadosos.