Tentando aproximar a Ásia da América do Sul e vice-versa

Aquisições do Controle e Investimentos

5 de dezembro de 2017
Por: Paulo Yokota | Seção: Economia, Editoriais e Notícias | Tags: , ,

Costuma ocorrer algumas confusões para os leigos entre a simples aquisição do controle de uma empresa, pública ou privada, com os investimentos, notadamente quando empresas estrangeiras estão envolvidas nestas operações.

clip_image002

Mapas da Amazônia e do Nordeste onde estão os gasodutos já existentes, publicado no Valor Econômico, cuja matéria deve ser lida na íntegra

Diante das dificuldades enfrentadas pela Petrobras ou pela CVRD – Companhia Vale do Rio Doce, por exemplo, muitos leigos acabam sendo iludidos como sinais altamente positivos com as alienações de ações de suas subsidiárias onde os grupos estrangeiros estariam fazendo investimentos no Brasil. Lamentavelmente, muitas empresas privadas brasileiras foram vendidas para os estrangeiros sem que novos investimentos fossem feitos, aumentando o emprego, ampliando suas capacidades de produção, contribuindo para o desenvolvimento da economia brasileira.

Se os que os alienaram transferiram simplesmente seus ativos financeiros para o exterior visando usufruir lucros sem riscos elevados sobre eles, o que houve foi uma simples transferência de controladores, que em nada beneficia o Brasil. Se os alienadores investiram em novos empreendimentos por aqui, pode ser que tenham contribuído para a economia brasileira. No caso presente das transportadoras de gás, espera-se que a Petrobras efetue investimentos nos projetos dos quais participa, principalmente ligados ao pré-sal.

O que precisa ser também considerado é que a Petrobras contava basicamente com acionistas brasileiros que aplicavam seus dividendos onde desejavam, mas predominantemente no Brasil. Quando alienados para grupos estrangeiros, estes dividendos acabam sendo usufruídos pelos que estão no exterior, agravando a balança de pagamentos, na maioria dos casos. Lamentavelmente, sem agências oficiais controladoras eficientes, muitos destes serviços têm deteriorado nas suas qualidades.

Portanto, convém não se animar muito com estes “investimentos”.