Tentando aproximar a Ásia da América do Sul e vice-versa

Preocupante Evolução das Tensões Asiáticas

30 de Maio de 2011
Por: Paulo Yokota | Seção: Editoriais, Notícias | Tags: , ,

Enquanto o custo das manutenções das forças de segurança norte-americanas na Ásia está se elevando, notadamente na manutenção das rotas de transporte de importantes matérias-primas, veiculam-se notícias sobre o estabelecimento de bases navais chinesas no Paquistão. Ao mesmo tempo, o Viêt Nam News lança o seu protesto pela quebra de sua soberania do seu mar territorial, quando navios chineses interromperam cabos de embarcações da PetroVietnam que efetuavam estudos de prospecções na plataforma continental daquele país.

O conflito de interesses dos Estados Unidos e seus aliados na Ásia com a China emergente, que tem uma necessidade de maciços abastecimentos de matérias-primas, principalmente energéticos, tornam as rotas marítimas dos mares que cercam a Ásia áreas estratégicas de grande importância como zonas de elevado risco.

centcom_map_mid_east

Todos sabem que o Oriente Médio continua sendo uma região vital para o abastecimento mundial de petróleo, havendo constantes e diferentes posições dos Estados Unidos e seus aliados com o Irã. Ao mesmo tempo, o Paquistão e a Índia que são países atômicos vivem com problemas frequentes. Com o Paquistão permitindo a localização de uma base naval da China no seu litoral, as tensões na região só tendem a aumentar, principalmente nas proximidades destas rotas vitais.

O Vietnã sempre foi um pequeno país que conseguiu manter a sua liberdade, vencendo guerras contra as poderosas Inglaterra, a França e até os Estados Unidos, mantendo a China fora de suas fronteiras. Quando as pretensões hegemônicas do País do Meio acabam afetando a soberania deste país, todas as pessoas responsáveis do mundo acabam ficando preocupadas, pois ocorrem no Mar do Sul da China.

A carga de tensão se acumula numa região que é naturalmente os limites de interesses vitais de potências importantes, ainda que este clima possa perdurar por muitos anos. Com todas as dificuldades por que passa o mundo, os acréscimos destas preocupações só dificultam mais as soluções dos problemas.

O Vietnã alega estar coberto não só pelos acordos estabelecidos nas Nações Unidas em 1982 sobre o mar, como pelos acordos da Asean – países do Sudeste Asiático, com a China em 2002, nada havendo por que se duvidar. Observa-se que os militares chineses estão aumentando suas presenças nas decisões daquele país que no seu desenvolvimento acelerado enfrenta naturalmente problemas complexos. Certamente, desejam aumentar o seu poder, quando os interesses chineses se ampliam pelo mundo. Nem sempre se mostraram voltados para entendimentos internacionais, notadamente nas questões de segurança.

A falta de habilidades para entendimentos diplomáticos podem acabar desencadeando acidentes como os que já vêm ocorrendo nos contatos com seus vizinhos. De outro lado, a complacência com tais incidências pode acabar dando a impressão que o mundo tolera seu comportamento, simplesmente com o uso da força, sem que haja outras para se contrapor a elas.



Deixe aqui seu comentário

  • Seu nome (obrigatório):
  • Seu email (não será publicado) (obrigatório):
  • Seu site (se tiver):
  • Escreva seu comentário aqui: