Tentando aproximar a Ásia da América do Sul e vice-versa

Empresários Japoneses Falando Para o Exterior

17 de Maio de 2012
Por: Paulo Yokota | Seção: Economia, Editoriais, Notícias, webtown | Tags: ,

Reconhecendo que os principais grupos empresariais do Japão estão se tornando multinacionais, nota-se que os seus principais líderes intensificam a concessão de entrevistas para a imprensa internacional. Se o CEO da Hitachi, Hiroaki Nakanishi, falou com o jornalista do The Wall Street Journal, agora o da Ajinomoto, Masatoshi Ito, concedeu entrevista aos jornalistas Kana Inagaki e Hiroyuki Kachi do mesmo jornal, reproduzido pelo Valor Econômico. Como estes empresários não costumavam se manifestar nos meios internacionais de comunicação, com raras exceções como o Akio Morita que foi o presidente da Sony, parece ocorrer um reconhecimento que a maior parcela dos seus mercados já não está no Japão, mas no mercado mundial.

O artigo em questão informa que a Ajinomoto está buscando aquisições de empresas no mercado internacional, visando acelerar o processo de sua expansão. O grupo já atua no Brasil, tanto para a produção de matérias-primas para seus temperos como a colocação de alguns dos seus produtos cuja demanda está em crescimento. Tendo adquirido o controle de uma empresa japonesa que produzia macarrões com preparos instantâneos, com temperos orientais, notaram que no mercado brasileiro a sua demanda estava crescendo rapidamente. Isto decorria da disseminação dos hábitos de consumos de produtos da culinária japonesa, como ampliação de uma nova classe média local, bem como aumento do emprego de mulheres que se dedicavam no passado exclusivamente às lides domésticas.

ifuu6SEJXDUEuntitled

Masatoshi Ito

A Ajinomoto desenvolveu-se no Japão produzindo um tempero que utiliza o glutamato monosódio, que tem como base a cana de açúcar, o que a levou a instalar parte de suas atividades industriais no Brasil. Hoje, trabalha com biotecnologia em produtos alimentícios que utilizam temperos de sua produção, diversificando sua linha para setores como adoçantes de aspartame.

Como estes produtos são utilizados em muitos países asiáticos, mas tendem a ganhar espaço no mercado internacional, nada mais natural que suas atividades fossem se ampliando para o exterior. A entrevista mostra que para acelerar este processo cogita-se aquisições de empresas que atuam no mesmo setor.

Como o consumo de glutamato monosódico passou a sofrer algumas restrições, a produção da Ajinomoto acabou evoluindo para outros tipos de temperos como o Sazón, bem como algumas bebidas que não se mostraram promissoras nas vendas.

Novos mercados emergentes, tanto do Sudeste Asiático como na África, estão merecendo atenções. As empresas multinacionais necessitam estar presentes em todos os mercados, ainda que suas potencialidades só possam ser expressivas em longo prazo. Numa postura mais agressiva, Masatoshi Ito informou que no passado a empresa era procurada, agora está abordando outras que a interessam.

Observa-se, assim, que mesmo na atual economia globalizada, onde existem muitas dúvidas, as empresas japonesas estão procurando oportunidades para ampliar as suas atividades, em áreas que tenham alguma relação com suas habilidades.



Deixe aqui seu comentário

  • Seu nome (obrigatório):
  • Seu email (não será publicado) (obrigatório):
  • Seu site (se tiver):
  • Escreva seu comentário aqui: