Tentando aproximar a Ásia da América do Sul e vice-versa

Governo Japonês Alerta Sobre Infecções Com Frutos do Mar

12 de Maio de 2017
Por: Paulo Yokota | Seção: Editoriais e Notícias, Saúde | Tags: , ,

Já se conhecia que infecções das larvas de anisakis poderiam ocorrer com alguns peixes crus e outros frutos do mar, desde 1950 quando sucedeu na Holanda, mas o aumento de registro de suas ocorrências obrigou o governo japonês emitir um alerta para os seus consumidores. Estas larvas têm sido constatadas na Europa e nos Estados Unidos, principalmente com frutos do mar do Pacífico.

clip_image002

Gráfico constante do artigo publicado no site do The Japan Times

Ainda que as indicações acima sejam somente um alerta, o que se desconfia é que os peixes crus como utilizados nos sashimis e sushis, principalmente de pescados do Pacífico, estejam aumentando as infecções com as larvas conhecidas como anisakis que começando no aparelho digestivo pode chegar ate os músculos dos seres humanos, provocando até a sua morte.

O alerta oficial foi feito pelo Ministério de Saúde, do Trabalho e da Previdência Social do governo japonês. O número de infectados vem aumentando, conforme o gráfico acima, mas parte pode ter sido pela disseminação desta informação, sem que se soubesse muito do problema no passado. Os japoneses evitam o consumo do salmão cru do Pacífico, aumentando a utilização dos criados como do Chile. Mas também estas larvas são encontradas em outros frutos do mar, como a cavala, a cavala japonesa, a sardinha e a lula, notadamente nos seus ventres.

Os sintomas são normalmente dores abdominais, náuseas, vômitos e febre de baixo grau que podem ocorrer em uma hora ou até duas semanas após o consumo dos frutos do mar infectados. De acordo com um artigo publicado na revista científica Clinical Midrobiology Reviews, o anisakis também pode induzir a reações alérgicas e hipersensibilidades.

O ministério japonês recomenda que estes frutos do mar sejam mantidos no mínimo por um dia sob uma temperatura de menos 20 graus ou cozido por um minuto ao menos, a uma temperatura superior a 60 graus, para matar as larvas.

Os que apresentarem sintomas acima devem procurar médicos endoscopistas para remover estas larvas, sem que haja um pânico, pois as cifras dos afetados são ainda pequenas. Mas é conveniente que se saiba que o problema existe.



Deixe aqui seu comentário

  • Seu nome (obrigatório):
  • Seu email (não será publicado) (obrigatório):
  • Seu site (se tiver):
  • Escreva seu comentário aqui: