Tentando aproximar a Ásia da América do Sul e vice-versa

Investimento Público Privado Japonês na Bolívia

9 de novembro de 2010
Por: Paulo Yokota | Seção: Integração | Tags: ,

O respeitável jornal econômico japonês Nikkei anunciou hoje que um inédito consórcio público privado japonês ganhou a concorrência para um projeto de teste de exploração de lítio na Bolívia, vencendo a China, a Coreia do Sul e outros países. Pelo que se sabe é a primeira vez que um consórcio público privado desta natureza é formado pelo próprio METI – Ministério de Economia, Indústria e Comércio do Japão, Kyoto University, Sumitomo Co., Japan Oil, Gas and Metals, National Institute for Advanced Industry, Science and Technology, Mitsubishi Co. e University of Kitakyushu.

Segundo a notícia, o Japão importa atualmente 86% do lítio do Chile, e este material é estratégico para a produção de baterias de lítio que são utilizadas para veículos elétricos, uso de energia solar e eólica. O projeto será desenvolvido no Salar de Uyuni, imenso antigo lago de sal situado no oeste boliviano e considerado a maior reserva de lítio do mundo. Será estudada a localização mais conveniente de sua exploração, bem como tecnologia do seu enriquecimento e purificação. Deverá ter início em 2011 e será estendida por 18 meses.

salar de uyuni

Salar de Yuni, na Bolívia

O METI japonês tomou esta decisão depois que a China passou a reduzir o fornecimento de terras raras, e visa diversificar as fontes de suprimento de materiais estratégicos. O consórcio cuidará também do treinamento da mão-de-obra local e fornecimento de energia, além de tudo necessário para a preservação do meio ambiente para desenvolvimento de recursos naturais.

A notícia informa que os chineses, coreanos e franceses poderão ser convidados para as fases posteriores do projeto. Acredita-se que a Bolívia detém metade das reservas de lítio no mundo, e a sua demanda para 2020 parece que superará a sua oferta.

Sabe-se que a Bolívia deseja que a produção de baterias de lítio seja efetuada naquele país, mas tudo indica que parte poderá ser exportada. As explorações destas reservas de sal para a produção de lítio são consideradas mais econômicas que as demais fontes que também podem fornecer este material estratégico.

Estas reservas de sal da Bolívia podem significar para o seu desenvolvimento tanto quanto o petróleo do pré-sal do Brasil.