Tentando aproximar a Ásia da América do Sul e vice-versa

Expectativa com a Publicação dos Originais de Carolina

29 de julho de 2020
Por: Paulo Yokota | Seção: Editoriais e Notícias, Literatura | Tags: , , ,

Fernanda Canofre publica um artigo excepcional na Folha de S.Paulo sobre este raro e importante assunto. Na versão eletrônica disponível no site da Folha existem pouquíssimas diferenças da versão escrita do jornal. Carolina Maria de Jesus tinha, segundo o artigo, um impulso para escrever sobre o cotidiano da favela em que morava para o que tinha um talento inato. Quando ela levou para a Folha estes originais em 1941 foi informada que ela era poetisa, que pensou inicialmente tratar-se de uma espécie de doença. No bonde que tomou para voltar ao seu barraco perguntou a um passageiro o que significava poetisa e foi informada que era “uma mulher que tem pensamento poético”. Ficou mais aliviada, mas achou que não era conveniente informar isto para seus vizinhos. O artigo informa que ela escrevia para aliviar o cérebro e conseguir dormir.

clip_image002A autora Carolina Maria de Jesus ao lado do rio Tietê, em frente à favela do Canindé, onde morava quando do lançamento do seu livro “Quarto de Despejo”, constante do artigo publicado na Folha de S.Paulo, que merece ser lido na sua íntegra

Leia o restante desse texto »